"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Há 47 Anos Acontecia a Exposição Aquariana (Woodstock)


 (Foto:  )
Há 47 anos, o mês de agosto era marcado por um grande acontecimento:a Exposição Aquariana — Três dias de Paz & Música. Anos depois o evento ficaria conhecido como Festival de Woodstock, no qual tocaram bandas e artistas como The Who, Janis Joplin e Jimi Hendrix. Milhares de jovens passariam dias a fio em uma fazenda na cidade de Bethel, em Nova York, nos Estados Unidos, ouvindo músicas e conhecendo novas pessoas.  
Na época, a revista Life pediu que os fotógrafos Bill Eppridge e John Dominis acompanhassem e registrassem diversos momentos do evento. 
Bored Panda compilou algumas das imagens que resumem o que foi Woodstock e como era ser jovem na década de 1960. Confira:

 (Foto:  ) (Foto:  ) (Foto:  ) (Foto:  )
 (Foto:  ) (Foto:  )
 (Foto:  )
 (Foto:  ) (Foto:  ) (Foto:  ) (Foto:  )
 (Foto:  )
 (Foto:  ) (Foto:  ) 
http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2016/08/15-imagens-que-resumem-como-foi-o-festival-de-woodstock.html

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Experimento Conservação das Massas (Química)

Resultado de imagem para experimento com balões

“Na natureza nada se cria, nada se perde tudo se transforma”.

Tudo que vemos a nossa volta é formado por átomos esses átomos se ligam ou se agrupam para formar as mais variadas coisas, desde a cadeira em que você está sentado e que pode ver e tocar, até o ar que respira, que você não pode ver, mas sabe que está aí.
Em um sistema fechado em que ocorre uma reação química, todos os átomos que estiveram ali no início da reação, estarão lá no final. Eles podem ter se reorganizado a fim de completar a reação, mas a massa total do meio permanece a mesma. Quando ferve-se um líquido, água por exemplo, o nível de líquido desce, mas isso não ocorre porque a água foi consumida, mas sim porque ela mudou de fase e virou vapor. Agora está misturada ao ar do ambiente, é por isso que a conservação de massa vale apenas para sistemas fechados.

  A Lei da Conservação de Massas, ou Lei de Lavoisier é uma lei da química que muitos conhecem por uma célebre frase dita pelo cientista conhecido como o pai da química, Antoine Lavoisier.

As leis das reações químicas podem ser divididas em dois grupos: 

LEIS PONDERAIS LEIS VOLUMÉTRICAS São as leis relativas às massas das substâncias que participam das reações químicas São as leis relativas aos volumes das substâncias que participam das reações químicas. 

  As principais leis ponderais são: Lei da Conservação das Massas ou Lei de Lavoisier Lei das proporções constantes ou Lei de Proust Lei das proporções múltiplas ou Lei de Dalton

Experimento com os balões:

Explicação

O ácido acético do vinagre reage com o bicarbonato de sódio libertando dióxido de carbono. À medida que se forma mais gás, a pressão dentro da garrafa aumenta e o balão enche.
A reação química que explica este processo, escreve-se assim:
Resultado de imagem para reação bicarbonato de sódio mais vinagre
 Resultado de imagem para experimento com balões e a conservação das massas
Materiais que serão utilizados:
1 Garrafa que pode ser de plástico ou de vidro de (600ml)
– 1 Funil
– Bicarbonato de Sódio
– Vinagre
– Balão
Como fazer:
1 – Escolha uma garrafa com bocal pequeno e coloque 150ml de vinagre dentro dela.
2 – Coloque 1 colheres (chá) de bicarbonato de sódio dentro do balão com a ajuda do funil.
3 – Prenda o balão no gargalo da garrafa.
4 – Segure o balão de pé para que o bicarbonato caia sobre o vinagre .
5 – A mistura de bicarbonato de sódio e vinagre vai produzir dióxido de carbono (CO2), que formará as bolhas que irão expandir o balão.
6 – Quanto menor a garrafa, mais cheio ficará o balão.

 É importante antes da experiência encher bem o balão e depois esvazia-lo, pois dependendo do material do balão, pode ser mais difícil para encher, por ser mais resistente, ok?
 OBS: Esse balão não irá “Voar”, como os que são enchidos com Gás Hélio, pois o CO2 é mais denso que o ar.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Produção de Plástico Biodegradável (Química)

O aumento do volume do lixo é um problema que assola a sociedade moderna. Um dos grandes vilões dessa situação é o plástico, que é um polímero sintético geralmente derivado do petróleo e que não é biodegradável, ou seja, leva muitos anos para se decompor. Isso acontece porque fatores tais como dureza, absorção limitada de água e tipo de estrutura química impedem que o polímero sintético puro seja suscetível ao ataque microbiano.

É praticamente impossível pensar em nossa sociedade sem o uso de plásticos, por isso, uma alternativa para ajudar a minimizar o problema da produção de lixo é a produção de plástico biodegradável, isto é, que seja degradado por micro-organismos presentes no meio ambiente, convertendo-o em substâncias simples existentes naturalmente em nosso meio, integrando-se totalmente à natureza.

Atualmente, já existe plástico biodegradável produzido industrialmente, como é o caso dos plásticos de amido de milho e de batata, que geralmente são misturados ao plástico sintético puro no momento da produção. Assim, quando esse material for descartado, o amido será degradado e restarão pedaços minúsculos de plástico, prejudicando menos o ambiente.
 
Laboratório de Química
Como fazer plástico orgânico.

O amido é um polímero natural, ou seja, uma macromolécula formada pela união de dois polissacarídeos: a amilose (constituída de mais de 1000 moléculas de α-glicose) e a amilopectina (um polímero que possui ramificação saindo dos carbonos 6 de uma molécula de α-glicose e do carbono 1 de outra molécula a cada grupo de 20 a 25 unidades do monossacarídeo ao longo da cadeia). Basicamente, então, o amido é formado por moléculas de α-glicose e possui a fórmula (C6H10O5)n, sendo que “n” pode variar de 60 000 a 1 000 000 de unidades, sendo que esses milhares de monômeros de glicose estão ligados por ligações glicosídicas alfa, de maneira linear e ramificada.

O amido é armazenado em diferentes órgãos vegetais, sendo encontrado, por exemplo, na forma de grãos das sementes (cereais), tais como milho, aveia, arroz, trigo, cevada e centeio; além de também estar presente nas raízes das plantas, como na batata e na mandioca.

Portanto, como o amido é um polímero que se encontra nesses vegetais, podemos obter um plástico biodegradável a partir deles. Veja então como é fácil produzir um plástico biodegradável de amido de batata:

Materiais e reagentes:

* 4 batatas-inglesas;

* 4 colheres de sopa de vinagre;

* 4 colheres de sopa de glicerina;

* Água;

* Liquidificador;

* Coador de pano ou papel de filtro;

* Funil;

* Recipiente grande e transparente;

* Panela;

* Fogão;

* Corante alimentício da cor de sua preferência;

* Superfície lisa e plana, como uma forma de fazer bolo retangular;

* Espátula.

Procedimento Experimental:

1- Corte 4 batatas-inglesas;
2- Bata no liquidificador com um pouco de água;

Batata com água batida no liquidificador
Batata com água batida no liquidificador
3- Filtre e acrescente um pouco mais de água;
4- Deixe em repouso;
5- Depois de um tempo, você verá a formação do amido de batata, um precipitado branco no fundo do recipiente;
6- Separe o líquido marrom e deixe somente o precipitado;

Amido de batata produzido em experimento
Amido de batata produzido em experimento
7- Retire duas colheres de sopa desse amido de batata e coloque em uma panela;
8- Acrescente um copo de água, quatro colheres de vinagre, quatro colheres de glicerina e gotas do corante;
9- Leve ao fogo, mexendo sempre e pare quando formar uma espécie de “geleca”;
10- Coloque em uma superfície lisa e plana e deixe secar por alguns dias;
11- Você verá a formação de um plástico biodegradável que pode ser retirado com o auxílio de uma espátula e que pode ser usado como adesivo, sendo possível fazer desenhos nele.
Resultados e Discussão:

Conforme a imagem a seguir mostra, a amilopectina (um tipo de molécula formadora do amido mencionado na introdução desse artigo) possui muitas ramificações, o que torna mais difícil a interação de suas moléculas para formar o plástico. É por isso que acrescentamos o vinagre (ácido acético ou ácido etanoico - H3C ─ COOH), que reage com o amido, diminuindo as suas ramificações, que, por sua vez, são quebradas e transformadas parcialmente em amilose — moléculas lineares do amido. Com isso, a formação do plástico fica melhor.

Amilose e amilopectina formadoras do amido
Amilose e amilopectina formadoras do amido

Já a glicerina (C3H5(OH)3) funciona como uma espécie de lubrificante que torna o plástico mais maleável e elástico, pois ela ficará entre as moléculas do amido, reduzindo as interações entre elas e atuando, desse modo, como um agente plastificante.
http://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/producao-plastico-biodegradavel-amido-batata.htm

Como Fazer Plástico do Leite (Química)

 

Malefícios do plástico
Elas surgiram por volta de 1950, em meio século, passaram de símbolo da modernidade a vilãs do meio ambiente. Celebridades hoje desfilam com sacolas ecológicas. Quer saber o motivo?
O plástico polui muito. As sacolas são incapazes de se decompor em curto prazo. Trata-se, portanto, de uma decisão lógica: aboli-las dos supermercados. Parece evidente, mas não é tão simples. Existem divergências ambientais, culturais e políticas sobre como eliminar esse problema.
As sacolas de plástico demoram pelo menos 300 anos para sumir no meio ambiente. Em todo o mundo são produzidos 500 bilhões de unidades a cada ano, o equivalente a 1,4 bilhões por dia. No Brasil, 1 bilhão de sacolas são distribuídas nos supermercados mensalmente - o que dá 66 sacolas por brasileiro ao mês.
No total, são 210 mil toneladas de plástico filme, a matéria-prima das sacolas, ou 10% de todos os detritos do país. Não há dúvida: é muito lixo. Algumas alternativas estão sendo adotadas. Uma delas, muito popular na Europa e nos Estados Unidos, é o uso de sacolas de pano ou sacos e caixas de papel.
No Brasil, a principal alternativa são as sacolas de plástico oxibiodegradáveis.

 Elas vêm com um aditivo químico que acelera a decomposição em contato com a terra, as luzes ou as águas. O prazo de degradação é até 100 vezes menor, ou seja, uma sacola leva apenas três anos para desaparecer.
 
Laboratório:Como Fazer Plástico de Leite

Obs:Desconheço o resultado quanto a qualidade e durabilidade, mas com certeza seria inviável uma produção em escala industrial devido a limitação em abundância da matéria-prima principal, o leite.

ProfºVania.


Para esta experiência você vai precisar de:

• um pouco de leite (nós usamos 1 litro)

• um pouco de vinagre de champanhe (a quantidade você descobre na hora)

• uma panela (para esquentar o leite)

• um recipiente de vidro

• um misturador (pode ser uma colher)

• um pedaço de pano

Luvas de borracha;

• lixa (opcional, para dar acabamento)

  Leva cerca de duas semanas para o plástico secar e ficar pronto.

Aqueça o leite (sem deixá-lo ferver) e acrescente o vinagre aos poucos, até surgir o soro do leite (aquela água amarelada típica de um leite azedo) e uns pedacinhos sólidos. São esses pedacinhos que ficarão no pano quando você coar a mistura, formando a massa que, depois de moldada e seca, vira plástico.
 
E no que o plástico de leite se assemelha ao plástico “tradicional”?

 Na composição.

O plástico que conhecemos é um polímero, isto é, uma grande molécula formada por vários pedacinhos que se repetem.

O plástico de leite, por sua vez, é composto por uma proteína chamada caseína que é formada por pedacinhos também, os aminoácidos, tornando-se um polímero natural.

A principal diferença?
Dicas:
 • Você pode moldar o plástico usando cortadores de biscoitos em formatos diversos ou pode usar também forminhas de gelo ou para bombons que tenham formatos de bichinhos.
• Para deixar suas peças de plástico mais bonitas, experimente pintá-las com tinta acrílica,você também pode decorá-las com fitas adesivas coloridas ou usar cola colorida para fazer desenhos com relevo.


http://ecoplas.no.comunidades.net/maleficios-do-plasticohttp://www.manualdomundo.com.br/2012/06/como-fazer-plastico-de-leite-experiencia-de-quimica/http://dicasde.com.br/como-fazer/dica-de-como-fazer-plastico-com-leite-e-vinagre/

Cuidado com o Triglicerídeos! (Bioquímica)

 
Os lipídios (nome científico das gorduras) são extremamente necessários para que o nosso organismo trabalhe adequadamente! Eles estão presentes na composição das vitaminas, das lipoproteínas, da membrana celular, entre outras. Acumulam três funções básicas para a manutenção da nossa sobrevivência, que são:
• Manter a temperatura corporal estabilizada;
• Impedir choques mecânicos;
• Produzir os nossos hormônios;

Portanto, apesar de ser um elemento calórico, não dá para excluir a gordura da nossa alimentação. É preciso reduzir na quantidade e, acima de tudo, saber distinguir as vilãs das mocinhas. 

Os triglicerídeos


Triglicerídeos Triglicérides, ou triglicerídeos, são um tipo de gordura, composto por uma molécula de glicerol e três moléculas de ácidos graxos. São a principal forma de estocagem de energia dos animais, que os acumulam no tecido adiposo na forma de gordura. O nível alto de triglicerídeos está associado a um aumento no risco de doenças do coração, especialmente quando está associado a colesterol alto e outros fatores de risco.
3 Doenças associadas Os níveis altos de colesterol sangüíneo aumentam muito o risco do indivíduo apresentar doenças graves, tais como: angina pectoris (uma dor no peito de origem cardíaca); infarto do miocárdio; acidente vascular cerebral e problemas de circulação em outros locais do corpo. Todas essas doenças ocorrem porque o colesterol aumentado no sangue acaba se depositando nos vasos sangüíneos (artérias) com o passar do tempo, na forma de gordura, e isso leva finalmente a obstrução da artéria. Assim, o sangue não consegue mais circular pelo vaso atingido. Essa obstrução das artérias pela deposição de gordura nas suas paredes é conhecida como aterosclerose.  



 Gorduras saturadas e Gorduras trans
Para início de conversa é importante explicar porque as gorduras podem ser ruins para o nosso corpo. Muitos de nós escutamos a vida toda que elas fazem muito mal, mas não entendemos realmente a razão disso, né?
 Os ácidos graxos (AG) insaturados recebem a denominação de trans quando a configuração estrutural dos dois átomos de hidrogênio ligados aos átomos de carbono, onde está localizada a dupla ligação, está em lados opostos da cadeia carbônica. Normalmente, não é essa a configuração que se encontra nos sistemas biológicos de mamíferos, e sim a configuração estrutural cis, em que os dois átomos de hidrogênio ligados aos átomos de carbono, formando a dupla ligação, encontram-se do mesmo lado. Veja na figura abaixo a diferença da estrutura química entre ácidos graxos trans e cis.


Os AG trans são originados pelo processo de hidrogenação, onde ocorre a eliminação de duplas ligações da cadeia de carbono dos AG e inversão da disposição dos átomos de hidrogênio, modificando a estrutura do ácido graxo e dando assim origem aos ácidos graxos trans. Esta reação é realizada para converter óleos vegetais líquidos em gorduras sólidas ou semi-sólidas, sendo utilizada na fabricação de margarinas, gordura para fritura, massas, sorvetes, bolos, salgadinhos de pacote, biscoitos, batata-frita, dentre outros alimentos industrializados. Estes AG também estão presentes, em pequena quantidade, em alimentos de origem animal, como carne e leite.
A pequena modificação estrutural dos AG cis e trans causa uma grande diferença na elaboração do produto alimentício. Os AG trans possuem uma conformação linear e mais rígida, fazendo com que as moléculas fiquem mais próximas umas das outras, aumentando a interação entre elas. Com isso, esses ácidos graxos são termodinamicamente mais estáveis e resistentes aos processos oxidativos, à deterioração e a modificações de sabor, aumentando, assim, o prazo de validade de alguns produtos industrializados. Além disso, seu ponto de fusão é maior, significando um menor tempo de cozimento.
Já os AG cis possuem uma configuração estrutural em que os dois átomos de hidrogênio, ligados aos átomos de carbono onde está localizada a dupla ligação, encontram-se do mesmo lado. Dessa maneira, as moléculas dos AG encontram-se de forma não-linear, ajustando-se mal umas às outras e, por conseqüência, o ponto de fusão é mais baixo.
Porém o alto consumo de produtos industrializados que contêm AG trans está associado com maior incidência de doenças cardíacas, por aumentar a concentração plasmática da LDL (lipoproteína de baixa densidade) e triglicérides, e diminuir os níveis plasmáticos de HDL (lipoproteína de alta densidade), dentre outros malefícios.

Em suma, o que ocorre com os lipídios ruins, sejam eles saturados ou trans, é que eles elevam os depósitos de gordura no nosso organismo, seja de forma localizada (normalmente na região do abdômen), seja nos órgãos ou nos nossos vasos sanguíneos. Isso acaba sendo um perigo para o corpo, especialmente no que tange a saúde do coração.
 
 Quanto maiores as taxas de colesterol ruim (LDL) no sangue, maiores os riscos de contrair doenças de ordem coronariana, que hoje estão entre as que mais matam no mundo.
• Gorduras saturadas – São as de origem animal. São encontradas nas carnes vermelhas, na pele do frango, no leite integral e nos seus derivados (principalmente nos queijos amarelos e no creme de leite);
Gorduras trans – São produto de uma transformação industrial. São encontradas nos biscoitos doces e salgados, nos pães, nos doces, nos sorvetes e em tudo que leve gordura hidrogenada na composição. Ambas são altamente prejudiciais no processo de emagrecimento saudável, pois além de fazer mal a saúde também engordarm;
 
As mocinhas – gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas
Agora vem a parte boa: vamos falar das gorduras que você não só pode, como deve consumir sempre! O bom é que todos os alimentos que as possuem são deliciosos e é difícil encontrar alguém que não goste de pelo menos alguns da lista.
Independentemente de ser mono ou poli-insaturadas, essas gorduras são excelentes para o nosso organismo por ambas serem capazes de elevar os níveis de colesterol bom (HDL) no sangue, além de ajudarem a abaixar os índices de colesterol ruim (LDL). Nas dietas para emagrecimento elas também são muitíssimo bem vistas e bem vindas!
Gorduras monoinsaturadas – São as de origem vegetal. São encontradas no azeite extra virgem prensado a frio, nas azeitonas, nas castanhas, nas nozes, nas amêndoas e no abacate;

Gorduras poli-insaturadas – São encontradas nos alimentos que contém ômega 3 e 6, como os frutos do mar, os peixes de água fria, o óleo de coco, o óleo de linhaça, e as sementes oleaginosas;
Outras gorduras boas para o organismo – O bacon (sim, pode acreditar!), a manteiga natural e o leite de coco;
 http://slideplayer.com.br/slide/5592356/http://www.nutritotal.com.br/perguntas/?acao=bu&categoria=23&id=354

O Glicerol ou Termo Comercial, A Glicerina (Química)

 O glicerol é um composto orgânico que pertençe a função álcool, glicerina é um temo comercial para o produto com pureza acima de 95 %.

A glicerina ou glicerol ou 1,2,3-propanotriol, é um álcool alifático trivalente de fórmula molecular 
CH2OH-CHOH-CH2OH. 

 
 É um líquido viscoso, incolor, doce (aspeto xaroposo) e higroscópico ao ar. É miscível com a água e com álcool mas insolúvel em alguns solventes orgânicos como hidrocarbonetos, éteres e acetato de etilo.
A glicerina foi descoberta por Scheele, em 1779, que a obteve como um dos produtos da hidrólise do azeite. 
Gordura Vegetal

 
Esta encontra-se muito espalhada na Natureza sob a forma de ésteres dos ácidos gordos, denominados glicerídeos, que são os constituintes fundamentais das gorduras e dos óleos gordos. 

GLICÉRIDOS São misturas de ésteres onde temos: → parte alcoólica → glicerina ou propanotriol → parte ácida → ácidos graxos superiores O ║ H 2 C – O – C - R O ║ H C - O – C - R O ║ H 2 C – O – C - R 
Os glicerídeos representam os óleos e as gorduras naturais.  GORDURAS → ésteres de glicerina e ácidos graxos saturados.  ÓLEOS → ésteres de glicerina e ácidos graxos insaturados
  Na prática um glicerídeo é gordura. Quando na temperatura ambiente é um sólido e será um óleo quando for um líquido na mesma temperatura. 
Em termos industriais há o interesse em transformar óleo em gordura. Para isso, basta efetuar a hidrogenação catalítica - a margarina é um exemplo. 
 
A glicerina obtém-se como produto secundário na saponificação das gorduras, que quimicamente são ésteres dos ácidos carboxílicos superiores (fabrico de sabões, estearina, ácido oleico).
Sinteticamente, pode ser obtida a partir do propileno obtido quer no processo de cracking do petróleo, quer nas instalações de produção de coque. Logo, ela não vem dos animais.
A glicerina aplica-se sobretudo na obtenção de resinas alquídicas por reação com ácidos dibásicos, usadas em revestimentos. 

 
 Aplica-se também em preparações farmacêuticas e cosméticas, no tratamento do tabaco antes de ser elaborado de modo a evitar a sua fragmentação, na indústria alimentar no fabrico de xaropes e gelados, como lubrificante, como solvente, como anticongelante, como plastificante nos artigos de borracha e para a obtenção da nitroglicerina e da dinamite.
A esterificação da glicerina com ácido nítrico origina o trinitrato de glicerol, mais conhecido por trinitroglicerina, que é um poderoso explosivo usado no fabrico da dinamite.
Fonte: Infopédia


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Solubilidade (Química)

Chamamos de solubilidade, a capacidade de uma substância se dissolver em outra. 
Cada substância sólida – soluto –  tem uma quantidade máxima que pode ser dissolvida em cada líquido – solvente.
 A dissolução do soluto no solvente acontece quando ocorre a interação entre as moléculas de cada um deles. Por exemplo, quando uma substância iônica é dissolvida em água, os cátions da substância são atraídos pelo lado negativo da molécula da água, e os ânions pelos lados positivos. Este processo recebe o nome de hidratação.
 
Para que ocorra a dissolução, uma ou mais substâncias soluto se misturam de forma homogênea ao solvente em questão. Apesar de existirem soluções sólidas, as líquidas são mais comuns.

Solução

Solução é qualquer mistura homogênea composta por um solvente e um soluto, pelo menos. São exemplos a água, os refrigerantes e produtos de limpeza. Ao contrário do que muitos pensam, soluções não são apenas as líquidas, também podem ser sólidas como o bronze e gasosas como o ar atmosférico. Os componentes das soluções são o solvente e o soluto.
Solvente: qualquer substância capaz de dissolver os solutos é chamada de solvente.
Soluto: o soluto normalmente é a menor parte de uma solução, e é a substância dissolvida no solvente.




 
Entre as soluções, encontramos três tipos: as saturadas, que constituem corpo de fundo, ou seja, a quantidade de soluto é superior à solubilidade em determinada temperatura no solvente. Ou seja, há excesso de soluto em relação ao valor do coeficiente de solubilidade, refletindo desta forma na sobra de material – corpo de fundo. 
Para exemplificar, uma situação do dia a dia: quando adicionamos achocolatado em excesso ao leite e sobra achocolatado ao fundo do copo, a solução será saturada.
Insaturadas, ao contrário da anterior, são aquelas que contém uma quantidade menor de soluto se comparada à sua solubilidade naquela temperatura. Ou seja, colocamos menos achocolatado do que o leite pode dissolver, de forma que não sobre corpo de fundo e ainda possa ser adicionada uma quantidade.

Solução supersaturada é quando o solvente e o soluto estão em uma temperatura em que seu coeficiente de solubilidade é maior, e ao resfriar ou esquentar, assumem um valor de solubilidade menor. Como consequência do resfriamento ou aquecimento da solução, o soluto permanece dissolvido somente quando o processo é feito de forma cuidadosa. 
A solução torna-se instável, de forma que qualquer vibração pode precipitar o soluto em excesso que antes estava dissolvido.

Coeficiente de solubilidade

A quantidade de soluto necessária para saturar uma quantidade padrão de solvente a uma determinada temperatura, é chamada de coeficiente de solubilidade. Todos os solutos possuem uma quantidade limite que pode ser totalmente dissolvida em cada um dos solventes.
 Essa quantidade limite é a solubilidade de determinado soluto em determinado solvente.
 
 http://www.estudopratico.com.br/solubilidade/