Welcome To My Blogger
O Blogger "Somos Físicos" aborda assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todas as postagens são pesquisas coletadas na internet.

Welcome To My Blogger

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

OS PLANETAS DE GUERRA NAS ESTRELAS


Quando George Lucas instalou Luke Skywalker --protagonista do seu "Guerra nas Estrelas" ,em um planeta que orbitava dois sóis, esse tipo de mundo parecia confinado à ficção. 
Mais de 30 anos depois, cientistas já provaram que planetas assim são reais e, agora, propõem que eles sejam até comuns.
TELESCÓPIO KEPLER
O telescópio espacial Kepler, da Nasa (agência espacial dos EUA), descobriu dois novos planetas que, como o ficcional Tatooine, orbitam duas estrelas. E eles nem ficam em uma galáxia muito distante.
Batizados de Kepler-34b e Kepler-35b, ambos estão bem aqui, na nossa Via Láctea, na constelação de Cisne.
Os dois são gigantes gasosos (mais ou menos do tamanho de Saturno).
O Kepler-34b orbita suas duas estrelas a cada 289 dias. As estrelas, por sua vez, orbitam uma a outra a cada 28 dias. Já o Kepler-35b orbita uma dupla de estrelas um pouco menor que o nosso Sol a cada 131 dias, elas orbitam uma a outra a cada 21 dias.
Em setembro de 2011, também usando o Kepler, astrônomos descobriram o primeiro planeta do tipo, batizado de Kepler-16b.
Embora o número total de planetas desse tipo conhecidos seja de apenas três, os cientistas já propõem que, dada as características de seus sistemas, eles podem ser muito comuns no Universo. 
Com milhares de outros existindo por aí.
Alguns, inclusive, na chamada zona habitável --região onde a temperatura permite a existência de água líquida. 
Os dois novos planetas, porém, são provavelmente quentes demais para isso.

Planetas que orbitam duas estrelas têm uma grande variação na quantidade de energia recebida, o que pode levar a grandes mudanças climáticas na superfície.
"Seria como circular por todas as quatro estações várias vezes por ano, o que provoca variações enormes de temperatura", explicou nesta quarta-feira William Welsh, da Universidade Estadual de San Diego, na apresentação da descoberta na reunião da Sociedade Astronômica Americana, no Texas.
O planeta Kepler-10b orbita uma estrela muito similar ao Sol, embora cerca de 4 bilhões de anos mais velha do que ele, e fica a 560 anos-luz do nosso Sistema Solar; o exolplaneta fica realmente muito próximo de sua estrela, o que produz temperaturas realmente quentes 


O planeta Kepler-10b orbita uma estrela muito similar ao Sol, embora cerca de 4 bilhões de anos mais velha do que ele, e fica a 560 anos-luz do nosso Sistema Solar; o exolplaneta fica realmente muito próximo de sua estrela, o que produz temperaturas realmente quentes 
O planeta HAT-P-7b é um gigante conhecido como “Júpiter quente”; ele orbita uma estrela muito mais quente que o nosso Sol
Dois planetas do tamanho de Saturno que foram descobertos pelo telescópio da Nasa e que orbita a estrela Kepler-9 
O planeta Kepler-16b orbita duas estrelas e, por isso, foi comparado ao mundo ficcional Tatooine, da série “Guerra nas Estrelas”, onde Anakin Skywalker cresceu 
Sistema multiplanetário Kepler-11, composto por seis planetas que orbitam uma estrela parecida com o Sol
O planeta HD 149026b é provavelmente o mais quente já descoberto no Universo, com mais de 2.000°C; a temperatura é tão elevada que os astrônomos acreditam que ele absorva praticamente todo o calor de sua estrela, sem refletir luz 
Ilustração do Kepler-20e, ligeiramente menor do que a Terra, tem 0,86 vez o raio terrestre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.