Welcome To My Blogger
O Blogger "Somos Físicos" aborda assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todas as postagens são pesquisas coletadas na internet.

Welcome To My Blogger

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Nosso Suor Sagrado ( Ciência e Saúde)


suor é um líquido produzido pelas glândulas sudoríparas que se localizam na derme. Em nosso corpo há cerca de dois milhões de glândulas sudoríparas distribuídas em todas as regiões, exceto nos mamilos, lábios e órgãos genitais, sendo que a maior parte delas se localiza no rosto, palma das mãos e planta dos pés. A glândula sudorípara possui uma parte espiralada onde o suor é produzido e um ducto longo liga a glândula à abertura ou ao poro, na superfície da pele. As células nervosas do sistema nervoso simpático se conectam às glândulas sudoríparas, que são classificadas como: glândulas écrinas e glândulas apócrinas.As glândulas écrinas são encontradas em todo o corpo, mas principalmente na palma das mãos, planta dos pés e testa. São glândulas pequenas, ativas desde o nascimento da pessoa.
As glândulas apócrinas podem ser encontradas em todo o corpo, mas principalmente sob os braços (axilas), e na região genital-anal. Essas glândulas terminam em folículos capilares, e não em poros. São glândulas grandes que setornam ativas somente na puberdade e são ricas em proteínas e ácidos graxos, que dão ao suor um aspecto espesso e amarelado. Isso justifica o aparecimento de manchas amareladas nas roupas, na região das axilas. Quando suamos, as bactérias presentes na pele começam a metabolizar as proteínas e os ácidos graxos presentes no suor, assim elas produzem substâncias que possuem um odor desagradável, como o ácido isovalérico e a androsterona.

A distribuição das glândulas apócrinas depende de características etárias e raciais. Em crianças, as glândulas apócrinas ainda não estão desenvolvidas, por isso o suor das crianças não tem mau cheiro como o dos adultos. Índios e pessoas de raça amarela possuem pequena quantidade de glândulas apócrinas, enquanto que europeus e negros possuem essas glândulas em grandes quantidades.



suor é composto principalmente de água, mas podemos encontrar outras substâncias retiradas do sangue pelas glândulas sudoríparas, como ureia, ácido úrico e cloreto de sódio. Alguns alimentos e medicamentos, como alho, cebola, antibióticos, vitaminas e algumas toxinas, podem ser eliminados pelo suor.


O suor tem a função de refrigerar o corpo, de forma que ele não esquente muito. Suando, o nosso corpo se livra do excesso de calor produzido pelo metabolismo ou pelo esforço muscular. 
Quando fazemos algum esforço físico, a atividade muscular faz com que se produza muito calor e a temperatura do corpo aumente. Então, por meio do suor, o corpo consegue se resfriar reduzindo a temperatura, contribuindo para a manutenção da temperatura corporal.Alterações hormonais, como menopausa e doenças da tireoide; e emocionais(ansiedade, medo, dor), também influenciam na produção de suor. “Neuro-hormônios, como o cortisol, secretados em situações de estresse e ansiedade, interferem no funcionamento das glândulas sudoríparas écrinas e apócrinas, aumentando a transpiração, independente da temperatura externa”, explica a dermatologista Denise Steiner, presidente da Comissão de Ensino da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Regional de SP.


A hiper-hidrose localizada é a produção exagerada de suor nas palmas das mãos, plantas dos pés ou nas axilas. Na hiper-hidrose generalizada ocorre aumento da transpiração por todo o corpo. Ainda não se sabe ao certo a sua causa, mas é possível que ocorra em virtude de alguns fatores como desequilíbrios hormonais, problemas na tireoide e hiperatividade do sistema nervoso simpático. “É possível, ainda, ser consequência de doenças que ativam o sistema nervoso simpático (hipertensão, por exemplo) ou infecções, problemas pulmonares, cardíacos e metabólicos, como o diabetes”, explica Rogério Silicani Ribeiro, especialista em Endocrinologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e pós-graduando na Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Em algumas doenças metabólicas, como o hipertireoidismo ou a hipoglicemia, a sudorese excessiva pode ser o único sintoma percebido pelo paciente”, completa Ribeiro.



Algumas medidas sugeridas por dermatologistas podem ajudar a resolver o problema da hiper-hidrose.

• Manter axilas e virilhas depiladas ajuda na evaporação do suor e impede o mau cheiro causado pelas bactérias;
• Preferir desodorantes à base de substâncias neutras;
• Fazer compressas com chá-preto auxilia na diminuição da sudorese, já que o chá contém ácido tânico, que desacelera a produção da glândula sudorípara;
• Desodorantes antiperspirantes reduzem a produção de suor em virtude da ação de compostos à base de alumínio;
• Se o que incomoda em seu suor é o odor, use desodorantes que contenham bactericidas em sua constituição.

Para algumas pessoas, essas medidas podem não resolver. Por isso, elas recorrem a métodos terapêuticos, como aplicações de toxina botulínica. Essa toxina age na produção de acetilcolina, um neurotransmissor utilizado pelo nosso organismo para acionar o mecanismo da transpiração. As aplicações são feitas por um médico dermatologista na camada superficial da pele e consistem em um tratamento sem contraindicações e sem efeitos colaterais, a não ser pequenos hematomas na pele. Os efeitos desse tratamento duram cerca de sete meses, sendo que, após esse prazo, devem-se fazer novas aplicações.
A primeira coisa que se deve saber sobre o mau cheiro nas axilas é que ele não se origina precisamente de uma má higiene, pois em muitas ocasiões o problema está relacionado com fatores glandulares ou hormonais.
Esse mau cheiro costuma ser incômodo e desagradável, tanto para quem o possui quanto para as pessoas ao redor.
Mas, o mais importante é que esse mau cheiro pode ser tratado naturalmente, com alternativas que se aplicadas diariamente podem pouco a pouco minimizar a sudoração, ou, ainda, deixando de fazer algumas coisas que podem causar o mau cheiro.
Para isso, hoje trazemos um artigo com várias recomendações gerais para evitar essa situação tão incômoda. Confira.

Lave muito bem as axilas

Não é à toa que essa é a primeira dica, afinal, ela é a mais importante. Mesmo que o caso de muitas pessoas não seja esse, ou seja, que se lavem bem, ainda assim, utilizar o sabonete e higienizar muito bem a região é o primeiro passo.
Alguns sabonetes têm um aroma muito acentuado e ao invés de proporcionarem um bom cheiro, fazem com que você produza suor mais rápido e que o cheiro piore, logo, a dica é que se utilize um sabonete neutro.

Tenha certeza de que não sobraram resíduos

Por isso é importante lavar muito bem as axilas, para que não sobrem resíduos de desodorante do dia anterior, ou de sabonete, o que pode fazer com que fungos e bactérias se proliferem. É possível preparar um remédio natural para garantir que as axilas fiquem limpas e sem cheiro após o banho. Anote:
Misture vinagre com álcool e após o banho, usando um pano, passe em toda a região. Para dar um efeito melhor, use a receita pela noite também.

Use bicarbonato

bicarbonato1
bicarbonato é geralmente utilizado para combater cheiros ruins. Por isso, lave muito bem as axilas e se ainda apresentarem um cheiro ruim aplique um pouco de pó de bicarbonato com um algodão.
O melhor é que, caso o produto não irrite ou incomode é possível usá-lo durante todo o dia. Outra dica eficiente é misturar uma colher de sopa de bicarbonato com o suco de um limão e aplicar depois do banho, o efeito será muito eficaz.

Se for caso de suor excessivo

Diversas situações podem causar o mau cheiro e o suor excessivo é uma delas. Prepare uma infusão com folhas de tomilho ou alecrim e aplique nas axilas, isso ajudará a controlar a hiperidrose – sudoração crônica – que geralmente causa esse problema e afeta as relações pessoas e as atividades diárias.
A babosa também pode controlar a sudoração excessiva, para isso basta aplicar um pouco do gel de babosa na região, de preferência à noite para que obtenha um efeito melhor. Outra alternativa é o tomate, que também ajuda a diminuir o excesso de suor. Para isso, aplique o suco de um tomate (liquidificado) nas axilas e deixe atuar por alguns minutos.

Na hora de escolher a roupa

roupa
Essa é uma informação que muitas pessoas desconhecem, masexistem alguns tecidos ou cores que podem fazer com que suemos mais, o que termina em mau cheiro.
Por exemplo, pessoas que já tem antecedentes devem evitar usar roupas muito apertadas, pois elas impedem que a pele respire de forma adequada. Também devem evitar roupas de tecidos sintéticos, logo, é melhor optar por aquelas feitas de tecidos naturais.
Ainda, as cores também são um fator importante, por exemplo, o preto, apesar de emagrecer mais, também faz com que suemos além do normal.

Alimentar-se bem

Mesmo que normalmente esse fator não seja considerado, a alimentação também tem muito a ver com o mau cheiro nas axilas. Por exemplo, comer frequentemente cebola, alho, café e consumir bebidas alcóolicas fará com que o cheiro do suor se torne muito mais forte. Entretanto, ao optar por frutas e verduras será possível amenizar isso.
O mesmo serve para o cigarro, já que ele destrói a pele e impulsiona o organismo a produzir um suor com cheiro mais desagradável.

Depile as axilas

Além de ser esteticamente desagradável, manter pelos nas axilas é uma das grandes causas de mau cheiro, já que essa condição permite a proliferação de fungos e bactérias, que como já mencionamos, é a principal causa do problema.

Use um anti-transpirante ao invés de um desodorante

desodorante
Os desodorantes só servem para encobrir o mau cheiro impregnado na pele, eles não combatem realmente a sudoração excessiva. Em contrapartida, o anti-transpirante controla o excesso de suor e o mau cheiro. Ainda que o melhor seria revezar em seu uso, uma vez que o anti-transpirante usado constantemente pode trazer problemas de saúde.
http://melhorcomsaude.com/dicas-para-acabar-com-o-mau-cheiro-das-axilas/
Por Paula Louredo
Graduada em Biologia


Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.