"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

segunda-feira, 29 de junho de 2020

"Somos Físicos" Professores "Temporários" A Angustia dos 200 Dias

Prefeitura de Ourinhos abre Processo Seletivo para contratar ...
Ocorreu que um dia sentada nas escadarias de uma unidade escolar, no horário de intervalo, conversava com uma colega e chega uma pessoa vendendo panos de pratos e a colega me diz que era uma Professora na duzentena. Sinceramente, na época não acreditei. Hoje acredito!

Muitos Professores temporários pegaram o inicio da separação, por categorias, dos Professores. Muitos prestaram mais que um concurso para trabalhar: Fundação Carlos Chagas, Vunesp, e continuaram "temporários". Sem mérito algum, plano de carreira, convênio com o IAMSPE, essa categoria segue com extinção de contratos sem critérios de valorização e esperança. Saem com uma mão na frente e outra atrás. Sem direitos ao seguro desemprego e FGTS.

"No âmbito do Estado de São Paulo, especificamente quanto à política de pessoal docente, vê-se o estabelecimento de formas precárias de contratação na REE-SP, a diminuição dos gastos em educação e a manutenção de um excessivo número de docentes temporários, de forma que uma gestão regulada da folha de pagamento impacte menos no gasto do Estado, em detrimento dos direitos relativos ao trabalho –seguridade e proteção social."
Educadores terceirizados ou com contrato de trabalho temporário não deveriam ultrapassar 10% do total de docentes, segundo recomendação do Conselho Nacional de Educação (CNE). Mas a cifra nacional gira em torno de 25% - equivalente a 450 mil professores, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Para Heleno Araújo, secretário de assuntos educacionais da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), esse tipo de contratação é uma estratégia dos governos para gastar menos com a área. "O temporário faz o mesmo trabalho que um efetivo, mas com salário menor e sem direitos. O correto seria abrir vagas por concurso público", afirma. O drama aumenta no início do ano, quando o contrato de muitos se encerra. Para não configurar vínculo empregatício, os professores precisam ficar afastados até uma nova oportunidade. Em estados como São Paulo, o período longe das aulas e sem receber pode chegar a 200 dias - a chamada duzentena. Em depoimentos a NOVA ESCOLA, docentes da rede contam o que é viver nessa incômoda condição.
Disciplinas com mais temporários
  • Física 43%
  • Química 42%
  • Biologia 34%
  • Matemática 32%
Fonte: Relatório Subsídios e Proposições Preliminares para um Debate sobre o Magistério da Educação Básica no Brasil.