"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Princípio do Vazio (Joseph Newton)

 
Uma das questões mais intrigantes da humanidade, como ser feliz? como conquistar meu sucesso pessoal e profissional? Qual o caminho a seguir? Que tal praticar o princípio do Vazio! Tens o hábito de juntar objetos inúteis neste momento, crendo que um dia (não sabes quando) poderás precisar deles.
Tens o hábito de juntar dinheiro só para não o gastar, pois pensas que no futuro poderá fazer falta. Tens o hábito de guardar roupa, brinquedos, sapatos, movéis, utensílios domésticos e outras coisas que já não usas há bastante tempo. E dentro de ti ? Tens o hábito de guardar o que sentes,broncas, ressentimentos, tristezas, medos, pessoas, etc. Mensagens de Power point e apresentações em pps com mensagens sobre a felicidade, motivação, auto estima e sucesso profissional, um upgrade para sua carreira, para sua vida, para seu ser.
 Existe somente um momento para ser feliz. Esse momento é o PRESENTE, e tem duração do instante que passa." (Autor Desconhecido). Já dizia a canção, quem sabe faz a hora, não espera acontecer, assim é a felicidade, enquanto muitos esperam, outros a buscam, tenha em mente que você é senhor de seu destino, que encontrando a motivação correta poderá vencer todos os obstáculos.
 
Princípio do Vazio (Joseph Newton) Tens o hábito de juntar objetos inúteis no momento, acreditando que um dia (não sabes quando) poderás precisar deles? Tens o hábito de juntar dinheiro só para não gastá-lo, pois no futuro poderá fazer-te falta? Tens o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usas há um bom tempo? E dentro de ti? Tens o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas, medos, tristezas ou outros sentimentos negativos? Não faças isso! Vai contra a tua prosperidade! É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem à tua vida. É preciso te desfazeres do que é inútil em ti e na tua vida, para que a prosperidade venha. A força desse vazio é que atrairá e absorverá tudo o que desejas. Enquanto estiveres material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades. Os bens precisam circular. Limpa as gavetas, os guarda-roupas, o quartinho lá do fundo, a garagem… a mente… Doa tudo aquilo que já não usas. A atitude de guardar um monte de coisas inúteis amarra a tua vida. Não são os objetos guardados que emperram a tua vida, mas o significado da atitude de os guardares. Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência. É acreditar que amanhã poderá faltar, e não terás meios de prover as tuas necessidades. Com essa postura, estás enviando duas mensagens para o teu cérebro e para a vida: primeira, não confias no amanhã e, segunda, acreditas que o novo e o melhor não são para ti, já que te contentas em guardar coisas velhas e inúteis. Desfaz-te do que perdeu a cor e o brilho e deixa entrar o novo em tua casa… e dentro de ti… As pessoas são solitárias porque constroem paredes ao invés de pontes. Que a prosperidade e a paz cheguem bem perto de ti! Sê feliz!clique aqui
bênçãos que nos são dadas para que aprendamos com elas. « post anterior | home | post seguinte » Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012 Princípio do Vazio (Joseph Newton) Tens o hábito de juntar objetos inúteis no momento, acreditando que um dia (não sabes quando) poderás precisar deles? Tens o hábito de juntar dinheiro só para não gastá-lo, pois no futuro poderá fazer-te falta? Tens o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usas há um bom tempo? E dentro de ti? Tens o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas, medos, tristezas ou outros sentimentos negativos? Não faças isso! Vai contra a tua prosperidade! É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem à tua vida. É preciso te desfazeres do que é inútil em ti e na tua vida, para que a prosperidade venha. A força desse vazio é que atrairá e absorverá tudo o que desejas. Enquanto estiveres material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades. Os bens precisam circular. Limpa as gavetas, os guarda-roupas, o quartinho lá do fundo, a garagem… a mente… Doa tudo aquilo que já não usas. A atitude de guardar um monte de coisas inúteis amarra a tua vida. Não são os objetos guardados que emperram a tua vida, mas o significado da atitude de os guardares. Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência. É acreditar que amanhã poderá faltar, e não terás meios de prover as tuas necessidades. Com essa postura, estás enviando duas mensagens para o teu cérebro e para a vida: primeira, não confias no amanhã e, segunda, acreditas que o novo e o melhor não são para ti, já que te contentas em guardar coisas velhas e inúteis. Desfaz-te do que perdeu a cor e o brilho e deixa entrar o novo em tua casa… e dentro de ti… As pessoas são solitárias porque constroem paredes ao invés de pontes. Que a prosperidade e a paz cheguem bem perto de ti! Sê feliz! clique aqui
bênçãos que nos são dadas para que aprendamos com elas. « post anterior | home | post seguinte » Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012 Princípio do Vazio (Joseph Newton) Tens o hábito de juntar objetos inúteis no momento, acreditando que um dia (não sabes quando) poderás precisar deles? Tens o hábito de juntar dinheiro só para não gastá-lo, pois no futuro poderá fazer-te falta? Tens o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usas há um bom tempo? E dentro de ti? Tens o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas, medos, tristezas ou outros sentimentos negativos? Não faças isso! Vai contra a tua prosperidade! É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem à tua vida. É preciso te desfazeres do que é inútil em ti e na tua vida, para que a prosperidade venha. A força desse vazio é que atrairá e absorverá tudo o que desejas. Enquanto estiveres material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades. Os bens precisam circular. Limpa as gavetas, os guarda-roupas, o quartinho lá do fundo, a garagem… a mente… Doa tudo aquilo que já não usas. A atitude de guardar um monte de coisas inúteis amarra a tua vida. Não são os objetos guardados que emperram a tua vida, mas o significado da atitude de os guardares. Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência. É acreditar que amanhã poderá faltar, e não terás meios de prover as tuas necessidades. Com essa postura, estás enviando duas mensagens para o teu cérebro e para a vida: primeira, não confias no amanhã e, segunda, acreditas que o novo e o melhor não são para ti, já que te contentas em guardar coisas velhas e inúteis. Desfaz-te do que perdeu a cor e o brilho e deixa entrar o novo em tua casa… e dentro de ti… As pessoas são solitárias porque constroem paredes ao invés de pontes. Que a prosperidade e a paz cheguem bem perto de ti! Sê feliz! clique aqui

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Que Frio é Esse (Trocas de Calor)

 
Caloria é a energia química produzida e armazenada em nosso corpo quando ingerimos e metabolizamos um alimento. Essa é a energia necessária para nossas atividades diárias tais como digestão, respiração, prática de exercícios, funcionamento do cérebro, batimento cardíaco, crescimento do cabelo e das unhas, etc.
Todos os alimentos possuem calorias, mas em diferentes quantidades. Os alimentos gordurosos (por exemplo, carnes gordas e lacticínios) são os que mais contêm calorias. Já os carboidratos, são os que possuem as calorias mais fáceis de serem absorvidas e metabolizadas, sendo fontes de energia muito boas.
Os principais alimentos energéticos são:
  • Gorduras, cujo metabolismo de 1 grama libera 9 Calorias.
  • Carboidratos e proteínas, cujo metabolismo de 1 grama libera 4 Calorias.
  • Álcool, cujo metabolismo de 1 grama libera 7 Calorias. 
Sinalizada com a abreviatura cal, é uma unidade de medida que define a quantidade de energia para elevar em 1ºC a temperatura de 1 grama (o equivalente a 1 mililitro) de água. Por exemplo, para aquecer 250 mililitros de água (aproximadamente 1 copo) de 20ºC para 21ºC, é necessário fornecer 250 calorias de energia. A caloria também é usada para mensurar o valor energético de um alimento.
Para isso, observa-se o aumento de temperatura que sua queima é capaz de provocar na água, usando aparelhos chamados calorímetros e bombas calorimétricas.
É importante notar que muitas tabelas nutricionais usam, equivocadamente, o termo caloria, quando deveriam trabalhar com quilocalorias (kcal), pois a medida de água usada nos cálculos está em quilo. Se a queima de uma porção de 100 gramas de certo prato provocar o aumento de 10ºC em 1 quilo (1 litro) de água, isso significa que o valor energético da porção é de 10 mil calorias (10 kcal) e não só 10 calorias. Outro desencontro ocorre com a informação da quantidade de energia diária que uma dieta requer. Não se trata de 2.500 cal, mas de 2.500 kcal. Ou seja, o valor correto é 2.500.000 calorias.
 
Calorimetria
Por que sentimos frio ou calor?
Por que ficamos todo arrepiado e trememos de
frio?
Quais são os mecanismos que geram, em nós, o
suor e qual a sua função?
E a febre?
Como o calor se transfere de um lugar para outro?

Bem, vejamos:
O frio
De início, devemos lembrar que o ser humano é um animal homeotérmico, ou seja, existe uma estreita faixa de temperaturas --- que fica ao redor dos 36,1oC --- dentro da qual nosso corpo consegue funcionar adequadamente, regulando as funções de nossas células; fora desta faixa, problemas graves podem ocorrer e até mesmo ocasionar a morte.
Para evitar que nossa temperatura corporal saia fora dessa estreita faixa, nosso organismo criou mecanismos de defesa.
Quando o ambiente está frio, e começamos a perder calor para ele, são acionados, de início, os horripiladores, pequeninos músculos que ficam na raiz de cada pelo que temos espalhados pelo corpo. Esse acionamento causa de imediato o conhecido arrepio, uma onda de trepidação muscular pelo corpo todo. A tremedeira, que logo depois se estende a outros músculos, é nossa primeira proteção, pois tremer é um processo mecânico para gerar calor.
Além disso, os pelos eriçados colaboram na retenção de uma camada de ar junto à pele e, como o ar é um bom isolante térmico, eis nosso primeiro agasalho natural. Quanto mais pelo, mais ar é aprisionado e tanto melhor será esse agasalho natural. Nas aves, tal agasalho é constituído pelas penas.
Outra proteção natural do corpo é o embolar ; fechamos as mãos, cruzamos os braços, encolhemos as pernas e curvamos o corpo --- tudo isso para diminuir a superfície externa exposta --- quando menor a superfície exposta, menor será a área pela qual o calor pode escapar para o ambiente.
Está percebendo porque, no frio, o gato dorme todo enrolado, os bois se juntam ao máximo e você se encolhe todo sob os cobertores? O segredo é diminuir a superfície exposta! Quando isto não for suficiente, teremos que apelar para os agasalhos --- eles engrossam as camadas de ar ao redor de nossa pele proporcionando maior isolamento térmico.
Cobertores não "esquentam" ninguém! Eles apenas aprisionam uma boa camada de ar ao nosso redor e, como o ar aprisionado é um bom isolante térmico, impede a perda de calor do corpo para o ambiente.

O calor
E quando sentimos calor?

Aí inverte tudo: agora é a vez do nosso corpo receber calor do ambiente que está mais quente do que nós próprios.
Que fazer para remediar este acréscimo exagerado de calor que recebemos do ambiente?
Ora, devemos dar um jeito de jogar calor para fora do corpo. Lá vem nossa proteção: o sangue intensifica sua técnica de fluir e passa a irrigar partes mais próxima da pele --- é aquele vermelhão que começamos a ver e sentir na pele --- como a camada protetora do sangue diminui (pois está mais próximo da epiderme), o calor pode mais facilmente se transferir dele para a superfície da pele e escapar para o ambiente.

O suor
Se isso ainda não é suficiente, lá vem mais proteção: entram em ação as glândulas sudoríparas. São glândulas em forma de tubos que se abrem na superfície da pele formando os poros --- elas expelem o suor --- e esse, ao evaporar retira mais calor da própria pele, esfriando-a.
Então:
Sentir frio é perder calor exageradamente.
Sentir calor é receber calor exageradamente.
Sempre é o calor que vai do lugar mais quente para outro mais frio. Frio não é coisa que entra ou coisa que sai --- frio é uma sensação ocasionada por perda de calor! --- não 'ondas de frio', há massas de ar frio que passam por nós e que retiram calor de nossos corpos ... e temos a sensação de frio!

A febre
Mesmo sendo animais homeotérmicos, há situações em que nosso organismo precisa de uma temperatura maior que a normal para seu bom desempenho e isso ocorre, por exemplo, quando somos atacados por microorganismos --- vírus e bactérias --- e nossas defesas internas ( glóbulos brancos e seu exército) precisam lutar contra eles para nos defender. Acontece que essas defesas são realizadas à custa de reações químicas, cuja eficiência aumenta com o aumento da velocidade com que se processam estas reações.
Sabe qual é um dos fatores que aumenta esta velocidade?
Sim, é isso mesmo, a temperatura!
Para ajudar os glóbulos no combate a essa invasão de microorganismos nosso organismo decide, nesta situação de guerra, aumentar a temperatura corporal bem acima dos 36,1oC. Está instalada a febre --- não é ela uma doença em si, mas a conseqüência de uma luta que está sendo travada em nosso benefício --- não é um problema, pelo contrário, é até um benefício, pois nos mostra que estamos equipados com mecanismos adequados de defesa. Pior seria se não tivéssemos febre! Ai os microorganismos acabariam conosco num piscar de olhos.
O problema aparece quando nosso organismo, em desespero de causa, continua a aumentar a temperatura corporal; as vezes, para além dos 40oC: ai o bicho pega! A temperatura passa a ser um problema seríssimo, pois aniquila nossas enzimas e nossas células podendo, mesmo, ocasionar a morte. Antes de chegar a tal situação, devemos fazer algo para baixar a temperatura. É ai que entram os medicamentos para controlar a febre, e não para acabar com ela ... e conosco!
O cobertor realmente nos esquenta?
Preliminares
O calor pode transmitir-se, de um local mais quente para outro mais frio, de três modos: condução, convecção e radiação. Ainda que os três  possam ocorrer de forma simultânea, um deles pode ter maior relevância, sobre os outros, em cada situação.



Como vimos, sentimos frio quando nosso corpo perde calor. Quando maior a rapidez dessa perda, maior será também a sensação de frio.
 Na perda de calor através da pele, a convecção contribui de forma decisiva. Esse modo de propagação do calor ocorre apenas com os fluidos (líquidos e gases) e pressupõe-se a existência de correntes (fluxos) no interior deles. Massas de fluidos a baixas temperaturas são substituídas por massas de fluido a maior temperatura que estão em contato com a fonte de calor. Esses movimentos do fluido produzem-se, em geral, como conseqüência de uma diferença de peso específico que o fluido quente apresenta em relação ao fluido frio. Devido a isso, o fator 'existência de gravidade' é preponderante nesse tipo de convecção.
Se em um recipiente transparente contendo água que está sendo aquecida acrescentarmos uma gotas de corante (figura abaixo, esquerda), poderemos observar facilmente as correntes de convecção. Elas se manifestam quando a água do fundo fica aquecida (menos densa) e sobe, dando lugar à água fria (mais densa) que desce da superfície.





Se colocarmos a mão logo acima de um radiador de calor (aquecedor elétrico) em funcionamento, notaremos a corrente de convecção determinada pela ascensão do ar quente.
Uma variante, denominada convecção forçada, tem lugar quando as correntes de convecção não são originárias por diferenças de densidades. Se forçarmos tais correntes, aumentamos a taxa de transferência de calor. Assim, se agitarmos com uma colher a água que estamos aquecendo, provocamos uma convecção forçada e o aquecimento ocorrerá com maior rapidez. De forma análoga, a colocação de um ventilador na frente do radiador de calor, fará com que o ambiente se aqueça mais rapidamente.
Uma convecção é um transporte de material quente para uma região fria e, sempre deverá haver algum fator (causa) para determinar tal movimento (efeito). Nos casos corriqueiros de aquecimento de líquidos a causa da convecção é a gravidade terrestre. Quando, mediante uma tenaz, levamos um carvão em brasa de uma churrasqueira para uma bacia com água e o trazemos de volta para a churrasqueira, seremos nós o responsável por essa corrente de convecção.

Uma das funções da roupa que vestimos é justamente dificultar as correntes de convecção, as quais ocasionariam perdas de calor. Os ventiladores que usamos no verão (muito longo, para meu gosto) para nos refrescar também é exemplo de convecção forçada.
Segurando-se uma das extremidades de uma barra de ferro (figura acima, direita) e mantendo a outra sobre o fogo, é provável que, a menos que a barra seja muito comprida, logo deveremos soltá-la para não queimar a mão. Através da barra de ferro, assim como no interior de qualquer outro sólido, o calor se propaga mediante um mecanismo denominado 
Resultado de imagem para condução termica gif
Condução. É uma transferência gradual de calor de partícula para partícula, no sentido da região quente para a fria. Os metais são excelentes condutores de calor enquanto que os tecidos com os quais nos vestimos e aqueles com os quais se fazem os cobertores são muito maus condutores. O próprio ar, em si, é mau condutor de calor.
Um cobertor, portanto, não nos "dá calor", apenas dificulta sua perda, primeiro por ser mau condutor de calor e segundo por dificultar as correntes de convecção do ar.
 
A radiação é o terceiro modo através do qual o calor pode propagar-se. Todos os corpos emitem e absorvem calor sob a forma de radiação eletromagnética. Em geral, quanto maior a temperatura da fonte térmica, maior será a quantidade de energia radiante emitida. Uma grande parte da energia disponível na Terra provém da radiação térmica solar.
Uma superfície que absorve bem a radiação incidente sobre ela, nós a reconhecemos como tendo cor preta. Ao contrário, uma superfície reconhecida como de cor branca, é aquela que não absorve praticamente nada da radiação que recebe.
http://www.feiradeciencias.com.br/sala18/18_05.asp
 http://novaescola.org.br/ciencias/fundamentos/caloria-432126.shtml

Linus Pauling

 Distribuição Eletrônica no Diagrama de Pauling

O químico americano Linus Carl Pauling foi um importante cientista e obteve durante sua carreira dois prêmios Nobel.

Em 1954, recebeu o Prêmio Nobel de Química por descobertas na área de ligações químicas. Este trabalho foi muito útil para descrever a estrutura e a forma dos átomos e das complexas moléculas de tecidos vivos.

Em 1962, recebeu o Prêmio Nobel da Paz, por sua luta contra a proliferação de armas atômicas. 



A vitamina C foi descoberta em 192 por outro cientista, mas foi Pauling quem descobriu a importância desta vitamina no tratamento da gripe.

Aos 41 anos de idade, descobriu uma doença nos rins, a Doença de Bright. Era considerada uma doença incurável na época. Tratou-se com um médico que indicava maior consumo de vitaminas e sais minerais e pouca ingestão de sal e proteínas.  

Em suas pesquisas, investigava a ação de enzimas e deu-se conta que as vitaminas podiam ter efeitos bioquímicos no organismo. Em 1968, Linus pauling publicou um artigo sobre psiquiatria ortomolecular.  Suas ideias não eram aceitas.

Um outro cientista apresentou a tese de que podia haver cura de doenças a base de altas doses de vitamina C. Assim, Pauling começou a ingerir vários gramas de vitamina C para prevenir resfriados. Estudou muito sobre o assunto: “Vitaminas e resfriado comum”.

   

Laranja e Kiwi: frutas que contêm vitamina C.

Trabalhou com um oncologista para estudar a relação da vitamina C com o câncer. Publicaram muitos artigos juntos. Ainda era muito criticado pelas pesquisas.

Desenvolveu dietas a base de elevadas doses de vitamina C como tratamento complementar contra o cancro. A ideia era usar a vitamina de forma prolongada para prevenir várias doenças.

Fundou um Intituto para continuar as investigações sobre a vitamina C. Estudou, nos seus últimos anos de vida sobre a ação da vitamina em agumas doenças.

Morreu aos 93 anos em 1994.

Desde 1966, Pauling tomava todos os dias 18g de vitamina C e em 1991 quando descobriu um câncer, ele sustentou a tese de que a vitamina C foi quem retardou o aparecimento da doença pelo menos 20 anos. Enquanto isso, todos achavam que ele estava com câncer, justamente porque tomava altas doses de vitamina C. 

Distribuição Eletrônica no Diagrama de Pauling

 Distribuição Eletrônica no Diagrama de Pauling

Segundo o cientista Schrödinger, cada elétron da eletrosfera de um átomo possui uma determinada quantidade de energia. Assim, cada elétron só permanece no nível e subnível de energia correspondente.

A distribuição desses elétrons em seus níveis e subníveis de energia é feita de forma crescente de energia. E sua representação gráfica é dada pelo Diagrama de Pauling, criado pelo químico Linus Pauling (1901-1994), que recebeu dois prêmios Nobel, um de Química (1954) e o outro da Paz (1962).

O diagrama de Pauling representa os níveis, que são as camadas eletrônicas do átomo. São sete níveis, enumerados de forma crescente do mais próximo ao núcleo para fora (1, 2, 3... 7) e, denominados, respectivamente, pelas letras K, L, M, N, O, P e Q.

Existem no máximo quatro subníveis, que são: s, p, d, f.

A quantidade de subníveis existentes em cada nível está esboçada abaixo:

Relacionando os níveis e os subníveis, obtemos o diagrama de eletrosferas representado acima.

A quantidade máxima de elétrons que pode ser distribuída em cada nível e subnível está evidenciada a seguir:

Quantidade máxima de elétrons em cada nível.

Quantidade máxima de elétrons para preencher cada subnível

Visto que, para um mesmo nível, os subníveis têm energias diferentes, nem sempre o subnível energético é o mais afastado do núcleo. Por isso, é importante seguir a ordem crescente de energia dos subníveis no momento de fazer a distribuição dos elétrons. Essa ordem é dada pelas setas indicadoras no Diagrama de Pauling:

A representação gráfica da distribuição eletrônica é dada pelo Diagrama de Pauling.

Portanto, veja exemplos de distribuição dos elétrons de dois elementos químicos:

Exemplo 1: Magnésio (12Mg)
Ordem energética da distribuição eletrônica do 12Mg: 1s2, 2s2, 2p6 e 3s2.

Distribuição eletrônica do magnésio no Diagrama de Pauling.

Exemplo 2: Vanádio (23V):
Ordem energética da distribuição eletrônica do 23V: 1s2, 2s2, 2p6,3s2, 3p6, 4s2 e 3d3.

Distribuição eletrônica do vanádio no Diagrama de Pauling.

Observe que, nesse exemplo, no último subnível preenchido (3d) cabiam 10 elétrons;  porém, apenas 3 foram necessários para completar o número atômico.
 

http://www.soq.com.br/curiosidades/c51.phphttp://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/distribuicao-eletronica-no-diagrama-pauling.htm

Tratamento de Água (Separação de Misturas)

 

Nem sempre a água própria para o consumo humano e para o abastecimento de uma população está em boas condições. A água pode estar contaminada ou poluída.
Contaminação = existência de seres vivos, como microorganismos e vermes provocando doenças. Exemplo: esquistossomos (verme que provoca a esquistossomose).
Poluição = existência de substâncias tóxicas em excesso. Exemplo: mercúrio e óleo.
O mercúrio (Hg) é um metal muito denso e venenoso que os garimpeiros usam nas margens dos rios para separar o ouro de outras partículas que vêm junto ou grudadas nele.
O óleo que é descartado pelos navios no mar impedem que as plantas realizem a fotossíntese.
Como a água chega nas casas?
A água é transportada dos mananciais ou represas até as estações de tratamento através de tubos muito grandes chamadas adutoras. Nas estações de tratamento, a água é purificada. Depois disso, ela é conduzida para outras tubulações que ligam às caixas d água e reservatórios que abastecem a cidade.
Todas as cidades precisam ter uma estação de tratamento porque os mananciais vêm com água imprópria para o consumo, muitas vezes contaminada ou poluída.
Estações de tratamento de água
Como a água dos mananciais pode estar com muitas impurezas, ela deve passar por uma estação de tratamento. Se esta água não for bem tratada pode provocar sérios problemas na saúde da população.
Alguns dos procedimentos gerais para o tratamento da água são: floculação, decantação, filtração e cloração.
A água chaga imprópria para o consumo na estação de tratamento. Primeiro ela passa por tanques que contém uma solução de cal (óxido de cálcio CaO) e sulfato de sódio (Al2 (SO4 )3 ). Essas substâncias reagem formando outra substância que é o hidróxido de alumínio (Al (OH)3 ).
O hidróxido de alumínio se deposita arrastando as impurezas sólidas em suspensão na água. Este procedimento é a floculação, nome dado devido à formação de flóculo.
Na etapa seguinte, a água vai para um tanque de decantação, onde as partículas que se formaram na floculação estão mais densas que a água e, portanto decantam neste tanque. Então, neste momento, a água já está um pouco mais limpa.
O próximo processo é a filtração, onde a água passa por um filtro com várias camadas de cascalho e areia e carvão ativado. Ao passar por estas camadas, ela vai deixando suas impurezas.
Depois de todos estes processos, a água ainda não está purificada. Ainda há microorganismos nela. Então ela deve passar por um depósito que contém cloro. O cloro (Cl) é uma substância que é capaz de matar os microorganismos presentes na água. Chamamos este processo de cloração.
Agora a água está própria para o consumo. Já está purificada. Ela fica em depósitos até ser distribuída para a cidade. 
 
Purificações
Há certos locais que não existem tratamento de água. Outros apesar de receber a água tratada preferem também purificá-la ainda mais.
Existem alguns métodos para a purificação da água, como por exemplo a purificação caseira (filtração, fervura, ozonização) e a purificação industrial (destilação).
 
SEPARAÇÃO DE MISTURA
Os componentes das misturas podem ser separados. Há algumas técnicas para realizar a separação de misturas. O tipo de separação depende do tipo de mistura.
Alguns dos métodos de separação de mistura são: catação, levigação, dissolução ou flotação, peneiração, separação magnética, dissolução fracionada, decantação e sedimentação, centrifugação, filtração, evaporação, destilação simples e fracionada e fusão fracionada.
Separação de Sólidos
Para separar sólidos podemos utilizar o método da catação, levigação, flotação ou dissolução, peneiração, separação magnética, ventilação e dissolução fracionada.
- CATAÇÃO – consiste basicamente em recolher com as mãos ou uma pinça um dos componentes da mistura.
Exemplo: separar feijão das impurezas antes de cozinhá-los.
- LEVIGAÇÃO – separa substâncias mais densas das menos densas usando água corrente.
Exemplo: processo usado por garimpeiros para separar ouro (mais denso) da areia (menos densa).
- DISSOLUÇÃO OU FLOCULAÇÃO – consiste em dissolver a mistura em solvente com densidade intermediária entre as densidades dos componentes das misturas.
Exemplo: serragem + areia
Adiciona-se água na mistura. A areia fica no fundo e a serragem flutua na água.
- PENEIRAÇÃO – separa sólidos maiores de sólidos menores ou ainda sólidos em suspensão em líquidos.
Exemplo: os pedreiros usam esta técnica para separar a areia mais fina de pedrinhas; para separar a polpa de uma fruta das suas sementes, como o maracujá.
Este processo também é chamado de tamização.
- SEPARAÇÃO MAGNÉTICA – usado quando um dos componentes da mistura é um material magnético. Com um ímã ou eletroímã, o material é retirado.
Exemplo: limalha de ferro + enxofre; areia + ferro
- VENTILAÇÃO – usado para separar dois componentes sólidos com densidades diferentes. É aplicado um jato de ar sobre a mistura.
Exemplo: separar o amendoim torrado da sua casca já solta; arroz + palha.
- DISSOLUÇÃO FRACIONADA - consiste em separar dois componentes sólidos utilizando um líquido que dissolva apenas um deles.
Exemplo: sal + areia
Dissolve-se o sal em água. A areia não se dissolve na água. Pode-se filtrar a mistura separando a areia, que fica retida no filtro da água salgada. Pode-se evaporar a água, separando a água do sal.
 http://www.soq.com.br/conteudos/ef/misturas/p1.php