"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

terça-feira, 31 de maio de 2016

Uso de Mídias na Educação

 

As ferramentas de mídia podem elevar os métodos de ensino a um outro patamar, muito mais eficaz.

 


 Uma educação comprometida com a formação integral do indivíduo deve dar conta de todas as dimensões do desenvolvimento humano e estabelecer-se como processo ao longo da vida. Nesse sentido, o repensar das práticas de ensino e aprendizagem e o reconhecimento de seus potenciais agentes, tempos e espaços torna-se fundamental para oportunizar outras possibilidades educativas, para além daquelas compartimentadas pelos tradicionais currículos escolares.

Com a tecnologia a todo vapor, passamos a ter algumas alternativas interessantes para a dinâmica do ensino nas escolas. A sala de aula que antes se resumia a alunos, professores, quadro, giz, mesas e cadeiras pode agora contar com novos elementos de multimídia.

A internet é uma ferramenta que permite inúmeras possibilidades de tornar a didática mais envolvente e assimilativa. Ela contém mecanismos que contribuem para captar a atenção do aluno de uma forma mais aguda e consequentemente aumentar as chances de um aprendizado de sucesso.

Compete às escolas e aos profissionais da área usufruírem desses avanços tecnológicos, visando melhorar cada vez mais o ensino do país. Eles são os agentes de transmissão de conhecimento, é o dever deles estarem por dentro dessas novas alternativas de complementar o ensino.

Obviamente o trabalho ortodoxo de ensino, à base de quadro e giz, continua com um grande valor. Mas, a linguagem audiovisual, proporcionada pelas mídias, só vem a colaborar com os métodos pedagógicos.

Per Christian Braathen é professor do Curso Mídias na Educação, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, e apresenta nesse curso as mídias que, além de entreter, divertir e informar, podem educar os alunos, se usadas corretamente. É necessário que o professor as conheça e consiga aplicá-las na sala de aula, dominando as técnicas de uso. 


Tipos de mídias

Os tipos de mídia são basicamente três: digital, eletrônica e a impressa. Vamos falar um pouco mais sobre cada uma:

Mídia digital: É baseada em tecnologia digital como a internet, os programas educacionais e os jogos de computador. Recentemente a TV digital adentrou a essa classe, tendo como principal característica a interatividade. Nessa categoria, o usuário pode filtrar as informações, visualizando apenas as que o agradam e pode enviar as suas próprias. É uma via de mão dupla, você recebe mas também pode fornecer conteúdo informativo.

Mídia eletrônica: Nessa categoria, enquadram-se a televisão, o rádio e o cinema, que se configuram como formas de comunicação unidirecional, ou seja, apenas passam informações e não permitem a interação com quem as está acompanhando. É o caso também dos DVDs e dos recursos audiovisuais.

Mídia impressa: É o formato de mídia mais antigo, é composta por elementos como jornais, revistas, mala-direta, fôlderes e catálogos. Resumindo, é todo tipo de material impresso que visa comunicar algo.
  Uso da internet no intuito de educar
O emaranhado de informações contidas na internet ao mesmo tempo que pode disseminar um rico conhecimento, pode transmitir também informações inverossímeis. Dessa forma, pelo fato da internet ser uma ferramenta extremamente abrangente, o seu uso requer orientação.

A filtragem de informações deve ser estratégica. Antes de considerar um conteúdo como viável de ser usado, pesquise em mais fontes. Sempre busque fontes com boa procedência e que sejam reconhecidas. Evite perder tempo com dados repetidos, banalidades, publicidade e coisas inúteis.

Como ferramentas interessantes para serem usadas na educação, podemos citar:
* Correio eletrônico (e-mail)
* Espaços de interação e discussão (Fóruns)
* Locais de conversa (Chats)
* Blogs
* Ferramentas colaborativas
* World Wide Web – navegação livre na internet

Com o suporte dessas ferramentas, o professor terá condição para desenvolver diversas formas de aprimorar a sua didática e consequentemente a aprendizagem dos alunos. Por exemplo:
* Auxílio à pesquisa e ao desenvolvimento profissional dos professores
* Recurso educacional para uma aprendizagem mais motivadora e abrangente
* Comunicação
* Realização de projetos em atividades compartilhadas
* Transmissão de conteúdos (apresentação de conteúdos e estímulo à interação)

Podemos notar que essas aplicações contribuem para melhorar a capacidade de professores e alunos de encontrar e associar informações, trabalhar em grupo e comunicar cada vez mais, de forma adequada.

A busca pela melhora da educação perpassa diretamente pela inclusão da tecnologia aos meios tradicionais de ensino. Procurem saber melhor as formas que possibilitam esses avanços.
Por: Victor Monteiro

quarta-feira, 25 de maio de 2016

A Química do Amor

 
Ah, o amor! Esse sentimento que transforma vidas, que traz uma explosão de sensações como euforia, desejos, confiança, contentamento, prazer, angústia, tristeza e tantas outras sensações que nos fazem por vezes até mesmo agir como tolos. Quando estamos apaixonados acontecem inúmeras explosões químicas dentro de nosso corpo. O beijo, o cheiro, o ciúme, o carinho, a primeira relação sexual; para todos esses momentos a ciência tem uma explicação e revelações espantosas.
 
O “amor” é um complexo fenômeno neurobiológico, baseado em atividades cerebrais, que incluem principalmente certas moléculas, denominadas de hormônios. Esse nome é de origem grega, significando “incitar”, exatamente porque os hormônios têm a função de levar mensagens químicas, coordenando as atividades de diferentes células em organismos multicelulares.
A química do amor ocorre em três fases principais:
 http://65.media.tumblr.com/tumblr_m2l8izYhvH1qkvdvvo1_r2_500.jpg
  • 1ª fase: Nessa fase as sensações e o desejo sexual são iniciados no corpo humano. Eles são despertados pela circulação dos hormônios sexuais, iniciada na adolescência: a testosterona nos homens e o estrogênio nas mulheres.
Fórmulas estruturais da testosterona e do estrogênio
Mesmo antes de encontrarmos o ser amado, quando ainda estamos procurando um parceiro, sentimos uma necessidade de formarmos pares, porque isso assegura a geração de descendentes e oferece um ambiente seguro que permita ao ser gerado poder amadurecer e tornar-se capaz de sobreviver sozinho.
  • 2ª fase:
Quando então nos apaixonamos, os compostos químicos que atuam em nosso cérebro nos fazem só pensar na pessoa amada. Veja algumas reações que ocorrem em nosso corpo:
O cheiro da pessoa amada é um bálsamo estimulante, quase uma droga que mexe com o cérebro e com o corpo. Isso ocorre porque as moléculas que emanam da pessoa vão pelo nariz e quando entram em contato com os hormônios olfativos, a informação é transmitida para o cérebro. Nesse momento sensações e memórias se fundem, o hipocampo registra a imagem do amado e determinado cheiro passará a sempre estar ligado à sua imagem.
Além disso, as moléculas do cheiro também revelam várias coisas a nosso respeito, como, por exemplo, como está a nossa saúde, hábitos, alimentação e nossa origem. Desse modo, o cérebro pode detectar a compatibilidade genética, ou seja, o nariz é capaz de escolher o melhor parceiro para a reprodução, que é aquele com genes imunológicos diferentes dos nossos, para que a próxima geração seja mais resistente a doenças.
 
Outro aspecto bioquímico relacionado ao cheiro é que a pessoa nesse estado excreta pelo cheiro substâncias químicas que permitem a comunicação e a atração com outro ser da mesma espécie. A essas substâncias é dado o nome de feromônios.
Os feromônios sexuais são comuns em animais e, principalmente em insetos; sendo utilizados para atrair o parceiro para a cópula e assim preservar a espécie através da procriação. Estudos controversos mostram que o ser humano também emite um tipo de feromônio sexual. Mas, segundo um levantamento feito pela revista Science de 2005, essa é uma das 125 questões ainda não respondidas pelos cientistas.
Quando vemos a pessoa amada as nossas pupilas se dilatam, o rosto fica vermelho, os batimentos do coração aceleram, nos arrepiamos, as mãos suam e os lábios ficam mais rosados. Isso ocorre porque o sangue corre pelos minúsculos vasos debaixo da pele, a temperatura de nosso corpo sobe e se produz mais noradrenalina, que é o hormônio que acelera o bater do coração.
No cérebro há uma explosão de reações causadas pelos neurotransmissores. Um deles é a dopamina, o neurotransmissor do prazer. Ao olharmos a pessoa, mesmo que seja só uma foto, temos uma sensação agradável, parecida com a de comer um doce, uma comida predileta ou mesmo uma droga. A serotonina é o hormônio que nos torna obcecados. Essas substâncias produzidas em nosso corpo são muito parecidas com drogas do tipo anfetaminas.
Fórmulas estruturais da dopamina e da serotonina
Visto que liberamos mais hormônios e neurotransmissores, o nosso comportamento é alterado, há uma desorganização em nosso cérebro, que o faz ficar confuso, por isso ficamos com aquele ar de “patetas”, estabanados, dizemos coisas sem sentido, interpretamos mal o que a pessoa nos diz e damos respostas desarrazoadas.
O carinho dado pelo toque é algo que também nos dá muito prazer, pois debaixo da pele, 1,5 milhão de receptores registram as sensações que são transmitidas para milhares de terminações nervosas.  O contato desencadeia uma corrente elétrica que viaja através da medula espinhal e chega ao cérebro, liberando mais endorfina. A endorfina atua no sistema límbico, que é a área do cérebro responsável pelo prazer.
A endorfina é liberada pelo toque, dando sensação e prazer
Mas, infelizmente, esses sentimentos intensos não duram para sempre. Aí é que entra a última fase do amor:
  • 3ª fase:
Essa é a fase de ligação, que é feita por dois hormônios que são liberados durante a relação sexual: a oxitocina (hormônio do carinho) e a vasopressina.
A oxitocina provoca contrações no músculo uterino e produção de leite; aparentemente está envolvida no relacionamento entre a mãe e o bebê.
Pode parecer ao casal que o amor se esfriou porque o organismo fica mais resistente e acostumado com a produção dos hormônios citados anteriormente. Mas não se preocupe, isso não significa que o amor acaba por aqui. Mas sim que um tipo diferente e mais duradouro de amor é estabelecido, não passageiro como a “paixão”.
 
Realmente, quando duas pessoas estão apaixonadas, existe mesmo química entre elas.

terça-feira, 10 de maio de 2016

A Química dos Refrigerantes


Razoes para deixar de tomar refrigerantes
O refrigerante é uma bebida popular por toda a parte e costuma acompanhar pipoca, pizza,hambúrguer com batata-frita etc. Este é um dos motivos porque tantas pessoas associam o refrigerante a uma má alimentação e não faltam teorias sobre os males que ele causa à saúde. Por outro lado, é recomendado para auxiliar nos processos digestivos e para quem está enjoado. Como explicar este
paradoxo?
Testando o pH da água e do refrigerante
A acidez em líquidos é medida utilizando a escala de pH. Um valor mais próximo de 1 indica mais acidez, valores mais perto 10 indicam alcalinidade e 7 é considerado um valor neutro. A água doce é a substância mais próxima ao neutro, pairando um pouco acima ou abaixo de 7. Os diversos fluidos corporais ficam entre 4,5 e 7,5 de pH, com o sangue ligeiramente alcalino, a 7,35 a 7,45 de pH. O nível de acidez médio em diferentes refrigerantes é de aproximadamente 3 pH – altamente ácido.
A sigla HFCS deriva do inglês high-frutose corn syrup. (N.T.)
 O HFCS é do mal, não significa que se possa colocar uma auréola sobre todos os outros tipos de açúcar. Não, porque ainda temos em nossa alimentação muitos tipos não derivados de milho.
O americano ingere mais de trinta colheres (chá) de açucares por dia – isso é mais de 50,7 quilos ao ano!
A OMS recomenda não mais que 10 colheres (chá) por dia, ou 48 gramas.
Eu recomendo que você mantenha a ingestão no nível mais baixo possível. 

Açúcar                                    Frutose                  Suco de Fruta concentrado
Açúcar Bruto                           Galactose               Xarope
Açúcar de beterraba                 Glicose                  Xarope de Arroz
Açúcar de Uva                         Lactose                  Xarope de Milho
Açúcar Invertida                      Malte                     Xarope de Malte
Açúcar Mascavo                       Maltose                 Xarope de Milho invertido
Adoçante de Milho                    Mel                      Xarope de bordo
Caldo de cana evaporado          Melaço
Açúcar Cristal                          Sacarose

Refrigerante HFCS

O HFCS, também conhecido como xarope de milho de alta frutose, é um produto químico sintético feito a partir do milho. Esta substância pode ser preservada com mais facilidade que o açúcar natural, além de ser mais barata para se fabricar e é encontrada em quase todos os refrigerantes e doces no mercado hoje em dia. O nível médio de acidez de um refrigerante com HFCS, como Coca-Cola ou Pepsi é de 2,5 pH. Isso é extremamente ácido, considerando a água de torneira que tem um nível de pH de 7,5 – quase neutro na escala de pH.

Refrigerante diet

Refrigerantes diet possuem um nível de pH um pouco menos ácido, de 3 a 3,5. No entanto, isso não faz dos refrigerantes diet mais seguros para se beber. O nível médio do pH no sangue deve manter-se dentro de uma faixa alcalina de 7,35 a 7,45 pH. Beber refrigerantes com HFCS ou diet altera a composição química do sangue, aumentando os níveis ácidos. Em resposta, o corpo utiliza minerais como o cálcio dos ossos para absorver os ácidos. O perigo ocorre quando você bebe refrigerante com frequência, esgotando os minerais e aumentando o nível de pH do seu corpo – uma condição que tem sido associada ao aumento do risco de câncer e outras doenças que requerem altos níveis de ácido para prosperar.

Refrigerantes menos ácidos

Mug Root Beer, Diet 7-Up, Diet Mountain Dew, Coca-cola e Sprite diet possuem os mais baixos níveis de pH ácido dos refrigerantes testados, com 4,038, 3,706, 3,365, 3,298 e 3,289, respectivamente. Os refrigerantes com mais acidez, Mountain Dew, 7-Up, Diet Dr. Pepper e Slice Orange, têm níveis de pH variando entre 3,229, de 3,202 a 3,169 e 3,059.

Refrigerantes mais ácidos

Abaixo do nível 3 pH, Pepsi Diet, Lemon Nestea, Dr Pepper, Squirt, Lemon Brisk, Pepsi, Coca-Cola e Cherry Coke têm altos níveis de acidez, 3,031, 2,969, 2,899, 2,898, 2,868, 2,530, 2,525 e 2,522 níveis de pH, respectivamente. O rei da acidez, RC Cola, possui um nível de 2,387 pH.

Danos dos refrigerantes para a saúde
Mesmo que não saiba porquê, sabe com certeza que os refrigerantes não fazem bem à saúde. Sem valor nutricional, essa bebida açucarada engorda, conduz à obesidade e diabetes, além de vários outros males raramente mencionados. Veja estas 7 razões para passar a tomar sumos, chá ou bebidas mais saudáveis:
  • Envelhecimento precoce
Seja que tipo for, normal ou light, todas as colas contêm ácido fosfórico que lhes dá um sabor típico e aumenta a duração na prateleira. Embora o ácido fosfórico esteja presente noutros alimentos, em excesso provoca problemas cardíacos e renais, perda muscular, osteoporose e envelhecimento precoce.
Um estudo em 2010 revelou que os níveis de fosfato encontrados em refrigerantes fizeram com que ratos de laboratório morressem cinco semanas mais cedo do que os ratos cujas dietas tinham níveis normais de fosfato. Mais grave ainda é a tendência preocupante das últimas décadas para os fabricantes de refrigerantes aumentarem os níveis de ácido fosfórico.
  • Risco de cancro
O corante artificial adicionado nas Pepsi, Coca Cola e noutros refrigerantes com caramelo contem substancias que tem provocado cancro em experiências laboratoriais com animais entre as quais 4-metilimidazol. De acordo com estudos, apenas 16 microgramas por pessoa por dia de 4-metilimidazol é suficiente para aumentar o risco de cancro. Qualquer refrigerante cola contêm 200 microgramas por 570 ml.
  • Dentes podres
Uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55 mg de cafeína, além de estar carregada de corantes artificiais e sulfitos
Dentistas até deram nome de refrigerante a uma condição de proliferação de cáries que se verifica cada vez mais em crianças nos EUA (Mountain Drew Mouth)
  • Problemas de memória
Um ingrediente chamado óleo vegetal bromado, ou BVO, adicionado aos refrigerantes para garantir que a manutenção do aroma, é um produto químico usado industrialmente para retardar chamas em plásticos. Conhecido por causar distúrbios de memória e do sistema nervoso quando consumido em excesso, pensa-se que este tóxico se acumula na gordura do corpo, provocando infertilidade, lesões musculares e cardíacas.
  • Ansiedade, compulsão e insónia
A extrema acidez dos refrigerantes, sendo necessários 30 copos de água para a neutralizar, pode danificar os rins levando ao cansaço ansiedade e insónia. Além disso, uma vez que os ossos funcionam como reserva de minerais que são despejados no sangue para ajudar a neutralizar a acidez, os refrigerantes enfraquecem-nos e contribuem para doenças como osteoporose e obesidade.
  • Latas Tóxicas
A maior parte das latas de refrigerantes em alumínio levam uma resina chamada bisfenol para impedir que os ácidos do refrigerante reajam com o metal. Esta substância tem sido associada a cancro, infertilidade e obesidade. Apesar de alguns dos fabricantes estarem em processo de investigação de soluções alternativas, ainda nenhuma das empresa retirou esta substância das latas de alumínio.
  • AminoSweet. nos refrigerantes diet
Para além dos inconvenientes dos outros refrigerantes, as versões diet contêm aspartame, conhecido por AminoSweet. Esta substância está associada a ataques de pânico, compulsão alimentar, defeitos à nascença, cegueira, tumores cerebrais, tonturas, epilepsia, fadiga, enxaquecas, perda auditiva, palpitações cardíacas, hiperactividade, insónia, dor nas articulações, deficit de atenção, infertilidade e inclusive a morte
 http://www.ehow.com.br/niveis-acidez-diferentes-refrigerantes-info_135236/

sábado, 7 de maio de 2016

Nanoputians ou Nanokids A Graça da Química

"Guerreiro NanoKid": o boneco também ganhou escudo, capa e espada nos desenhos dos candidatos do Enem 2013.

Introdução:Macromoléculas
Dentro da Química Orgânica, estudamos moléculas de tamanho relativamente pequeno e também as moléculas grandes. Para estas moléculas damos o nome de macromoléculas

As macromoléculas também podem ser chamadas de polímeros
Elas dividem-se em macromoléculas naturais e sintéticas.
As macromoléculas naturais são biomoléculas fundamentais para todos os seres vivos, que são os glicídios, os lipídios e as proteínas. 
As macromoléculas sintéticas são a base para a fabricação dos plásticos.

Glicídios
Os glicídios são compostos que possuem função orgânica mista poliálcool-aldeído ou poliálcool-cetona, dentre outros compostos, que ao sofrerem hidrólise resultam em poliálcool-aldeído ou poliálcool-cetona.
Exemplos:
A palavra glicídios vem do grego glicos que significa doce. São os açúcares, desde o mais comum até os mais complexos, como o amido e a celulose. São produzidos em vegetais através da fotossíntese  transformado no processo de respiração. 
São fonte de glicídios a farinha, o açúcar, o papel, o mel, as frutas, o pão, etc.

     
Os glicídios se classificam em oses e osídios. As oses ou monossacarídios são os glicídios que não se hidrolisam. Os osídios são glicídios mais complexos que se hidrolisam. 
Os principais glicídios são:
- glicose
- frutose
- sacarose
- lactose
- celulose
- amido
- glicogênio

Glicose
A glicose também pode ser chamada de glucose, dextrose ou açúcar de uva. É uma aldo-hexose, com fórmula química C6H12O6. pode ser encontrada nas uvas e em outras frutas. Na indústria é obtida pela hidrólise do amido.
É muito utilizada na Indústria de Alimentos, na fabricação de doces, balas, etc.
Frutose
É uma cetose e possui fórmula molecular C6H12O6. Pode ser encontrada no mel e em muitas frutas. 
É também chamada de levulose. Pode ser obtida através da hidrólise de um polissacarídeo, a inulina.

Nanoputians são uma série de moléculas orgânicas cujas as fórmulas estruturais parecem humanas. Tour, Ruths e Chanteau da Rice University sintetizaram estes compostos em 2003 como uma parte de uma seqüência de educação química para jovens estudantes, fazendo com que as moléculas orgânicas ficassem mais atraentes e engraçadas, facilitando assim, o aprendizado. 
Genericamente, estes compostos são conhecidos como NanoPutians. Este nome deriva da conjugação de “nano” que significa 1/1000000000 e “liliputiano” em alusão aos minúsculos habitantes de Liliput, ilha fictícia do romance “As viagens de Gulliver”.
Os compostos consistem em dois anéis de benzeno conectados através de alguns átomos de carbono como o corpo, quatro unidades cada um do acetileno que carring um grupo de aquila em suas extremidades que representam as mãos e os pés e um anel de 1,3-dioxolane como a cabeça. A construção das estruturas depende basicamente do acoplamento de Sonogashira. Substituindo uma das peças do 1,3-dioxolane, com estruturas apropriada no anel, vários tipos de putians foram sintetizados, por exemplo NanoAtleta, NanoPilgrim, NanoGreenBeret e etc. 
Foi escolhido como modelo ou esqueleto de base o chamado “NanoKid”. O grupo funcional utilizado para a parte da cabeça de NanoKid é o chamado grupo acetal. A fórmula estrutural deste composto, com dois átomos de oxigénio que parecem olhos dá-lhe uma aparência humana. 

As moléculas antropomórficas fazem parte de um programa educacional do Texas. O mesmo grupo produziu um DVD que mistura Rap e ciência.
Veja abaixo as fórmulas estruturais simplificadas, bem como os nomes usuais e oficiais de alguns compostos... únicos.

545047_374124129309341_327633974_n
O esquema abaixo mostra as reações para a constituição do Nanokid, outra estrutura já bastante conhecida em virtude da sua semelhança a uma pessoa.
251847_375146889207065_481936860_n
http://www.agracadaquimica.com.br/index.php?&ds=1&acao=quimica/ms2&i=8&id=677http://aspiracoesquimicas.net/2012/06/estruturas-organicas-interessantes.html/
http://www.soq.com.br/conteudos/em/macromoleculas/

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Antártida, a Chave para o Futuro da Humanidade.



 Base brasileira na Antártida.
 

As chaves para responder às perguntas mais básicas da humanidade estão encerradas neste congelador continental do tamanho dos EUA mais a metade do Canadá: de onde viemos? Estamos sós no Universo? Qual é o destino de nosso planeta em aquecimento?
 
Os primeiros exploradores chegaram à Antártida há 194 anos, buscando riquezas do século 19 como peles e óleo de baleia e foca, tingindo com sangue as ondas do oceano. Desde então, o primeiro continente formado demonstrou ser uma arca de tesouros para os cientistas que tentam determinar tudo, desde a criação do cosmo até o quanto as águas se elevarão com o aquecimento global.
"É uma janela para o Universo e o tempo", disse a cientista Kelly Falkner, chefe do programa polar da Fundação Nacional para as Ciências dos EUA.
 
Durante cerca de 12 dias em janeiro, no meio do gelado verão antártico, a agência de notícias Associated Press acompanhou cientistas de diferentes áreas em busca de criaturas de forma alienígena, de pistas de contaminação presas no antigo gelo, restos do Big Bang, peculiaridades biológicas que pudessem conduzir potencialmente a melhores tratamentos médicos e, talvez o principal, sinais de um derretimento incontível. A travessia em um barco da marinha chilena ao largo das ilhas Shetland do Sul e da vulnerável península Antártica, que sai do continente como um dedo fraturado, foi de 1.340 quilômetros (833 milhas) e permitiu que a equipe da AP desse uma olhada em primeira mão neste continente vital.
 
A Antártida reúne imagens de montanhas silenciosas e brancas planícies, mas o mais frio, seco e remoto dos continentes não está adormecido. Cerca de 98% de sua superfície estão cobertos de gelo, o qual está em constante movimento. Sendo um vulcão ativo, a ilha Decepção é um cadinho de condições extremas. Há lugares onde o mar ferve a 100 graus centígrados, enquanto em outros pode estar abaixo de 0 grau. Embora o sol raramente brilhe nos escuros invernos antárticos, parece que a noite nunca chega nos dias de verão.
 
Navio russo levantou questão sobre turismo no continente branco Andrew Peacock/Footloosefotography.com/AFP Photo
Os turistas vêm à Antártida por sua beleza e distância, mas para os cientistas tudo é trabalho. O que encontrarem poderá afetar a vida de pessoas a milhares de quilômetros de distância. Se os especialistas estiverem certos e a plataforma de gelo da Antártida ocidental já começou a derreter de maneira irreversível, o que ocorrerá aqui determinará se cidades como Miami, Nova York, Nova Orleans, Guangzhou, Mumbai, Londres e Osaka terão de combater de forma regular as inundações causadas pelo aumento do nível dos mares.
 



Ralph Timmermann, Alfred Wegener Institute
O metano estaria preso no gelo da Antártida e seria liberado para atmosfera caso as temperaturas aumentem
A Antártida "é grande e está mudando. Isso afeta o resto do planeta, e não podemos nos dar o luxo de fazer vista grossa ao que acontece lá", disse David Vaughan, diretor de ciência do Centro de Pesquisas da Antártida do Reino Unido.
Com frequência os cientistas encontram algo diferente do que procuravam. No ano passado, pesquisadores calcularam que o gelo no lado oeste do continente estava derretendo mais rápido que o previsto. No mês passado, cientistas que realizavam pesquisa geológica vital desse derretimento observavam 800 metros sob o gelo, na mais profunda escuridão, e tiveram uma surpresa: peixes de 15 centímetros de comprimento e criaturas semelhantes a camarões nadavam ao lado de suas câmeras.

 
Richard Spikings
Os geólogos estão fascinados pelos segredos da Antártida. Em uma recente expedição científica comandada pelo Instituto Antártico Chileno, Richard Spikings, um geólogo pesquisador da Universidade de Genebra, na Suíça, usou um enorme martelo para coletar amostras de rochas das ilhas Shetland do Sul e da península Antártica. Curiosos membros de uma colônia de pinguins no cabo Leogoupi observavam enquanto ele golpeava pedaços de granito preto e diorita que sobressaíam do mar meridional. Perto do fim da viagem de duas semanas, seus colegas começaram a chamá-lo de "Thor", em tom de brincadeira.
"Para compreender muitos aspectos da diversidade de animais e plantas, é importante entender quando os continentes se separaram", disse Spikings. "Assim, também estamos aprendendo sobre a verdadeira idade da Terra e sobre como os continentes estavam configurados há um bilhão de anos, há 500 milhões de anos, há 300 milhões de anos", comentou.
 
Ele acrescentou que essa compreensão o ajudará a entender o papel fundamental da Antártida no vaivém dos antigos supercontinentes. Com nomes como Rodinia, Gondwana e Pangea, os cientistas acreditam que eram enormes massas de terra que fizeram parte da história do planeta e que se uniam periodicamente com o movimento das placas.
 
Como não existe indústria local, qualquer rastro de contaminação preso no gelo e neve antigos provém de substâncias químicas que vieram de longe, como o chumbo que era encontrado no gelo até que foi eliminado da gasolina, ou os níveis de radiação de testes nucleares superficiais realizados a milhares de quilômetros e há muitos anos pelos EUA e a União Soviética, comentou Vaughan.
O gelo indica como os níveis de dióxido de carbono -- o gás que retém o calor na atmosfera -- variaram ao longo de centenas de milhares de anos.
 
É também o lugar onde um buraco na camada de ozônio, causado por gases refrigerantes e aerossóis feitos pelo homem, estaciona periodicamente por alguns meses e causa problemas. Ele surge quando a luz do sol volta à Antártida em agosto, provocando uma reação química que destrói as moléculas de ozônio e causa um buraco que alcança seu tamanho máximo em setembro. Ele se fecha com o clima mais quente em novembro.
Explorar a Antártida é algo que o chileno Alejo Contreras, 53 anos, começou a sonhar durante sua juventude, depois de ler o diário de Robert Falcon sobre sua travessia ao Polo Sul. Quando Contreras finalmente chegou ao Polo Sul, em 1988, deixou de fazer a barba, que agora alcança seu peito, e anda sem rumo fixo, como suas explorações.
A Antártida é "como o congelador do planeta", disse Contreras, que comandou 14 expedições ao continente. "E nenhum de nós se atreveria a sujar o gelo."
 
 Nasa testa nova roupa espacial, para uso em missão para Marte, em base na Antártida
Devido à natureza virgem do extremo sul do mundo, quando um meteorito cai ali permanece intacto. Assim, os pesquisadores encontram mais meteoritos, muitas vezes do vizinho Marte, incluindo um descoberto há quase 20 anos que levou os cientistas inicialmente a pensar, de maneira incorreta, que haviam encontrado provas de que já houve vida em Marte. Este é um lugar com paisagens tiradas de um filme de ficção científica. A Nasa utiliza a localização remota do continente para estudar o que as pessoas teriam de enfrentar se visitassem Marte. O ar seco também é perfeito para que os astrônomos espiem o espaço profundo e olhem para o passado.
 
Durante uma viagem recente à ilha Decepção, Peter Convey, um ecologista do Centro de Pesquisas da Antártida do Reino Unido que visitou o continente durante 25 anos, suportou forte chuva, temperaturas congelantes e ventos de mais de 37 quilômetros por hora (20 nós) para coletar amostras de musgos esponjosos de cor verde e café, que crescem nas cinzas das montanhas de rocha negra da ilha vulcânica. Ele procurava chaves em sua genética para determinar o quanto a espécie havia evoluído na Antártida, isolada de outros continentes.
"Tive sorte e fui até a metade do continente, assim estive isolado do ser humano mais próximo por 400 ou 500 quilômetros", disse Convey. Nesse isolamento existem formas de vida raras, aumentando a esperança de que possa haver vida em outros ambientes extremos como Marte, o que inclusive há na atualidade, escondida sob o gelo da lua de Júpiter, Europa. "Este é um dos lugares mais extremos em que poderíamos esperar encontrar vida. E existe", indicou Ross Powell, um cientista da Universidade Northern Illinois, que em janeiro utilizou um submarino com controle remoto sob o gelo em uma parte diferente do continente, para decifrar o derretimento, quando viu peixes e crustáceos nadando ali.
Cerca de 4 mil cientistas chegam à Antártida para pesquisas no verão e cerca de 1 mil ficam para o duro inverno. Também há cerca de 1 mil pessoas alheias à ciência -- cozinheiros, motoristas, mecânicos, zeladores e o sacerdote da Igreja Ortodoxa mais meridional do mundo, situada no alto de uma colina rochosa na estação russa Bellinghausen. Mas a igreja na colina é uma exceção, um tênue raio de luz do mundo que existe ao norte. Para os cientistas, o que torna este lugar especial é o que há embaixo, que oferece uma janela para o passado e o futuro da humanidade.
"A Antártida, em muitos sentidos, é como outro planeta", disse José Retamales, diretor do Instituto Antártico Chileno, a bordo do barco da marinha que navega por Decepção e outras ilhas Shetland do Sul. "É um mundo completamente diferente."
Tradutor: Luiz Roberto Mendes Gonçalves 
 http://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2015/02/22/cientistas-buscam-na-antartida-a-chave-para-o-futuro-da-humanidade.htm

terça-feira, 3 de maio de 2016

Ética Profissional Talento em Pauta

 
A ética profissional pode ser entendida como o conjunto de práticas que determinam a adequação no exercício de qualquer profissão. É através da ética que se dão as relações interpessoais no trabalho, visando, especialmente, o respeito e o bem-estar no ambiente profissional.
Quando falamos em ética, é importante lembrar que ela é inerente à vida humana, ou seja, é indispensável ser ético para conviver em sociedade. É através dela que se pratica o respeito aos demais. Portanto, dentro do ambiente de trabalho ela é ainda mais importante. Afinal, atitudes inadequadas podem, com certeza, afetar o desempenho e a reputação de uma empresa.
 
Há várias pessoas que não se importam com a ética, apenas se preocupam com si mesmas e em uma forma de conquistar algo, e neste processo muitos passam por cima de uma boa conduta. O simples fato de sonegar um imposto é visto como um ato antiético pela sociedade atual, mas passa como se não fosse, pois afinal tem-se a ideia de que se tal entidade faz isso, não tem problema se fizermos também – este processo pode ser definido como a naturalização de princípios antiéticos.
Muitas vezes somos tentados a decidir entre duas situações, onde geralmente uma nos favorece menos, porém é correto, e outras podem nos beneficiar de alguma forma, seja socialmente, financeiramente, mas não é o correto, e é nesses momentos em que somos tentados a agir de forma antiética.
Portanto, a ética define padrões sobre o que julgamos ser certo ou errado, bom ou mau, justo ou injusto, legal ou ilegal na conduta humana e na tomada de decisões em todas as etapas e relacionamentos da nossa vida. A ética procura prezar aos princípios individuais de cada pessoa, na qual cada grupo tem seus próprios valores, crenças e culturas. No entanto, ela compõe uma maneira dos quais esses grupos e indivíduos demonstram suas próprias ações.
 
Uma das principais razões pela qual os seres humanos se envolvem em comportamentos antiéticos é a sua natureza essencialmente competitiva e a busca predominante pela vantagem sobre algo ou alguém.
De acordo com Leite (2014, p.09):
Existe uma ética padrão?
Algumas profissões possuem conselhos responsáveis pela criação de códigos de ética específicos, como é o caso dos códigos de ética dos médicos, dos advogados, das engenharias etc. No entanto, estes códigos se referem a procedimentos e normas padrões das áreas, e são necessários por uma questão de segurança. Eles preveem penas disciplinares em lei para violações. No entanto, há comportamentos que devem ser adotados em qualquer que seja a área, por contribuírem para o bom funcionamento do trabalho.
O juramento, feito nas cerimônias de colação de grau de todos os cursos, não deixa de ser um código de conduta ético para cada uma das profissões. Como os códigos de ética, devem ser respeitados, caso contrário, geralmente implicam em danos à sociedade, consumidores, humanos ou empresas.
Quais são os principais fatores componentes da ética profissional?
Os elementos mais importantes da ética profissional são muito semelhantes aos da ética social. São eles:
1) Honestidade: É um preceito básico para a convivência tanto pessoal quanto profissional. Ser desonesto pode trazer consequências gravíssimas para a vida profissional de um indivíduo, como a demissão por justa causa, por exemplo – a depender da gravidade do fato. Falar sempre a verdade, não culpar colegas por erros seus e assumir falhas próprias são atitudes honestas e de valor para uma vida profissional ética e reta. 2) Sigilo: Dados confidenciais da empresa, dos colegas, dos superiores ou quaisquer outras informações relevantes, não devem ser compartilhadas fora da empresa – às vezes nem mesmo dentro dela. Alguns assuntos são confidenciais por segurança, e não é nada ético sair falando aos quatro ventos sobre coisas que não dizem respeito a determinados públicos. Informações sigilosas geralmente estão protegidas por lei e, caso algum funcionário quebre este protocolo, a pena é certa. 3) Competência: Ser competente não se resume apenas a ter talento para desenvolver uma tarefa. A competência envolve também o compromisso, a organização e a capacidade de ajudar os demais, tudo com a finalidade de realizar um bom trabalho de forma geral. 4) Prudência: Respeito às relações profissionais existentes dentro do ambiente de trabalho. Ter noção da hierarquia, cuidado com comentários, brincadeiras e atitudes que podem até mesmo ofender os demais. É importante ainda ter prudência na realização das tarefas, fazer tudo da forma mais correta possível, sem “atalhos” ou “jeitinhos”. 5) Humildade: Ser humilde não é fingir que aquele resultado não foi tão bom quanto parece, ou tentar se esquivar de elogios. Isso é falsa modéstia, e não é necessária. Humildade é perguntar quando há dúvidas, no caso do empregado. É ouvir os subordinados, no caso do líder. Ou, para ambos, reconhecer erros e aprender com eles. 6) Imparcialidade: Ponto importante quando se fala de ética. Tratar a todos de maneira igual, independentemente do cargo que ocupam. Ser imparcial é mais importante ainda para os gestores. Quando ocorrem erros ou problemas é preciso que não haja qualquer tipo de protecionismo. É comum as relações profissionais extrapolarem os limites do escritório e delas nascerem amizades, mas é imprescindível saber separar a relação pessoal da profissional. O foco deve ser sempre na atitude, no fato, no acontecimento, no resultado, e não na pessoa.
A ética profissional vale para todos, independentemente de cargo. Comportamentos antiéticos praticados por líderes invariavelmente abalam o clima organizacional, prejudicando o rendimento da equipe. Já quando o subordinado, membro de um grupo, é antiético, surge o descontentamento entre colegas, a quebra dos círculos de confiança e a diminuição do companheirismo e dedicação.
Não é difícil ser ético. Seja respeitoso e responsável, e com certeza o sucesso profissional ficará mais próximo de você.
 http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/talento-em-pauta/etica-profissional/