Welcome To My Blogger
O Blogger "Somos Físicos" aborda assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todas as postagens são pesquisas coletadas na internet. OUTUBRO ROSA

Welcome To My Blogger

terça-feira, 1 de outubro de 2013

RADIAÇÃO SOLAR


A luz solar é a fonte de irradiação que nos envolve. Ela é constituída por radiação de comprimentos de ondas diversas, que constituem o chamado eletromagnético, sendo parte da luz visível e luz infravermelha e parte invisível, raios ultravioletas.
A radiação na faixa ultravioleta se divide em raios do tipo A (UVA) do tipo B (UVB) e do tipo C (UVC). Para que você entenda o mecanismo pelo qual o sol pode ou não agredir a sua pele é preciso que você conheça um pouco mais sobre os raios solares e suas propriedades:     
 
UVA: Maior parte do espectro da radiação ultravioleta. São os mais longos e atingem áreas mais profundas da pele. Produzem alterações que levam a manchas, ao fotoenvelhecimento e ao câncer. Mantêm sua intensidade constante durante todo o ano.
UVB: Menos longos e, portanto, penetram pouco na pele. Têm incidência maior no verão, em altas altitudes e próximos à linha do Equador. São responsáveis pela vermelhidão e queimaduras após a exposição solar. Também podem causar câncer de pele.
UVC: Os mais perigosos. Mas graças à camada de ozônio, essa radiação é absorvida antes de chegar à Terra.
Cerca de 80% dos raios solares conseguem penetrar na Terra mesmo em dias nublados, o que nos obriga a nos proteger o ano todo.
Os filtros solares são produtos capazes de proteger nossa pele dos raios ultravioleta evitando assim o fotoenvelhecimento e o desenvolvimento de câncer de pele. Mesmo nos dias sem sol é aconselhado a utilização de filtros solares pois cerca de 80% dos raios solares conseguem penetrar na Terra mesmo em dias nublados, o que nos obriga a nos proteger o ano todo.     
O Sol emite vasta quantidade de energia, que viaja pelo espaço na forma deradiação de ondas curtas. Apenas uma pequena proporção dessa energia chega à superfície. Mas a maioria da atmosfera não é aquecida diretamente pela radiação solar, e sim pela radiação terrestre que o planeta mesmo emite. Já viu um vídeo de alguém fritando um ovo na calçada em um dia quente? É o calor emitido pelo pavimento que o frita, e não o calor do sol. A superfície da Terra absorve radiação solar e emite radiação terrestre. 
Por que o ar absorve a radiação do planeta no retorno e não como energia solar diretamente? Bem, a Terra carregada pelo Sol emite radiação de ondas longas. Enquanto o vapor de água e o dióxido de carbono permitem a passagem das ondas curtas que escapam ao planeta, eles absorvem as ondas longas da Terra, aquecendo o planeta de baixo para cima. É por isso que um alpinista encontra cada vez mais frio à medida que a escalada progride, ainda que esteja sempre mais próximo do Sol. 
Os cientistas dividem a atmosfera em quatro camadas, com base em sua temperatura: 
Troposfera: com a exceção de satelites e alguns poucos aviões, nosso mundo todo reside nessa camada inferior. Mesmo as montanhas mais elevadas não excedem o limite superior, chamado tropopausa, cerca de 11 km acima do nível do mar (a espessura da troposfera varia de acordo com a latitude e estação do ano). Nesse ponto, a queda de temperatura que progride à medida que a altitude aumenta deixa de acontecer. A troposfera responde por todo o nosso clima e por 80% da massa de ar da Terra. Lembrem-se de que quanto menor a altitude, maior a pressão do ar. Mesmo que essa camada seja menor que as superiores, as moléculas estão agrupadas com mais densidade. 
Estratosfera: essa camada se estende por mais 37 km céu acima e termina a 48 km de altitude, na estratopausa. Caso você suba pela atmosfera, a queda constante de temperatura que ocorre na troposfera cessaria na tropopausa e a temperatura se manteria constante por mais 20 km de estratosfera.
 Nesse limite, a temperatura voltaria a subir, graças ao ozônio, que absorve a radiação ultravioleta do Sol. A temperatura continuaria a subir até a estratopausa. 
Mesosfera: acima da estratopausa, a terceira camada da atmosfera começa a se resfriar gradualmente à medida que você se aproxima da mesopausa, localizada cerca de 80 km acima da superfície da Terra. As mais frias temperaturas da atmosfera ocorrem lá, caindo a 90 graus centígrados negativos [fonte: Tarbuck and Lutgens].
Termosfera: a camada final da atmosfera terrestre se estende da mesopausa até o limite extremo do espaço. As moléculas de ar nessa camada de baixa densidade são muito escassas.
 Em função delas possuírem menos massa, absorvem a radiação solar muito mais rápido. A temperatura na termosfera pode atingir os 1.700 graus. Mas a impressão de calor seria menor devido à baixa densidade. Pense em uma molécula em temperatura de 1.700 graus como um cachorro fedido. Caso você estivesse cercado por uma dúzia deles espalhados por um campo de futebol, não perceberia o mau cheiro, mas se estivesse com apenas um trancado em um armário, logo estaria prendendo a respiração. 

A radiação solar causa bronzeamentos, queimaduras solares, envelhecimento precoce da pele, câncer de pele, dano ocular (catarata e outros) e diminuição das defesas da pele (imunodepressão), o que facilita o aparecimento de algumas doenças, como herpes. A radiação UVA é a principal causadora do envelhecimento e da diminuição das defesas, enquanto UVB é a responsável pelas queimaduras solares. Ambas causam câncer de pele, sendo que UVA parece estar mais relacionada ao aparecimento de melanoma.

Como a radiação UV causa dano à saúde? 

A radiação UV pode causar dano ao DNA da célula, causando mutações no DNA. Estas mutações são características da exposição à radiação UV e são conhecidas como assinatura UV. Estas mutações podem levar a uma alteração em genes que no final acabam causando câncer de pele. Além desta ação mutagênica, a radiação UV também age causando imunossupressão, diminuindo as defesas do corpo, dificultando que o corpo combata um possível começo de câncer. Por fim, a radiação UV causa oxidação e gera radicais livres.

Existe algum sintoma da exposição à radiação UV?

Não existe sintoma. A radiação UV é indolor, não gera calor, não há como sentir se está ou não exposto a ela. Claro, você pode ficar ardido e vermelho após tomar sol, mas este efeito é tardio, enquanto estava exposto podia não sentir nada. O calor que sentimos quando nos expomos ao sol é dado pela radiação infravermelho.

Como posso saber a intensidade da radiação UV?

Existe um índice chamado índice ultravioleta ou Índice UV. Este índice é uma previsão da intensidade da radiação ultravioleta do sol incidente sobre a superfície da terra, parecido com a previsão do tempo. É um importante indicador dos efeitos da radiação sobre a pele humana. 

Bibliografia:
1.    Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer – INCA, Estimativas da Incidência e mortalidade por câncer. Rio de Janeiro: INCA, 2003.
2.    Sociedade Brasileira de Dermatologia – www.sbd.org.br
3.    American Academy of Dermatology – www.aad.org
4.    Skin cancer foundation – www.skincancer.org
5.    Rodenas JM, Delgado-Rodriguez M, Herranz MT,Tercedor J, Serrano S. Sun exposure, pigmentary traits, and risk of cutaneous malignant melanoma: a case-control study in a Mediterranean population. Cancer Causes Control 1996; 7: 275–283.
6.    Ulrich C, Jürgensen JS, Degen A, Hackethal M, Ulrich M, Patel MJ, Eberle J, Terhorst D, Sterry W, Stockfleth E. Prevention of non-melanoma skin cancer in organ transplant patients by regular use of a sunscreen: a 24 months, prospective, case-control study. Br J Dermatol. 2009 Nov;161 Suppl 3:78-84.
7.    Antoniou C, Kosmadaki MG, Stratigos AJ, Katsambas AD. Sunscreens--what's important to know. J Eur Acad Dermatol Venereol. 2008 Sep;22(9):1110-8.
8.    Scherschun L, Lim HW. Photoprotection by sunscreens. Am J Clin Dermatol. 2001;2(3):131-4.
9.    Hussein MR. Ultraviolet radiation and skin cancer: molecular mechanisms. J Cutan Pathol 2005: 32: 191–205



Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.