Welcome To My Blogger
O Blogger "Somos Físicos" aborda assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todas as postagens são pesquisas coletadas na internet.

Welcome To My Blogger

domingo, 20 de março de 2016

O Mar Morto(Jordânia e Israel)


O Mar Morto é um lago de água salgada do Oriente Médio. Com uma superfície de aproximadamente 650 km² em 2014, um comprimento máximo aproximado de 50 km e a uma largura máxima de 18 km, é alimentado pelo rio Jordão e banha a Jordânia e Israel.

flutuar mar morto

Sabia que é possível ler um livro, flutuando, no Mar Morto?

A água salgada é um pouco mais pesada que a água doce, pois ela contém minerais dissolvidos. E, enquanto os oceanos têm uma média de 35 gramas de sal por litro de água, o Mar Morto tem quase 300 gramas! Lá, portanto, a densidade da água salgada é muito alta e, por isso, é possível flutuar sem nenhum esforço físico.
MAR_MORTO
A superfície e às margens do Mar Morto, são 423 metros abaixo do nível do mar, tornando-a mais baixa altitude da Terra em uma região.
O Mar Morto tem 377 metros de profundidade, tornando-se o lago hipersalino mais profundo do mundo. Um lago hipersalino é um corpo sem litoral de água, que contém concentrações significativas de cloreto de sódio ou outros sais minerais, com níveis salinos superando o da água do oceano.
Com 33,7% de salinidade, o Mar Morto é um dos corpos de água mais salgados do mundo. Embora o Lago Assal (Djibouti), Garabogazköl e alguns lagos hipersalinos dos Vales Secos de McMurdo na Antártida (como Don Juan Pond), relataram salinidades mais elevadas.
Pedras revestidas de sal do Mar Morto
O Mar Morto é cerca de 8,6 vezes mais salgado do que o oceano. Esta salinidade faz dele um ambiente hostil em que os animais não podem procriar prosperar (daí o seu nome). A alta salinidade impedem os organismos aquáticos macroscópicas, peixes e plantas aquáticas de viverem nele.
Ele possui 67 km de comprimento e 18 km de largura em seu ponto mais largo, E é alimentado pelo Rio Jordão que banha a Jordânia e a Israel.
Conservacionistas tentam limitar o desenvolvimento no entorno do Mar Morto e impedir a construção de novos
A área do Mar Morto tornou-se um importante centro de pesquisa e tratamento de saúde por várias razões. O conteúdo mineral da água, o teor muito baixo de pólen, a radiação ultravioleta solar reduzida e a pressão atmosférica superior a esta grande profundidade, tem efeitos específicos na saúde.
8
Biblicamente o Mar Morto era um lugar de refúgio para o rei David. Foi um dos primeiros resorts de saúde do mundo (por Herodes, o Grande), e tem sido o fornecedor de uma grande variedade de produtos como bálsamos para mumificação egípcia e potássio para fertilizantes.

Uma característica incomum do Mar Morto é a descarga de asfalto. O Mar Morto constantemente “cospe” pequenos seixos e blocos da substância negra. Pedaços de asfalto  com figuras e crânios neolíticos de sítios arqueológicos já foram encontrados. Os adeptos da mumificação egípcia processam e importam esse asfalto da região do Mar Morto.
Vista aérea mostra que Mar Morto está secando. (Foto: AFP Photo/Menahem Kahana)
Vista aérea mostra que Mar Morto está secando. (Foto: AFP Photo/Menahem Kahana)
EIN GEDI, Israel – O Banco Mundial aprovou um plano de resgate para salvar o Mar Morto, que está secando a uma taxa de um metro ao ano, mas grupos ambientalistas argumentam que o plano resultará em desastre ecológico.
Após uma década de debates, o Banco Mundial confirmou em janeiro a viabilidade da construção de um canal entre o Mar Vermelho e o Mar Morto a um custo de US$ 10 bilhões.
No início do século 20, cerca de 2 bilhões de metros cúbicos de água por ano fluiriam para o Mar Morto, principalmente do Rio Jordão. Mas, diz Gidon Bromberg, diretor dos Amigos da Terra Oriente Médio, “hoje, 95% da água é tomada por Israel, Jordânia e Síria”.
Meirav Ayalon, porta-voz do Kibbutz Ein Gedi, diz, “Antes, o litoral marítimo em Ein Gedi Spa chegava à beira da estrada. Agora, você tem [de viajar] meia milha para alcançá-lo.”

Os Amigos da Terra, a Sociedade para a Proteção da Natureza em Israel e até mesmo o Ministério da Proteção Ambiental de Israel dizem que reabastecer o Mar Morto com água do Mar Vermelho poderia ter um efeito ruim.
Vista aérea das fontes quentes na costa israelense do Mar Morto, nas proximidades de Kibbutz Ein Gedi, em 10 de novembro de 2011 (Menahem Kahana/AFP/Getty Images)

Misturar a água rica em sulfato do Mar Vermelho com a água rica em cálcio do salgado Mar Morto pode resultar na precipitação de gipsita. Em outras palavras, poderia transformar o Mar Morto num giz branco.
O fosfato do Mar Vermelho e a diluição da água da superfície também poderia provocar um grande surto de algas.
“Todos os estudos têm mostrado que o projeto causará um enorme desastre ecológico, uma vez que produza uma camada de gesso e algas vermelhas”, disse Ayalon.
O Mar Morto – o lugar mais baixo do mundo, famoso por suas piscinas de lama negra e fotos icônicas de pessoas flutuando na água altamente salinizada – é um corpo d’água conturbado numa região conturbada.
O projeto do canal é louvado como um grande feito da cooperação entre a Jordânia, Israel e Palestina. O esforço conjunto é apoiado com entusiasmo pelo Ministério da Cooperação Regional de Israel.
O projeto incluiria usinas hidroelétricas e a maior instalação de dessalinização do mundo.
Em 2005, os parceiros pediram ao Banco Mundial que realizasse um estudo da viabilidade do plano, que eles esperam que estabilize o nível do Mar Morto e o abastecimento da região com água potável e energia elétrica.
Nas últimas décadas, o abastecimento de água de Israel dependeu do Lago Kinneret (também conhecido como Mar da Galileia), ao norte do Mar Morto. Agora, ele está se tornando mais dependente de água dessalinizada do Mar Mediterrâneo. Bromberg sugere que mais água seja utilizada do Mediterrâneo para dar ao Lago Kinneret a chance de se repor integralmente.
Kinneret segue um curso natural para o Mar Morto. Se o nível da água subir em Kinneret, diz Bromberg, isso ajudará a reabastecer o Mar Morto.
Bromberg também exorta aos governos de Israel e da Jordânia a restringirem o uso corporativo da água, que está esgotando o Rio Jordão e consequentemente o Mar Morto. Ele acrescenta que a indústria de potássio não tem incentivo para operar com menos água.
“Se Israel e Jordânia exigirem que as empresas paguem por cada metro cúbico [de água] e controlarem a quantidade de água consumida”, diz Bromberg, as empresas desenvolverão tecnologia alternativa que exija menos água.
Ele sugere uma combinação de dessalinização da água do Mar Mediterrâneo, reutilização da água tratada e limitação do uso corporativo da água para aliviar a pressão sobre o Mar Morto e deixá-lo reabastecer-se por meio de suas fontes naturais.

Jovens palestinos, com o corpo coberto com a terra preta do Mar Morto, caminham com uma senhora em 12 de setembro de 2010 (Abbas Momani/AFP/Getty Images)
Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.
https://tabernadozezim.wordpress.com/2013/08/02/algumas-curiosidades-sobre-o-mar-morto-10-fotos/

Um comentário:

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.