"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

terça-feira, 29 de abril de 2014

NÃO VIEMOS DO MACACO

Qualquer estudo básico sobre argumentação denuncia a existência das Falácias, elas se dividem em Formais e Não-Formais. As Formais implicam em erros na Forma, estrutura do raciocínio.
 As Não-Formais, em geral são pseudo argumentos que disfarçam sua inconsistência com algum tipo de artifício, como um apelo abusivo a autoridades, um exagero ou uma anedota.

Existem inúmeras falácias, e elas costumam ser amplamente utilizadas, e em especial em grau sofisticado por advogados e políticos.
 Mas algumas delas não apenas são comuns, como se integraram de tal forma em nossa cultura que são quase impossíveis de serem derrubadas.

Não tenho dúvidas de que a Falácia mais bem sucedida de todos os tempos é do gênero da "Falácia do Espantalho". Trata-se de construir uma versão distorcida da idéia que se quer atacar, torná-la mais frágil, e então refutá-la e ridicularizá-la, dando a impressão que se "destruiu" as idéias do adversário, quando na verdade, se atacou apenas um versão deturpada, "espantalho", dela.

Como exemplo poderíamos citar o ativista de direitos humanos que combate os maus tratos aos prisioneiros, que quando é criticado por um adversário é apresentado como alguém que defende os criminosos contra a sociedade, uma versão muito mais fácil de se atacar.

Mas a falácia mais bem sucedida de todos os tempos, voltando ao tema, é nada mais nada menos do que:
"A Teoria da Evolução diz que o Homem evoluiu do Macaco."
Ninguém parece saber quem é o responsável por tal idéia, mas muitos dão por quase certo que foi um Criacionista, ao menos no que se refere à sua popularização, pois tal afirmação sequer faz sentido dentro da teoria evolutiva. Não obstante, essa noção é tão forte e difundida no senso comum que a maioria dos evolucionistas já desistiu de combatê-la, apenas lidando com ela de modo a contorná-la ou reinterpretá-la.

Para compreendermos, porém, a dimensão do problema, faz-se necessário observar o uso das palavras em Inglês.
Na Lígua Inglesa existem dois termos: Monkey e Ape.
Monkey se refere a uma categoria de primatas inferiores, que apresentam cauda, são em geral menores, menos inteligentes e possuem uma vasta variedade de espécies espalhadas por todo o mundo. Alguns exemplos são os Micos, Saguis, Macacos-Aranha, Macacos-Prego, Babuínos e etc.
Sagui de Tufo Preto
Ape se refere à restrita categoria dos Primatas Superiores, a saber: Gorilas, Chimpanzés, Orangotangos e Bonobos (Chimpazés-Pigmeus). 
São os mais inteligentes animais da natureza, bem maiores em tamanho que os primatas inferiores, nenhum deles tem cauda e só existem no continente Africano.
Orangotango
Entretanto, na Língua Portuguesa, ambas essas categorias são traduzidas pelo mesmo nome Macaco, o que gera muitas confusões.

Dizer então que a Espécie Humana evoluiu de uma espécie de Ape, é algo até razoável. Impreciso, para dizer o mínimo, mas ao menos é defensável, dependendo do ponto de vista.
Mas dizer que a Espécie Humana evoluiu de uma espécie de Monkey é, sem sombra de dúvida, TOTALMENTE ERRADO!

Observando-se a linha de ancestralidade da espécie humana, retrocederemos no tempo primeiro para os Hominídeos, que são:
Homo Abilis >> Homo Ergaster >> Homo Erectus >> Homo Heidelbergensis >> Homo Sapiens
2 Milhões de anos atrás200 mil anos Atrás
(aproximadamente)
Seguramente essas espécies não eram Macacos, nem na acepção Monkey, nem na Ape. Elas eram, como o primeiro nome de cada uma sugere, Hominídeos. Dentre as características que as diferenciam dos Apes estão o tamanho do cérebro, bem mais desenvolvido, a capacidade de usar ferramentas de modo muito mais sofisticado que os Apes, o fato de serem bípedes e andarem eretos, diferente dos Apes atuais, e outras.
Antes do Homo Abilis, temos então:
Australopitecus Afaraensis >> Australopitecus Africanus >> Homo Abilis
4,4 Milhões de anos atrás-2 Milhões de anos atrás
(aproximadamente)
O Australopitecus Afaraensis certamente não era um Monkey, e tão pouco poderia também ser chamado de um Ape, pois apresentava também o caminhar ereto, além de uma série de outras diferenças cranianas. O melhor exemplar desta espécie é um registro fóssil praticamente inteiro de uma fêmea que os cientistas batizaram de Lucy. E é talvez o que mais se aproxime da idéia de um "Elo Perdido", que era um termo usado por alguns evolucionistas antigos.
A ídeia de um elo perdido, no entanto, também se revelou errônea, e não é mais usada pelos evolucionistas ao menos desde a década de 70, quando as descobertas dos Leakeys e de Donald Johanson (descobridor de Lucy) aumentarem imensamente nossa perspectiva do passado.
 No entanto esse conceito também se embrenhou no senso-comum, de modo que até hoje alguns Criacionistas "denunciam" que "O Elo perdido nunca foi encontrado".
De certo que pode-se dizer que exista um "elo" transicional entre uma espécie e outra, mas no caso dos humanos, há dezenas de "elos" nos separando das demais espécies atuais do planeta, e o mais interessante, esses "elos", mesmo se totalmente reconstituídos, jamais nos levariam aos "Macacos", no caso demais Primatas Superiores.

Para entender o porquê disso, basta recuar mais um pouco na linhagem hominídea, e vejamos uma de suas mais prováveis reconstituições:

Propliopitechus >> Ramapithecus >> Australopitecus Afaraensis
30 Milhões de anos atrás -4,4 Milhões de anos atrás(aproximadamente)
Diz-se, mais provável, porque essa fase da evolução dos pré hominídeos ainda é pouco conhecida, mas uma coisa já é bastante clara, que foi dos Propliopitechus que além de se desenvolver a linhagem que viria a resultar nos humanos, se desenvolveu também a linhagem que viria a resultar nos Primatas Superiores.

Isso é o mais importante:
Os Primatas Superiores atuais, os Apes, NÃO são Ancestrais do HOMO SAPIENS!
São na verdade o resultado de uma linhagem evolutiva paralela, que é "aparentada" com os humanos.
 Nesse sentido, é impossível afirmar que os Humanos evoluíram dos "Macacos" que temos hoje.
 Talvez, se considerarmos que o Propliopitechus seja um Ape, a afirmação é defensável, mas é muito difícil aceitar que tal espécie possa ser colocada na mesma categoria de um outro grupo de espécies distante mais de 20 milhões de anos. Seria como dizer que um Velociraptor é um tipo de Lagarto como os que vivem hoje, Iguanas, Calangos, Lagartixas e etc.
Com isso, cai por Terra também uma das dúvidas leigas mais comuns sobre evolução humana, e que os Criacionistas exploram largamente, que é a pergunta:
 "Se os homens evoluíram dos Macacos, porque ainda há Macacos?"
Essa questão é Triplamente Errônea.
Primeiro, porque como já vimos, ela parte de uma premissa errada, pois os humanos não evoluíram dos "Macacos", nem na acepção de Monkey, nem na de Ape;
Segundo, porque mesmo que considerássemos os ancestrais dos humanos como macacos, estes não existem mais;
E terceiro, porque mesmo que existissem, isso em nada seria problema para a linhagem Evolutiva. O fato de uma espécie evoluir de outra, não significa que a espécie anterior tenha que deixar de existir.
 Caso contrário, não deveriam mais existir anfíbios, répteis nem invertebrados em geral.
A única coisa que provoca o desaparecimento de uma espécie é a competição com outras espécies, ou catástrofes naturais de imensas proporções. As espécies pré-humanas em geral foram desaparecendo provavelmente porque foram sendo superadas por espécies descendentes cada vez mais aperfeiçoadas, uma vez que eram próximas, tinham necessidades semelhantes e competiam entre si.

Mas não havendo tal competição, não há motivos para o desaparecimento da espécie. Dessa forma, os atuais macacos, em qualquer que seja a acepção, nunca foram nossos competidores, ao menos em larga escala, da mesma forma como nunca foram nossos ancestrais.

Mesmo sendo totalmente equivocadas, questões como essa são feitas exaustivamente não só por criacionistas, podendo ser encontradas, inclusive na própria Web, em quantidade muitíssimo maior do que textos que esclareçam tais equívocos.
 Algumas chegam ao ponto de adicionar: "Então porque os macacos pararam de evoluir?"! Ou ainda pior, "Porque não vemos um macaco se transformar num homem?"

Esse é o resultado de uma bem sucedida Falácia do Espantalho, o conceito distorcido se propagou tanto que até mesmo publicações especializadas por vezes preferem simplificar e se referir a nossos ancestrais como "Homens-Macacos", sempre na acepção Ape, é claro, muitas vezes usando, em português, os termos "Grandes Macacos", se referindo aos Primatas Superiores. Isso porém, dá margem a uma série de equívocos, principalmente em nosso idioma, permitindo toda uma gama de más interpretações.
 É possível ver textos inteiros, livros a até projetos de lei tendo como base esse equívoco.

Da mesma forma, não apenas a Evolução Humana, mas toda a Evolução da Vida, costuma ser distorcida pelos Criacionistas, que pregam para seus fiéis uma versão Espantalho do Evolucionismo, com afirmações bizarras, e sem dúvida inaceitável, e então o atacam como se estivessem derrubando o Evolucionismo real! E é claro que a maioria esmagadora de seu público alvo, os crentes ou os leigos, nunca irá se preocupar em verificar se tal imagem realmente procede.

É por isso que 90% do trabalho do defensor do Evolucionismo é desfazer as idéias equivocadas que os criacionistas, e o público em geral, tem da Evolução.

Diz a lenda, que certa vez perguntaram para um Evolucionista se ele era descendente de Macacos por parte de mãe ou por parte de Pai*. Deve-se admitir, foi uma gozação bem bolada. Mas mais engraçado ainda seria se o Evolucionista tivesse respondido: "Nenhum dos dois, sou descendente de hominídeos. Mas você, fazendo perguntas como esta, me deixa tentado a dizer que é! Só não o faço porque seria desrespeito com os nossos primos."

(*Obs: Na verdade tal pergunta teria sido feita pelo Bispo Samuel Wilberforce à Thomas Henry Huxley, o defensor de Darwin, durante um debate em Oxford em 1860. E Huxley teria respondido: "...não me envergonho de tal origem. Mas me envergonharia de descender de um homem que corrompeu os dons da cultura e da eloquência em prol do preconceito e da falsidade." Infelizmente o debate não foi devidamente documentado, e tudo o que sabemos sobre ele vem de reconstituições de reportagens da época e de anotações dos envolvidos e presentes, pouco mais de 700 pessoas. Marcus Valerio XR - 04 de Dezembro de 2004)

Marcus Valerio XR
02 de Novembro de 2004
http://www.evo.bio.br/layout/macaco.html

sábado, 26 de abril de 2014

"Somos Físicos" Garagens Milionárias


 The Beatles
 Antes de formar os Beatles, John Lennon era um membro de um grupo chamado The Quarrymen, ao lado de vários amigos da escola em Liverpool. Quando os pais de um membro da banda não podiam mais aguentar o barulho, o futuro astro e seus companheiros foram obrigados a praticar em um abrigo antiaéreo ali perto.Resultado de imagem para beatles história garagem
 



Harley Davidson
 Resultado de imagem para harley davidson história
Em 1901, William S. Harley planejou criar um mecanismo para alimentar sua bicicleta. Ao longo de alguns anos, Harley e seu amigo Arthur Davidson construíram uma bicicleta movida a motor em um barraco de madeira, fundando a Harley-Davidson em 1903.

Imagem relacionadaDisney
A única coisa que reúne todos os empresários, inventores, artistas e visionários é a vontade de vencer. Para muitos, isso significa começar de origens humildes. Neste caso, uma garagem.



Disney

Em 1923, Walt e Roy Disney foram morar com o seu tio, Robert Disney. Em sua garagem, os irmãos criaram "The First Disney Studio", e começaram a filmar Alice Commedies, parte do original Alice no País das Maravilhas. 
 
Hoje, a Disney é a empresa de mídia de maior bilheteria no mundo.

Google
Como estudantes de Stanford, Larry Page e Sergey Brin começaram a trabalhar no Google durante o verão de 1998. Eles tomaram emprestado a garagem de Susan Wojcicki e começaram a criar o que seria a empresa mais conhecida da internet. Em breve, o projeto começou a interferir com o trabalho escolar e a dupla tentou vender o Google por US$ 1 milhão para a Excite, que rejeitou a oferta.
Woz e Jobs (dir.) no início das atividades da Apple
Larry Page e Sergey Brin nos primórdios do Google
Larry Page e Sergey Brin nos primórdios do Google




Apple
A Apple é atualmente a empresa de tecnologia mais valiosa do mundo, e tudo começou na garagem dos pais de Steve Jobs. 
Em 1976, Steve Jobs e Steve Wozniak, 21 e 26 anos, respectivamente, assumiram a garagem e montaram 50 computadores em 30 dias para um varejista local, vendendo por US$ 500 cada peça. A partir de então, não havia como parar.
 Resultado de imagem para apple história garagem

Microsoft
Em 1975, Bill Gates e Paul Allen fundaram a Microsoft dentro de uma garagem. Foi de lá que eles licenciaram seu primeiro sistema operacional para a IBM por US$ 80.000. Mais tarde, eles passaram a desenvolver o Windows, que dominaria o mercado de computadores.
Resultado de imagem para microsoft história garagem
Nike
Nike, ou Blue Ribbon Sport, como era conhecida entre 1964-1978, nem sequer se deram ao luxo de ter uma garagem. Quando Philip Knight e Bill Bowerman começaram a vender sapatos de treino, isso foi feito inteiramente no porta-mala do carro.

Imagem relacionada 
The truth about companies that started in garages

Lotus Cars
Em 1984, Anthony Colin Bruce Chapman começaram a construir os primeiros carros de corrida Lotus na garagem de seus pais. Hoje, a Lotus é um dos principais fabricantes britânicos de carros de corrida e esportes. 
Hewlett-Packard
Em 1939, a HP, uma das maiores empresas do mundo, começou em uma garagem, com um investimento de US$ 538. Foi nessa garagem que Bill Hewlett e Dave Packard criaram osciladores de áudio, que mais tarde venderiam para a Walt Disney
Amazon
Em 1994, quando Jeff Bezos fundou a Amazon como uma livraria on-line, isso aconteceu completamente na sua garagem. Em julho de 1995, ele vendeu seu primeiro livro e embalou na mesma garagem. A Amazon é hoje a maior varejista online do mundo.

DISNEY
GOOGLE
Harley Davidson

HP
Microsoft

http://www.blogblux.com.br/2014/04/14-incriveis-inovadores-que-voce-vai.html#at_pco=smlwn-1.0&at_si=535c3c37a9f27577&at_ab=per-1&at_pos=0&at_tot=1


quarta-feira, 23 de abril de 2014

CARL SAGAN

Carl Sagan foi um astrônomo, astrofísico, cosmólogo, cético e pensador crítico. Ele foi o professor de astronomia e ciências espaciais e diretor do Laboratório de Estudos Planetários na Universidade de Cornell. Ele desempenhou um papel fundamental no programa espacial norte-americano e foi consultor e conselheiro da NASA desde o final de 1950. Ele também foi responsável pela instruindo os astronautas da Apollo antes de seus vôos para a lua.Muitos de vocês devem conhecê-lo a partir de alguns de seus livros mais vendidos, como Cosmos, que era na verdade o livro best-seller ciência já publicada no idioma Inglês.
Sagan foi responsável por ajudar a humanidade em seu conhecimento de conceitos que estão fora da caixa, que incluem múltiplas dimensões, a física quântica, buracos de minhoca, e uma grande variedade de idéias e conceitos sobre o espaço, ciência, tecnologia e muito mais. Fê-lo com uma grande quantidade de entusiasmo, alegria, e um tipo de elevação da energia. Em sua última entrevista, ele nos deixou com palavras que podem lhe dar arrepios, emitiu dois avisos para a raça humana.
Sua primeira preocupação foi com relação à ciência e tecnologia. Sagan expressou grande preocupação de que "se o público em geral não entende a ciência ea tecnologia, então quem está fazendo todas as decisões sobre ciência e tecnologia que vão determinar que tipo de futuro nossos filhos vivem, alguns membros do Congresso? Há apenas um punhado que têm qualquer formação em ciência em tudo, e alguns deles nem sequer querem saber sobre isso "-. Carl Sagan
Eu amo este ponto, e isso é verdade. Uma grande maioria de nosso planeta, eu diria que 99 por cento dos que não têm qualquer idéia sobre quem está fazendo todas as decisões sobre ciência e tecnologia. Claro, temos ciência e tecnologia mainstream, mas a verdade é que uma grande parte da ciência e da tecnologia do mundo continua a ser classificada, e é supervisionado pelo Departamento de Defesa. Muitas pessoas não sabem disso, e ele responde parcialmente preocupações de Carl sobre a população não saber sobre quem está fazendo todas as decisões sobre ciência e tecnologia.
É de 2013 e muita coisa aconteceu desde a morte de Carl Sagan, uma coisa em particular que se refere são os recentes vazamentos de NSA delator Edward Snowden sobre o  orçamento negro .
 Este é um orçamento que enfeita trilhões e trilhões de dólares todos os anos que vai para projetos que a raça humana não sabe nada sobre, incluindo ciência e tecnologia. É seguro supor que o orçamento negro lida com a tecnologia que é muito superior ao do mundo "mainstream". A capacidade de explorar as áreas do nosso mundo e arredores atualmente indisponível para o resto de nós também é uma grande probabilidade. Entendimentos científicos e cosmológicos que dar mais insights sobre a natureza do nosso mundo são mais definitivamente já redor. Esses programas não têm supervisão do Congresso, e muitas pessoas não tem nenhuma idéia sobre o que realmente está acontecendo aqui. Como podemos saber sobre ciência e tecnologia, quando uma grande parte dele continua classificado?
"Nós organizou uma sociedade de ciência e tecnologia em que ninguém entende nada sobre ciência e tecnologia, e esta mistura combustível de ignorância e poder, mais cedo ou mais tarde vai explodir na nossa cara. Quero dizer, quem está executando a ciência e tecnologia em uma democracia, se o povo não sabe nada sobre isso "-. Carl Sagan
Segundo o aviso do Sagan para a humanidade foi a de que a ciência é mais do que um corpo de conhecimento, que é uma maneira de pensar, uma forma de ceticismo interrogar o universo. Ele expressou que, se não somos capazes de fazer perguntas céticas para interrogar aqueles que nos dizem que algo é verdade, para ser cético em relação a aqueles que têm autoridade, então nós, como raça humana estão em disputa. Este é um grande momento, e uma grande lembrança para sempre questionar o que lhe é dito. Há 17 anos, quando Sagan estava vivo, a raça humana não pedi tantas perguntas que eles estão pedindo agora. Questionamento leva a respostas, e ameaçam a estrutura de controle. Felizmente, há agora cada vez mais que estão buscando as respostas.
Sabíamos que a Terra era plana, sabíamos que éramos o centro do universo, sabíamos que uma peça de uma máquina feita pelo homem não poderia [voar]. Ao longo da história humana, as autoridades intelectuais têm pronunciado a sua supremacia ridicularizando ou Surpressing elementos da realidade que simplesmente não se encaixam no quadro do conhecimento aceito - Terje Toftenes
"Uma das lições mais tristes da história é esta: Se temos sido enganado por muito tempo, temos tendência a rejeitar qualquer evidência do Bamboozle. Não estamos mais interessados ​​em descobrir a verdade. O Bamboozle conquistou nós. É simplesmente muito doloroso reconhecer, até mesmo para nós mesmos, que temos sido tomada. Depois de dar um poder charlatão sobre você, você quase nunca obtê-lo de volta "-. Carl Sagan
Nós já temos os meios para viajar entre as estrelas, mas estas tecnologias estão trancados em projetos negros e que seria necessário um ato de Deus para nunca tirá-los para beneficiar a humanidade .... Qualquer coisa que você pode imaginar, nós já sabemos como fazer -. Ben Rich. - estava muito preocupado com o governo controlar as pessoas. Sagan estava bem à frente de seu tempo, e suas preocupações há 17 anos são claramente sentidos por mais pessoas hoje. É importante lembrar, se queremos mudar, temos de fazê-lo a partir de um lugar de amor e cooperação.
http://www.collective-evolution.com/2013/12/19/carl-sagans-two-warnings-for-humanity-in-his-very-last-interview-you-might-want-to-hear-this/

quarta-feira, 16 de abril de 2014

PLANETAS HABITÁVEIS

Esta imagem artística imagina a superfície de Titã, com o "crepúsculo" de Saturno ao fundo e as sondas Huygens e Cassini, da Nasa, na sua atmosfera, composta principalmente de nitrogênio e metano.

A lua de Saturno Titã e o exoplaneta Gliese 581g estão entre os planetas e luas mais propensos à existência de vida extraterrestre, segundo um artigo científico publicado por pesquisadores americanos.
O estudo da Universidade de Washington criou um ranking que ordena os planetas segundo a sua semelhança com a Terra e de acordo com condições para abrigar outras formas de vida.
Segundo os resultados publicados na revista acadêmica Astrobiology, a maior semelhança com a Terra foi demonstrada por Gliese 581g, um exoplaneta – ou seja, localizado fora do Sistema Solar – de cuja existência muitos astrônomos duvidam.
Em seguida, no mesmo critério, veio Gliese 581d, que é parte do mesmo sistema. O sistema Gliese 581 é formado por quatro – e possivelmente cinco – planetas orbitando a mesma estrela anã a mais de 20 anos-luz da Terra, na constelação de Libra.
Condições favoráveis
Um dos autores do estudo, Dirk Schulze-Makuch, explicou que os rankings foram elaborados com base em dois indicadores.
O Índice de Similaridade com a Terra (ESI, na sigla em inglês) ordenou os planetas e luas de acordo com a sua similaridade com o nosso planeta, levando em conta fatores como o tamanho, a densidade e a distância de sua estrela-mãe.
Já o Índice de "Habitabilidade" Planetária (PHI, sigla também em inglês) analisou fatores como a existência de uma superfície rochosa ou congelada, ou de uma atmosfera ou um campo magnético.
Também foi avaliada a energia à disposição de organismos, seja através da luz de uma estrela-mãe ou de um processo chamado de aceleração de maré, no qual um planeta ou lua é aquecido internamente ao interagir gravitacionalmente com um satélite.
Por fim, o PHI leva em consideração a química dos planetas, como a presença ou ausência de elementos orgânicos, e se solventes líquidos estão disponíveis para reações químicas.
Depois de Titã, Marte foi o planeta que ficou mais perto da Terra no sentido de reunir as condições favoráveis à vida. Esta imagem foi capturada pela sonda Endeavour, que percorreu mais de 20 quilômetros entre as crateras Victoria e Endeavour, no Planeta Vermelho 
'Habitáveis'
No critério da "habitabilidade", a lua Titã, que orbita ao redor de Saturno, ficou em primeiro lugar, seguida da lua Europa, que orbita Marte e Júpiter.
Os cientistas acreditam que Europa contenha um oceano aquático subterrâneo aquecido por aceleração de maré.
Impressão artística mostrando o oceano de gelo de Europa, possivelmente com o escape de calor vulcânico. O calor interno da lua se deve a interações com Júpiter, que aparece no fundo.
O estudo contribuirá para iniciativas que, nos últimos tempos, têm reforçado a busca por vida extraterrestre.
Desde que foi lançado em órbita em 2009, o telescópio espacial Kepler, da Nasa, a agência espacial americana, já encontrou mais de mil planetas com potencial para abrigar formas de vida.
No futuro, os cientistas creem que os telescópios sejam capazes de identificar os chamados "bioindicadores" – indicadores da vida, como presença de clorofila, pigmento presente nas plantas – na luz emitida por planetas distantes.
 Esta imagem artística ilustra o que seriam os céus de um planeta alienígena em um sistema solar com um cinturão de asteróides 25 vezes maior que no Sistema Solar. As evidências sobre tal cinturão foram captadas pelo telescópio espacial Spitzer, da Nasa, na estrela HD 69830, que também tem semelhanças com a Terra .
Fonte:http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/bbc/1111_vidaemplanetas_album.htm#fotoNav=8


terça-feira, 15 de abril de 2014

VELOCIDADE DA LUZ

Telescópio de Ole Roemer
A velocidade da luz no vácuo é o que há de mais rápido, conhecido pelo homem, em  todo o universo. Equivale a 299 792 458 metros por segundo, ou arredondando para um valor mais utilizável, 300 mil quilômetros por segundo. 
Um exemplo claro de que a luz é realmente mais rápida que qualquer outra coisa,  são os raios de uma tempestade: Primeiro vem a luz (relâmpago) e depois o som (trovão).
Até 1676, acreditava-se que a luz era instantânea. Naquele ano, o astrônomo dinamarquês Ole Roemer observou no telescópio que, em comparação com seus cálculos, havia um atraso de 22 minutos nos eclipses das luas de Júpiter. Roemer concluiu que o atraso correspondia ao tempo que a luz dos satélites levava para alcançar a Terra, à velocidade que estimou em 225 000 quilômetros por segundo. "Esse valor estava bem próximo do que é aceito hoje", diz o físico Giorgio Moscati do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O valor correto - 299 792 km/s - foi determinado apenas em 1926 pelo físico alemão Albert Michelson. 
Para chegar a esse número, Michelson aperfeiçoou, durante 25 anos, o interferômetro, aparelho que mede em espelhos fixos o desvio da luz refletida por espelhos rotativos.
A velocidade da luz é uma das constantes de maior importância na Física, e sua determinação representa uma das medições mais precisas já feita pelo homem. Antes de 1675, a propagação da luz era considerada instantânea.
As primeiras tentativas para determinar a velocidade da luz foram realizadas por Galileu Galilei (1564-1642). Ele tentou medir o tempo que a luz gastava para efetuar o percurso de ida e volta entre duas colinas. Esse tempo (cerca de 10-5 s) era muito pequeno e não podia ser medido com os aparelhos da época, por isso a experiência fracassou.
Olaf Roemer
Cem anos mais tarde, o dinamarquês Olaf Roemer (1644 - 1710) determinou que o tempo gasto para a luz percorrer um comprimento igual ao diâmetro da órbita terrestre (cerca de 300 milhões de quilômetros) é de aproximadamente 1000 segundos. Disto se conclui que a luz percorre 300000 km em 1 segundo. Assim sendo, para vir do Sol até a Terra a luz gasta pouco mais de 8 minutos; da Lua à Terra leva pouco mais de 1 segundo. 
Para a distância São Paulo - Belo Horizonte (600 km) teríamos 0,0002 segundos.
Na sua experiência Roemer utilizou uma das luas de Júpiter.
 Este planeta tem onze luas, que revolvem em seu redor com diferentes períodos.
 Uma delas revolve em torno de Júpiter uma vez durante 42,5 horas. 
Uma vez neste período, esta lua desaparece atrás do planeta e é eclipsada. Sabendo disto, Roemer podia predizer os instantes exatos em que a lua de Júpiter seria eclipsada, durante todo o ano. Pode, assim, preparar um horário de eclipses. 
Suponha que, quando a terra estivesse em M , na posição mais próxima de Júpiter, ocorresse um eclipse.
 Seis meses mais tarde, quando a Terra estivesse em N, mais afastada de Júpiter, um eclipse teria um atraso de 1000 segundos.
Em 1849 o físico francês Fizeau conseguiu medir a velocidade da luz com boa precisão. Para isto ele usou o dispositivo mostrado na figura acima. Um feixe de luz incidia sobre uma lâmina de vidro na qual ele era parcialmente refletido, sendo dirigido para um espelho distante, após passar no intervalo entre os dentes de uma roda dentada em rotação. A velocidade da roda era ajustada de tal maneira que o feixe, após se refletir no espelho, voltava para a roda, passando pelo intervalo seguinte da roda.
 Conhecendo o número de rotações que a roda efetuava por segundo e a distância da roda ao espelho, Fizeau obteve a velocidade da luz. O valor apresentado por ele foi 313.300 km/s. Bem próximo do valor aceito hoje que é 299.792 km/s

um francês físico mais conhecido pela invenção do pêndulo de Foucault , um dispositivo que demonstra o efeito da rotação da Terra. Ele também fez uma medição inicial da velocidade da luz , descobriu as correntes de Foucault e, embora ele não a inventou, é creditado com a nomeação do giroscópio 
Arquivo: pêndulo de Foucault animated.gif
Com AHL Fizeau ele realizou uma série de investigações sobre a intensidade da luz do sol , em comparação com a de carbono na lâmpada de arco , e de cal na chama do maçarico oxyhydrogen; na interferência de radiação infravermelha , e dos raios de luz que diferem grandemente, em comprimentos de percurso; e na cromática de polarização da luz.
Arquivo: gyroscope.jpg de FoucaultArquivo: Giroscópio operation.gif
Em 1850, ele fez uma experiência usando o aparelho de Fizeau-Foucault para medir a velocidade da luz; que veio a ser conhecido como o experimento de Foucault-Fizeau, e foi visto como "conduzindo o último prego no caixão" de Newton 's teoria corpuscular da luz quando mostrou que a luz viaja mais lentamente através da água do que através do ar.
Em 1857, Foucault inventou o polarizador que leva seu nome, e no ano seguinte desenvolveu um método de testar o espelho de um telescópio refletor para determinar sua forma. O chamado " Foucault faca teste de borda "permite que o trabalhador de dizer se o espelho é perfeitamente esférica ou tem desvio não esférico na sua figura

.Antes da publicação de suas descobertas de Foucault, o teste do reflexo de espelhos do telescópio foi uma proposição "acertar ou errar"

As medidas modernas, de grande precisão, da velocidade da luz, são feitas usando métodos de laboratório, e as experiências mais notáveis foram realizadas por Albert A. Michelson (1852-1931), professor de Física da Universidade de Chicago, Estados Unidos, que mediu a velocidade no ar e no vácuo com extraordinária precisão.

Distâncias astronômicas
As distâncias entre as estrelas são muito grandes e o metro ou o quilômetro não são unidades adequadas para medir essas distâncias. Os astrônomos usam o ano-luz como unidade de medida. 
O ano-luz é a distância que a luz percorre em um ano.
Apesar de a velocidade da luz ser a maior velocidade que podemos ter no universo, a luz precisa de bastante tempo para viajar pela imensidão do universo. Por isso, podemos estar recebendo a luz de corpos celestes que já desapareceram há centenas de anos.
Só para ter uma idéia, a distância que nos separa da estrela mais próxima (estrela alfa), é de 4,2 anos-luz. Isto significa que a luz enviada pela estrela demora 4,2 anos para chegar na Terra.
Fontes:http://www.mundofisico.joinville.udesc.br/index.php?idSecao=8&idSubSecao=&idTexto=151
http://dingeengoete.blogspot.com.br/2013/09/this-day-in-history-foucault-pendulum.html

quinta-feira, 10 de abril de 2014

NIKOLA TESLA



Um dos mais incríveis cientistas da história humana. E um dos gênios mais subestimados da espécie. Assim pode ser definido Nikola Tesla, nascido em uma cidade do antigo Império Austríaco, região da atual Croácia, em 10 de julho de 1856. Suas criações, especialmente no campo da comunicação, imiscuem-se até hoje na tecnologia do dia a dia, quase sempre sem o devido reconhecimento ao inventor.
Poucas pessoas o conhecem, mas Nikola Tesla, nascido em 1856, teve uma grande importância em relação ao avanço da tecnologia no começo do século XX. Ele participou do invento da corrente alternada, rádio, lâmpada fluorescente, controle remoto, robótica… e entre outros inventos que totalizam mais de 700 patentes. Morreu no início de 1943, em plena Segunda Guerra Mundial, num pequeno apartamento em Nova York, enquanto a cidade vivia sob o seu legado, totalmente iluminada pela energia elétrica.


Tesla era uma pessoa incomum, uma mente brilhante é verdade, mas por exemplo, ele detestava ter contato físico com outras pessoas, sempre pesava sua comida antes de comê-la e vivia calculando tudo, e durante um período de sua vida, passou dias sem dormir trabalhando em seus experimentos. Chegou a trabalhar com Thomas Edison, com quem teve várias brigas e ganhou um grande inimigo. Seus principais trabalhos vieram a partir do século XX, quando desenvolveu submarinos e aviões controlados remotamente, energia elétrica podendo ser transportada sem fio, entre outros grandes feitos.

O Raio da Morte



Mas quando pensamos em Nikola Tesla, a primeira coisa que vem em mente é sobre o seu Raio da Morte, uma arma mortal capaz de destruir milhares de aviões e vários quilômetros de altura. Basicamente, o raio da morte era um feixe de partículas que o cientista havia criado no início do século XX. Ele pegava uma partícula, e a projetava à grandes distâncias através de altas voltagens, numa velocidade incrivelmente alta, o que faria um grande estrago, capaz até de derrubar um míssil no espaço.
Mas ninguém tem certeza de a arma de fato foi utilizada ou ao menos construída. Quando a desenvolveu, Tesla estava à beira da falência nos EUA. Existe uma história de que o inventor teria testado essa arma o ano de 1908, quando ele apontou  a arma através do Oceano Atlântico para o Ártico, e o feixe de partículas atingiu uma coruja, que se desintegrou completamente. Então um sinistro evento aconteceu na Sibéria.
Tunguska


No final de junho 1908 , a maior explosão já registrada atingiu uma remota floresta na Sibéria, que foi inteiramente destruída. Tal explosão pode ser percebida de alguma forma em todos os cantos de planeta e até hoje não se sabe o que aconteceu naquele dia, já que não houve vestígios de meteoritos ou coisas do tipo.
E Tesla acreditava que a explosão teria sido causada pelo seu Raio da Morte. Então ele o desmontou imediatamente, devido ao perigo que ele proporcionava para a humanidade, principalmente em mãos erradas. Quando a Primeira Guerra Mundial acabou, o inventor escreveu uma carta ao presidente dos EUA, Wilson, onde revelava seu segredo, mas não obteve resposta, e só viu sua imagem sendo cada vez mais ridicularizada mundo afora.

Máquina de terremotos

O Raio da Morte nunca foi comprovado e não se sabe muito mais a respeito dele, tampouco que foi ele quem explodiu Tungunska. Anos mais tarde, em seu laboratório na cidade de Nova York, Nikola Tesla estava experimento sua tecnologia ressonante, onde segundo relatos, fez com que a ilha de Manhattan vibrasse por vários quilômetros. Ele então notou que as ondas ressonantes tornam-se mais fortes quanto mais rápido viajam, mas então um esquadrão de policiais invadiu o laboratório e fez com que ele parasse seus experimentos. Pelo menos ele havia conseguido criar uma Máquina de Terremotos, que também não se sabe qual foi futuro da arma.
Mas Tesla era visto com um lunático pela comunidade científica mundial e suas ideias eram muito sensacionalistas. Mas de acordo com teorias da conspiração, o governo dos EUA e da Rússia futuramente realizaram novas tecnologias com base nos experimentos de Tesla, cujos documentos haviam sido confiscados pelo FBI nos seus últimos anos de vida.

Projeto HAARP

ALBERT EINSTEIN( Do projeto Filadélfia)  e NICOLA TESLA  (praticamente o pai do projeto HAARP e também Filadélfia)
E outro ideia sensacionalista de Tesla era como o envio de algumas partículas para a ionosfera podia de algum modo alterar o clima global, desde que corretamente manipulado. O conceito de Tesla de que o envio de ondas para essa camada da atmosfera foi ridicularizado vários anos atrás, mas os EUA teriam construído uma arma geofísica baseado nas teorias do inventor nos anos 90, conceitos que haviam sido mantido em segredo pelo inventor. Mas isso ainda é pura conspiração e dificilmente saberemos a verdade por trás da ligação entre os experimentos de Tesla e o HAARP.

De qualquer forma, Tesla, mesmo sendo tão contestado, acabou sendo reconhecido pelo mundo após sua morte, e seu legado acabou tendo sua devida importância pela física anos mais tarde. Acabou sendo oficialmente reconhecido pelos EUA como o inventor do rádio, lâmpada fluorescente, raio-X, entre outros.


Tesla mantinha um laboratório para os seus experimentos em Colorado Springs, nas Montanhas Rochosas. Seu grande desafio, conforme Sonia Moreira, era entender como captar, armazenar e distribuir eletricidade. A descoberta do que hoje entendemos como transmissão à distância em ondas eletromagnéticas, as ondas hertzianas, foi um 'acidente de percurso' que o levaria a se interessar pela comunicação a distância.
Entre as suas diversas contribuições, a pesquisadora elege o sistema de comunicação mundial sem fio como aquele, atualmente, em que há o “dedo” do cientista. A torre que Tesla começou a construir em Long Island, financiada por Morgan, visava a criar um sistema que capturasse energia do interior da Terra - ele baseou muito do seu trabalho no endimento de que existia no centro da Terra energia suficiente para alimentar o planeta.
Esquecimento
Um dos principais biógrafos de Nikola Tesla, o norte-americano Marc Seifer, atesta, em suas pesquisas, o esquecimento do inventor. Autor do livro Wizard: The Life & Times Of Nikola Tesla e de mais de 70 artigos sobre o inventor, além de sua tese de doutorado, ele estudou a vida do cientista para identificar suas reais criações e descobrir as razões de seu desaparecimento dos livros de história.
No texto The Lost Wizard ("O Gênio Esquecido", em tradução livre), Seifer afirma que Tesla morreu quase como anônimo por variáveis psicanalíticas e ciúmes dos colegas. Elege, no entanto, dois fatores datados de 1901 como decisivos: a amarga rivalidade com Marconi e a defesa da possibilidade de contato com seres extraterrestres.
“Numerosos críticos atacaram a credibilidade de Tesla. Penso que é justo dizer que, em termos de fama e aceitação, Tesla nunca se recuperou, ainda hoje, 60 anos depois de sua morte e mais de 100 anos após iniciar seus artigos. Seu nome caiu em desgraça, perdido por anos nos círculos ocultistas e em estantes empoeiradas”, diz Seifer em trecho do artigo, publicado em 2006.
No episódio em que defendia sua tecnologia como viável para comunicação entre planetas, Tesla rompeu com seu investidor, o empresário J. P. Morgan, então perturbado pelos ataques da imprensa. “Ao contrário do inventor, cujas ideias remetiam a lugares abstratos e futuristas, a mente de Morgan estava no presente”
"Tesla escreveu em "Century Magazine" de 1900: "...que a comunicação sem fio para qualquer ponto do globo era possível. 

Minhas experiências mostraram que o ar em sua pressão normal torna-se um condutor, e isto abre um panorama maravilhoso para a transmissão de grandes quantidades de energia elétrica para propósitos industriais a grandes distâncias sem o uso de fios... sua realização prática poderia significar que a energia estaria disponível ao uso humano em qualquer ponto do globo. 

Não posso conceber nenhum avanço técnico que poderia, melhor do que este, unir toda a humanidade, ou que poderia mais e mais economizar a energia humana... ". "

 Em seu laboratório com Mark Twain

Outro agravante foi o colapso da Bolsa de Nova York, em 1901. Conforme relata Seifer, com o pânico em Wall Street, Tesla não podia honrar suas contas e era pressionado por empresas que exigiam o pagamento imediato. Por sua vez, Morgan também se atrasava na entrega dos fundos que ainda devia ao inventor. A falência econômica de Tesla estava decretada.
Tesla Inventions - World First AC Generator
Nikola Tesla Invention - World's First AC Generator
Tesla Inventions- Interior closeup of oscillator components- condensers, regulating coil and Westinghouse high tension transformer- from Tesla's experimental station Colorado Springs 1899
Estação experimental de Nikola Tesla em Colorado Springs. Interior de perto, dos componentes do oscilador incluindo condensadores, bobina de regulação, e Westinghouse transformador de alta tensão. Dezembro 1899.
Tesla Inventions- Magnifying Oscillation Transformer in action- Tesla's New York Laboratory 1896-1898
Laboratório de Nova Iorque de Nikola Tesla. A demonstração de seu sistema de transmissão de energia elétrica através de meios naturais - uma visão de seu transformador oscilação de aumento em ação. Largura real do espaço percorrido pelas serpentinas luminosas que emitem a partir do terminal circular única que encerra o bobina extra é mais de 16 pés; a área coberta é de aproximadamente 200 metros quadrados. Pressão estimado é de 2 1/2 milhão de volts, o limite de segurança para este laboratório. Foi aqui que Tesla descobriu propriedades condutoras extraordinárias da atmosfera, e para prosseguir as investigações mais ele procurou estabelecer uma estação experimental em um local remoto onde ele seria irrestrito na produção imensamente maiores tensões. Circa 1896-1898.
Tesla Inventions - U.S. Navy Shipboard Transmitter - Licensed under six of Nikola Tesla's patents - Used during WW1.
A bordo do navio da Marinha dos EUA transmissor fabricado pela Radio Company Lowenstein, licenciado sob 6 de patentes de Nikola Tesla. Este conjunto de cinco kilowatt, capaz de transmissão de 1.500 quilômetros, foi usado durante a 1 ª Guerra Mundial.
Tesla Inventions - Tesla's Static Eliminator - a variable coupling radio-frequency transformer
Nikola Tesla estática Eliminator - um acoplamento transformador rádio-freqüência variável.
Tesla Inventions - Nikola Tesla seated inside a circular framework which supported the primary and secondary conductors of the largest Tesla coil ever built - Colorado Springs 1899
Nikola Tesla sentado dentro de um quadro circular 51 pés de diâmetro, que apoiou os condutores primários e secundários do maior bobina de Tesla já construído, em sua estação experimental Colorado Springs em 1899. O oscilador está operando em 100 kHz, e as descargas ocorrem com uma rugido ensurdecedor marcante, uma bobina de diâmetro comparativamente menor alheio 22 pés de distância. A atividade do oscilador criado correntes de terra de tal magnitude que acende um centímetro de comprimento pode ser extraída de um principal de água a uma distância de 300 metros da estação. A inscrição na fotografia é dirigida a Sir William Crookes e lê; Para o meu ilustre amigo Sir William Crookes de quem eu sempre penso e cujas cartas que eu nunca respondo. 17 de junho de 1901 Nikola Tesla.


Nikola Tesla (1856 - 1943) foi reconhecido tardiamente como gênio pela ciência Foto: Getty Images
http://noticias.terra.com.br/ciencia/nikola-tesla-genio-esquecido-da-eletricidade-nasceu-ha-157-anos,74bd9416944cf310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html
http://www.spaceandmotion.com/Physics-Nikola-Tesla-Inventions-Resonance.htm