Welcome To My Blogger
O Blogger "Somos Físicos" aborda assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todas as postagens são pesquisas e coletadas na internet.

Welcome To My Blogger

terça-feira, 5 de novembro de 2013

PLANETAS HABITÁVEIS DO TAMANHO DA TERRA

A busca por outros planetas como a Terra na galáxia teve um grande impulso ontem (04 de novembro), com a descoberta de centenas de planetas alienígenas recém identificados pela sonda Kepler, da NASA, incluindo 104 novos mundos que poderiam suportar a vida.
O número total de candidatos a planetas subiu para 3.538. Dos 104 planetas na zona habitável, 10 deles são do tamanho da Terra, segundo os cientistas.
A sonda Kepler, lançada em 2009, teve como objetivo determinar que fração de estrelas na Via Láctea abriga planetas do tamanho da Terra que orbitam a zona habitável. Agora, os cientistas estão à beira de responder a essa pergunta.
O telescópio Kepler passou os últimos quatro anos olhando para um pedaço do céu na constelação de Cygnus, identificando variações minúsculas no brilho das estrelas, o que indica que um planeta está cruzando a sua frente.
E uma variedade muito grande de planetas foi detectada, incluindo “Júpiteres quentes”, mundos gigantes gasosos que orbitam muito perto suas estrelas hospedeiras; mundos gelados semelhantes a Netuno, e as chamadas “Super-Terras”.
O Kepler parou funcionar no dia 11 de maio, quando sofreu uma falha na segunda das quatro rodas de reação. Mas os cientistas vão continuar explorando as vastas quantidades de dados já tomadas para encontrar novos planetas.

Planetas habitáveis do tamanho da Terra são comuns no universo

Cerca de uma em cada cinco estrelas como o sol observadas pela sonda Kepler, da NASA, tem um planeta do tamanho da Terra na chamada zona habitável, onde a água líquida – e, potencialmente, a vida – pode existir. Se estes resultados se aplicarem em outras partes da galáxia, o tal planeta mais próximo poderia estar a apenas 12 anos-luz de distância.
“Os seres humanos têm observado as estrelas durante milhares de anos”, disse o pesquisador Erik Petigura, estudante de pós-graduação da Universidade da Califórnia, nos EUA. “Quantas dessas estrelas têm planetas que são de alguma forma parecidos com a Terra? Estamos muito animados hoje para começar a responder a essa pergunta”.
A descoberta, detalhada ontem (04 de novembro) na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências, não dizem nada sobre se esses planetas realmente suportam a vida – só que neles se encontram alguns dos critérios conhecidos para a habitabilidade. Ontem também foi anunciada a descoberta de 833 candidatos a planetas, incluindo 104 habitáveis.
“Eu acho que é, de longe, a estimativa mais confiável disponível, mas eu não acho que é a final,” disse François Fressin, astrônomo do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, que não estava envolvido no estudo.
Para encontrar esses exoplanetas do tamanho da Terra, Petigura e seus colegas usaram medições do brilho estelar para procurar variações de brilho na estrela, o que indica a presença de um planeta.
Petigura e seus colegas desenvolveram um software para peneirar um conjunto gigantescos de dados do Kepler. O campo de visão da sonda inclui cerca de 150.000 estrelas, mas a maioria destas são brilhantes demais para detectar um planeta. A equipe examinou 42 mil estrelas “tranquilas”, encontrando 603 candidatos a planetas em torno destas estrelas, dos quais 10 eram do tamanho da Terra e estavam na zona habitável.
A equipe definiu planetas do tamanho da Terra como os que têm um raio de uma a duas vezes o do nosso planeta. Planetas foram considerados na zona habitável se eles recebiam cerca de tanta luz quanto a Terra recebe do Sol.
Eles usaram o telescópio Keck I, no Havaí, para verificar os espectros das estrelas, a fim de definir o raio dos planetas.
Os pesquisadores foram rápidos em apontar que o fato de que esses planetas são do tamanho da Terra e se encontram na zona habitável não significa que eles podem suportar a vida. Mesmo que os planetas tenham todos os ingredientes básicos para a vida, os cientistas não podem ainda calcular as chances da vida existir nesses planetas, pois muitos outros fatores devem ser levados em consideração.
A definição de planetas do tamanho da Terra neste estudo foi bastante ampla, Fressin disse. Por exemplo, um planeta que tem um raio duas vezes o tamanho da Terra pode até não ser rochoso, disse ele.
Na semana passada, pesquisadores relataram a descoberta do planeta alienígena Kepler-78b, um mundo rochoso que possui quase o mesmo tamanho e densidade da Terra. Mas Kepler-78b está perto demais de sua estrela para ser habitável, com uma temperatura superficial de mais de 2.000 graus Celsius


Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.