"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

sexta-feira, 6 de março de 2020

"Somos Físicos" As Melhores Banda Femininas ( Outubro Rosa)



Spice Girls



Mesmo que contassem com uma banda de apoio, as Spice Girls têm que figurar na lista pela grande representatividade no gênero pop - destaque para o hit Wannabe. Inicialmente, o grupo se chamava Touch, e depois de dois anos ficou com o nome definitivo.

Bikini Kill

As americanas do punk rock se juntaram em outubro de 1990. A banda é considerada a pioneira do riot grrrl - movimento feminista dentro da música -, com letras radicais e performances incendiárias. O grupo durou sete anos, gravando dois álbuns, vários EPs e duas compilações. Kathleen Hanna, ex-vocalista e compositora, a partir do término da Bikini Kill, se juntou com outras pessoas e fundou o Le Tigre.


Se você ainda acha que rock n’ roll é coisa só pra homem, o ROCK NA VEIA vem mostrar 5 bandas femininas de rock que marcaram historia, o rock não tem cor, não tem sexo e nem idade.
Banda de mulheres não é novidade no mundo do rock, um exemplo é a banda The Runaways que começou sua carreira no ano de 1975, de lá pra cá muitas outras bandas de garotas apareceram.
 The Iron MaidensLos Angeles – CA, Estados Unidos, 2001
theironmaidens
Considerada uma das melhores bandas de cover e tributo em atividade (se não for a melhor!), as moças do The Iron Maidens, impressionam pela virtuosidade aliada à grande presença de palco. Muito talento e estudo (quase todas têm formação musical clássica e passaram por grandes orquestras). Banda excelente. Agraciada com vários prêmios ao redor do mundo. Tocam canções de praticamente todas as épocas do Iron Maiden, das novas aos clássicos pedidos dos fãs. Pra quem gosta de Iron e não aguenta mais a cara do Bruce, recomendo.
     Crucified BarbaraEstocolmo – Suécia, 1998
crucifiedbarbada
Elas começaram no punk rock, mas ganharam uma sonoridade mais hard rock ao longo do tempo. Bela banda. Muito sucesso na Europa, mas um pouco de resistência nos Estados Unidos (não sei o por quê). Alguma projeção na América Latina, com shows no Brasil em 2012 e 2014. Pra quem gosta de uma boa pegada, cabelos voando e temas como ocultismo, religiosidade, e afins, é uma boa dica. Gravaram 4 bons discos. Infelizmente e por coincidência com o texto aqui, anunciaram no site oficial, o fim da banda no último dia 14 de Junho. Choremos nós, marmanjos.
       The DonnasPalo Alto – CA, Estados Unidos, 1993
thedonnas
No início da carreira, eram os Ramones de saia. Depois naturalmente mostraram um repertório um pouco mais vasto, variando do punk rock de garagem até o glam rockHard rock dos bons. Gostam de trazer os velhos temas de sexo, drogas, cerveja, motocicletas, rock n roll, e por aí vai. Lançaram 8 discos, sendo o último de 2007. Um abraço para o meu amigo Siller que me disse uma vez, que elas são a melhor banda do mundo depois do U2. Exageros de fã à parte, também vale a pena conhecer.
         KittieLondon – ON, Canadá, 1996
kittie
Porrada! Aqui o peso impera. Essa é uma das mais conhecidas bandas do texto de hoje. Se não conhece, corra atrás. Representantes da onda do new metal e do chamado death metal, têm muita qualidade. Destaque para a vocalista Morgan Lander, que tem muitos recursos e faz o melhor estilo Jonathan Davis. Aliás, o som da banda têm muita influência do KornLimp Bizkit e outros representantes do estilo. Excursionaram com o Slipknot, o que ajudou a propagar bastante a popularidade das meninas e trazer um grande número de fãs. São seis discos, sendo o último de 2011.
Sleater-Kinney, Olympia – WA, Estados Unidos, 1994
sleaterkinney
Uma das minha preferidas, essas mulheres formam uma das mais importantes bandas do chamado “cenário de Olympia”, que trouxe ampla discussão sobre os direitos e reivindações das mulheres, movimentos riot girl e etc. Nota-se total influência ideológica de esquerda e do feminismo em suas temáticas. Com relação ao som, estar perto de Seattle, trouxe à banda os mesmos alicerces da cena grunge, com uma curiosidade: não há baixo. Mas há uma compensação nas afinações das duas guitarras. O resultado é um rock n roll de alta qualidade.
The Bangles, Los Angeles – CA, Estados Unidos, 1981
thebangles
Possivelmente, esta é uma das bandas mais bem sucedidas dos anos 80, tendo encabeçado vários singles um atrás do outro até 1989, sendo que “Eternal Flame” é o que pode ser chamado de hit clássico. Com certeza você já ouviu (e até já cantou, tentando imitar Susanna Hoffs) esta canção em algum lugar e em algum período da sua vida. Fazendo um estilo mais pop e pop rock, chamaram a atenção de vários ícones na época, como Prince, Elvis Costello Cindy Lauper, que levaram a muitas participações e co-autorias. Sem dúvida, estão marcadas na história da música.
 GirlschoolLondres – Inglaterra, 1978
Girlschool
Uma banda também de peso, com um heavy metal bem cru, rápido e clássico da cena inglesa da década de 70 e 80. Afilhadas do Motörhead, não escondem a influência nem um pouco e tiveram a felicidade de excursionar com os mesmos, passando então a ter uma notoriedade maior, principalmente na Europa. Tiveram altos e baixos na carreira e um hiato, até o falecimento de Kelly Jonhson, que era co-fundadora. Mas de certa forma, conseguiram deixar sua marca. Retornaram em 2015, com uma nova integrante. Gravaram 13 discos no total.
 L7Los Angeles – CA, Estados Unidos, 1985
l7
Mais uma que está entre as que mais gosto. Elas também fizeram parte do cenário de Olympia, junto com Hole e Sleater-Kinney. Curiosamente, a banda começou com um homem na formação, o baterista, que foi subtituído no ano da gravação do primeiro disco em 1988. O som é totalmente influenciado pelo grunge, mas tem também a pegada punk e de metal mais alternativo. Elas são inspiração para muitas bandas de garotas que vieram depois, não só pela qualidade mas também pela atitude. Recomendada.
 VixenSaint Paul – MN, Estados Unidos, 1974
vixen
Reza a lenda que Jan Kuehnemund já era uma excelente guitarrista na adolescência e que tentou entrar para vários grupos e não foi aceita simplesmente por ser uma garota. Então formou a sua própria banda. Representantes do hard rock e do glam rock no melhor estilo Twisted Sisters (só quem bem mais bonitas), fundaram a banda em 1974, mas a era de ouro foi a década de 80 e depois até 1991. Também tiveram problemas ao longo da trajetória, mas a formação clássica é até hoje aclamada e foi responsável pelo recorde de vendas do grupo. Jan faleceu em 2013, mas a banda decidiu continuar. Realmente clássica.
E para não dizer que não falei das flores, citarei algumas representantes femininas do Brasil. Temos a Mixtape, trio de moças de Curitiba que formaram a banda em 2008, com um som de peso. Houve também a banda Lipstick, do ABC paulista, com um som mais pop e temáticas adolescentes, e que terminou em 2015.
lipstick
Lipstick à esquerda, Mixtape à direita.
As bandas brasileiras de maior destaque popular e só com mulheres já nao existem mais. Agnela, surgiu no Rio de Janeiro em 2008 e terminou em 2013, também levando muito do pop rock, fez parte de trilhas sonoras de novelas e filmes. Já a representante do rock mais pesado era o trio de Brasília Volkana (1987-1996), com elementos do trash metal e influências do heavy metalVolkana voltaria em 2008, porém com um homem na formação.
agnela
Agnela à esquerda. Volkana à direita.
BIKINI KILL
1990 - Bikini Kill

Estilo: Punk Rock
Origem: 
Estados Unidos
drain_sth__singer__by_bloodyasylumleech-d5lbguv
DOMINATRIX
1995 - Dominatrix
Estilo: 
Punk Rock/Hardcore
Origem: 
Brasil
Bulimia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.

Segue lá

Segue lá