"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todas as são pesquisas e coletadas na internet. Me segue no Instagram @donnavl_modaeventos.

Welcome To My Blogger

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

"Somos Físicos" Gelo na Lua

A Nova Lua é úmida, tem água, gelo e orvalho

Ao contrário do que se pensava, a Lua tem água - e em volume surpreendente - na forma de "orvalho", de gelo depositado no fundo escuro de crateras e, sobretudo, no interior de suas rochas.
Já faz um bom tempo que os cientistas investigam a existência de água na Lua — uma vez que a presença do líquido poderia ajudar a viabilizar os planos de um dia estabelecermos uma base humana por lá. Aliás, a suspeita de que esse material (indispensável para a nossa sobrevivência) pudesse estar se “escondendo” em regiões lunares que permanecem permanentemente na penumbra não é o que podemos chamar de nova, tanto que sondas e missões espaciais já haviam encontrado indícios de que o satélite talvez não fosse tão árido como que se pensava.

Água!

Pois, de acordo com a NASA, cientistas conseguiram realizar observações diretas da existência de depósitos de gelo na Lua pela primeira vez na história, confirmando a existência de água no satélite — justamente nos locais onde os astrônomos desconfiavam que poderiam encontrar o material. Segundo a agência espacial, os depósitos se distribuem tanto pelo polo sul, como pelo norte, e possivelmente são muito, muito antigos.
Identificação de gelo na LuaLocalização dos depósitos de gelo nos polos lunares (NASA)
Ainda de acordo com a NASA, os depósitos de gelo detectados no polo norte se distribuem por uma área mais vasta do que os do polo sul, onde a maior parte do material está concentrada no interior de crateras. E como é que os cientistas conseguiram a proeza de finalmente confirmar que existe água na Lua? Eles usaram dados coletados por um instrumento projetado especificamente para detectar a presença da substância no satélite e que foi enviado até lá a bordo da sonda espacial indiana Chandrayaan-1 em 2008.
Esse equipamento — chamado M3, de Moon Mineralogy Mapper ou Mapeador da Mineralogia da Lua em tradução livre — realizou varreduras da superfície lunar e capturou nos polos propriedades reflexivas características do gelo. E mais: o instrumento também realizou medições da forma como as moléculas do material detectado absorvem a luz no espectro do infravermelho, uma vez que a água em seu estado sólido e líquido se comporta de maneira diferente, e os resultados apontaram que se trata de água congelada mesmo.
Essa é uma excelente notícia, uma vez que a confirmação de que existe gelo na superfície da Lua significa que futuras missões tripuladas ou possíveis bases teriam acesso direto à água — em vez de ter que extrair o material por meio de perfurações, por exemplo. No entanto, apesar da empolgação, os cientistas ainda precisam determinar as dimensões e profundidade dos depósitos de gelo para, assim, estimar quanta água realmente existe na Lua.
Além disso, é imprescindível que o gelo seja detalhadamente analisado e que os cientistas entendam como esse material interage com o ambiente lunar, portanto o ideal seria que, antes de planejar a construção de uma colônia na Lua, um explorador seja enviado até lá para desvendar todos esses mistérios. Mas, ainda assim, a confirmação merece ser celebrada!
Resultado de imagem para gelo na lua
Mapa de hidrogénio (elevada concentração nas áreas mais claras) nas zonas polares dos hemisférios norte e sul da Lua. A imagem mostra o local dos polos atuais e passados. Créditos: James Keane, University of Arizona; Richard Miller, University of Alabama at Huntsville.
Um novo estudo de gelo lunar antigo nos pólos da Lua mostra que o eixo de rotação da Lua deslocou-se cerca de 5º há cerca de 3.000 milhões de anos.
FONTE(S)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.