"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

domingo, 23 de junho de 2013

SUPER LUA

24,6 mil quilômetros mais perto do que o normal
Em astronomia, chama-se superlua ou superlua cheia é a ocasião na qual a lua cheia se situa a não mais de 10% do seu ponto mais próximo da Terra no percurso da sua órbita (o perigeu). Isto acontece devido à órbita lunar ser elíptica e o seu centro não coincidir com o centro da Terra. Nos referidos casos, aparenta ser maior e mais brilhante que o normal.
Sabemos que os planetas descrevem ao redor do Sol uma órbita elíptica, sendo então um dos focos ocupados pelo Sol. Com o nosso satélite natural não é diferente; a Lua também descreve uma orbita elíptica em torno da Terra, ocupando então um dos focos. 
Por descrever uma orbita elíptica (oval), a Lua fica mais próxima ou mais distante da Terra. Quando a Lua encontra-se no ponto mais próximo da Terra, dizemos que ela está no Perigeu, e quando está no ponto mais distante, dizemos que ela está no Apogeu.


A Lua está a uma distância de 384.405 km da Terra. No perigeu essa distância cai para 357.448 km e no apogeu passa a ser de 405.363 km.
É certo que quando a Lua estiver no ponto mais alto do céu o fenômeno não será totalmente percebido a olho nu. Para notar a grande Lua temos que observá-la quando estiver localizada no horizonte, assim será fácil compará-la com outros objetos menores, como árvores ou prédios, por exemplo.
Embora seja verdade que, estando a Lua mais próxima da Terra, a atração gravitacional entre os dois astros aumente segundo a Lei da Gravitação Universal de Newton.
NEW YORK
FLORIANÓPOLIS
RIO DE JANEIRO
super-lua-no-rio-de-janeiro-size-598
ESPANHA
Super Lua acontece domingo; fenômeno é verdade ou mito?
E.U.A
ATENAS
REINO UNIDO
Superlua - Torre de St. Michael, no Reino Unido
INGLATERRA
Superlua - Inglaterra
RUSSIA
Superlua - Catedral de Santo Isaac, em São Petersburgo, Rússia

domingo, 16 de junho de 2013

OS CIENTISTAS MAIS IMPORTANTES PARA A CIÊNCIA


Eles tiveram ideias e fizeram descobertas que transformaram o mundo. Seus pensamentos explicaram desde o funcionamento das forças que regem o cosmo até o que acontece no nosso corpo e mente. Graças a eles o ser humano conseguiu compreender e dominar muitos aspectos da natureza, de coisas que antes eram atribuídas à vontade de deuses ou demônios. Entre todos os cientistas que ao longo da história têm contribuído para isso alguns destacam-se por sua genialidade. Eles são os cientistas mais influentes de todos os tempos.
Foi principalmente desde o fim da Idade Média que a humanidade começou a desenvolver uma concepção científica do mundo. Naqueles tempos, a ideia de que há leis na natureza que regem todos os fenômenos começou a se sobrepor a superstições e ao medo da magia. A matemática, que vinha se desenvolvendo desde o antigo Egito, foi a base das descobertas extraordinárias que começaram a acontecer. Os responsáveis por isso foram homens que usaram a ciência para iluminar os caminhos da civilização, com conquistas tecnológicas, médicas e sociais, entre outras, praticamente inimagináveis há apenas alguns séculos. Conheça nas páginas a seguir quem são dez dos mais influentes cientistas de todos os tempos, apresentados em ordem cronológica

Nicolau Copérnico (1473-1543)

A partir de suas observações do céu a olho nu, pois a luneta ainda não havia sido inventada, o polonês Nicolau Copérnico fez uma descoberta que causou a primeira grande revolução em nossa concepção do universo. Estudioso de astronomia, matemática e medicina, ele escreveu "Sobre as Revoluções das Esferas Celestes", na qual afirmou que a Terra gira em torno de seu próprio eixo uma vez por dia e em torno do Sol uma vez por ano. Numa época em que os dogmas da então poderosa Igreja Católica afirmavam que a Terra ficava parada no espaço e era o centro do universo, a descoberta de Copérnico era fantástica e ousada. Sua concepção de heliocentrismo, ainda que imperfeita, pois previa órbitas circulares dos planetas em torno do Sol, quando na verdade elas são elípticas, iniciou um fabuloso processo de descobertas astronômicas e físicas nas décadas a seguir.

Galileu Galilei (1564-1642)


O italiano Galileu Galilei foi um dos primeiros a perceber como a matemática aplicada aos fenômenos naturais nos propicia um poder extraordinário para compreender o que acontece no cosmo. Algumas décadas depois de Copérnico ter concebido o sistema heliocêntrico, Galilei o confirmou após dedicar sua vida à pesquisa, à observação dos planetas, aos cálculos e ao aperfeiçoamento do telescópio. Além da concepção heliocêntrica, Galilei cometeria outra heresia ao contestar os pensamentos inquestionáveis de Aristóteles sobre o movimento. Mas foi sua afirmação de que a Terra, assim como os outros planetas conhecidos, giravam em torno do Sol que o levou ao tribunal da Santa Inquisição. Para escapar da morte na fogueira, Galilei assinou uma declaração na qual se considerava um pecador por tal afirmação. No entanto, após tê-la assinado, ele teria murmurado: "Mas ela gira".

Johannes Kepler (1571-1628)


Contemporâneo de Galileu Galilei, Kepler foi responsável por descobrir que a volta que os planetas dão em torno do Sol é elíptica e não circular como acreditavam Copérnico e Galilei. Sua dedicação à matemática euclidiana era tal que afirmou: "a geometria é Deus". O talento matemático do alemão Kepler o levou a trabalhar ao lado do nobre dinamarquês e matemático imperial Tycho Brahe. O dinamarquês possuía observações astronômicas muito mais precisas do que qualquer um naquela época e elas foram fundamentais para as conclusões de Kepler. O movimento orbital de Marte, observado por Brahe, levou Kepler a descobrir que as órbitas dos planetas em torno do Sol eram elípticas. E ele foi além. O alemão desenvolveu as três leis fundamentais dos movimentos planetários e com isso fundou a astronomia moderna.

Isaac Newton (1642-1727)


O legado de Copérnico, Galilei e Kepler foi fundamental para que o inglês Isaac Newton desenvolvesse suas ideias sobre gravitação universal, uma audaciosa suposição que mudou o destino da ciência. Ainda jovem, Newton desenvolveu o cálculo, uma das mais importantes áreas da matemática moderna, além de ter elaborado o conceito de força e a teoria mecânica. O cálculo possibilitou a Newton ter as técnicas necessárias para suas descobertas a respeito da gravidade. A primeira de suas três famosas leis diz que um corpo permanece em repouso ou em movimento uniforme ao longo de uma linha reta, a menos que sofra ação de uma força externa (lei da inércia). A segunda afirma que o efeito de uma força contínua sobre um corpo inicialmente em repouso ou em movimento uniforme é fazê-lo acelerar. E a terceira diz que se um corpo exerce uma força sobre o outro, o segundo exercerá ao mesmo tempo força oposta e da mesma intensidade sobre o primeiro. Newton, ao combinar teoria mecânica e matemática, explicou como o mundo funciona e como é possível calcular o que acontece nele.

Antoine Laurent Lavoisier (1743-1794)


Apesar de cursar direito na faculdade, eram as aulas de ciência que interessavam ao nobre francês Antoine Lavoisier. Foi esse interesse que o levou a escrever "Tratado Elementar da Química", obra que marcou a fundação da química moderna. Sua contribuição mais famosa e importante é a lei da conservação da matéria, na qual afirma que na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. O cientista foi responsável também por elaborar a nomenclatura das substâncias químicas e pela descoberta de que a água é uma substância composta, formada por hidrogênio e oxigênio, uma afirmação que contrariava um dos princípios aristotélicos até então em vigor, que pressupunha que a água era uma substância impossível de se decompor. Ligado à nobreza e ao governo monárquico, Lavoisier foi morto na guilhotina durante a Revolução Francesa

Charles Darwin (1809-1882)


Antes dele, a ciência já havia mostrado que a Terra não era o centro do universo. Com as descobertas de Charles Darwin um novo e definitivo golpe foi desferido nos dogmas religiosos e nos mitos de criação divina do cosmo e do ser humano. Se dependesse de seu pai, Darwin teria concluído os cursos de medicina ou teologia, mas o interesse do inglês por botânica o fez embarcar na expedição que o navio HSM Beagle fez para a América do Sul, numa missão de pesquisa científica. Foi durante essa viagem que ele fez as observações que o levariam a desenvolver a revolucionaria teoria da evolução das espécies. Suas conclusões mostravam que a humanidade era somente um passo a mais num processo evolutivo de sobrevivência e de seleção natural. Até hoje a ideia de que o homem descende do macaco é a mais ousada já desenvolvida pela ciência. A revolução que colocava o ser humano no seu devido lugar no universo, iniciada por Copérnico, estava concluída com a publicação de “Sobre a origem das espécies por meio da seleção natural”, de Charles Darwin.

Louis Pasteur (1822-1895)


Sua descoberta da ação dos microorganismos teve impactante consequência tanto na química como na medicina. O francês Louis Pasteur ao investigar os processos de fermentação do vinho e da cerveja descobriu que eles ocorriam devido a ação de microorganismos que se encontram no ar. Isso o fez compreender que os microorganismos eram responsáveis também por moléstias contagiosas. As descobertas de Pasteur o levaram a criar métodos para evitar a ação desses nocivos agentes externos tanto nos alimentos, com a criação do processo de pasteurização, como nos seres humanos, com o desenvolvimento de medidas profiláticas na medicina e a criação das vacinas, como a anti-rábica. A contribuição de Pasteur possibilitou estabelecer uma nova e melhor perspectiva de vida para a humanidade.

Sigmund Freud (1856-1939)


No final do século 19, o homem já conhecia bastante sobre o funcionamento do universo e do corpo humano. Mas não sabia muito sobre a principal ferramenta que utilizava nessas descobertas: a mente. Graças às investigações científicas experimentais de um médico neurologista austríaco isso mudou radicalmente. Sigmund Freud desenvolveu um conjunto de teorias e práticas clínicas para compreender os problemas mentais que nos afligem. O resultado foi a criação da psicanálise, ao mesmo tempo campo de estudo e tratamento que mostram que são fatores psicológicos e não orgânicos os causadores de muitos males que acometem a mente humana. O desenvolvimento da psicanálise por Freud possibilitou o tratamento de uma série de desordens mentais, como histerias, neuroses e depressões. Suas descobertas e pensamentos influenciaram boa parte da produção intelectual, das ciências humanas às artes, desde o início do século 20.

Albert Einstein (1879-1955)


Quando Albert Einstein nasceu fazia quase dois séculos que Isaac Newton havia provado que tempo e espaço eram absolutos e não tinham nenhuma relação com coisas exteriores. Desde então acreditava-se que o tempo fluía de modo equitativo e o espaço permanecia sempre semelhante e inamovível. Essas certezas cairiam por terra com as ideias de Einstein. O cientista alemão supôs que não há nada que se possa chamar de movimento absoluto. Segundo Einstein, toda velocidade é relativa ao referencial específico que a define. Assim, se há movimento relativo, o tempo e o espaço se tornam relativos e o tempo é tão intrinsecamente ligado ao espaço que se torna uma quarta dimensão dele. Com sua Teoria da Relatividade, Einstein provocou uma revolução na nossa visão sobre o universo. Suas ideias anunciaram o fim da física clássica e o início da era da física quântica e da energia nuclear.

Niels Bohr (1885-1962)


Ele solucionou um dos maiores enigmas da ciência: o da estrutura atômica. E fez isso ao usar um então inovador campo do conhecimento científico: a física quântica. O dinamarquês Niels Borh, ganhador do Nobel de Física de 1922, começou suas revolucionárias descobertas ainda jovem. Quando estudava na Universidade de Copenhague, Bohr compreendeu em um de seus experimentos que as regras da física clássica não se aplicavam aos níveis subatômicos. Segundo ele, para entender o que acontecia dentro de um átomo, era necessário desenvolver uma nova física. Ao aplicar a teoria quântica do alemão Max Planck, Bohr mostrou que ela era essencial para explicar os fenômenos subatômicos. Suas descobertas levaram ao desenvolvimento da mecânica quântica e à precisa explicação do que acontecia numa fissão nuclear.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

OS CASTELOS MAIS INCRÍVEIS DO MUNDO


Castelo de Bodiam – Inglaterra
Um castelo cujo tipo estamos familiarizados: ao seu redor, um fosso de água; formato retangular com torres nos cantos e duas saídas, sendo uma na frente e outra atrás

Castelo de Lichtenstein – Alemanha
É um castelo daqueles que nos faz perguntar ”Como é que isso foi construído?”. Seu nome significa pedra de luz, além disso, o lugar é como um museu, cheio de armas e armaduras antigas.

Castelo de Neuschwanstein – Alemanha
Este já é bem menor que o primeiro, mas mesmo assim merece destaque, foi construído no século XIX e serviu de inspiração para muitos filmes, dentre eles, o da Bela Adormecida, da Disney.

Castelo de Vianden – Luxemburgo
Sua construção é datada de entre os séculos XI e XIV, e ainda é considerado um dos maiores e mais belos de sua época.

Castelo de Dover – Inglaterra
Sem dúvida um dos mais desafiadores a serem tomados. Foi construído no século XII e era conhecido como a chave para a Inglaterra, pois teve uma imensa importância na defesa do país.

Castelo de Hochosterwitz – Áustria

Esta bela obra da Idade Média foi construído a 160 metros de altura e pode ser visto a mais de 30 km de distância. É um dos grandes marcos austríacos.

Chateau de Chenonceau – França
Tendo boa parte dele construída em cima da água e servindo como ponte, é um castelo que sem dúvida merece destaque, sem falar que existem relatos históricos que mostram que ele foi construído um pouco antes do século XI.

De Haar Castle, Holanda

De Haar Castle fica perto de Haarzuilens, na província de Utrecht, Holanda. O interior do castelo é decorado com talha ricamente ornamentada, que lembra o interior de uma igreja católica romana.

Blair Castle, Escócia



Blair Castle está localizado perto da vila de Blair Atholl, em Perthshire, Escócia. O Castelo, uma das principais casas senhoriais da Escócia, está aberto para os visitantes em uma base diária. Seus muitos quartos possuem importantes coleções de armas, troféus de caçaa, as lembranças do clã Murray, Etnografia, pinturas, mobiliários e etc.



Moritzburg Castle, Alemanha



Moritzburg Castle é um castelo barroco localizado no município de Moritzburg no Estado alemão da Saxônia, cerca de 13 km a noroeste da capital Dresden. O castelo é famoso por suas decorações de arenito e estuques.


Hohensalzburg Castle, Áustria



Hohensalzburg Castle é um castelo da cidade austríaca de Salzburgo, no topo do Festungsberg. Com um comprimento de 250 metros e uma largura de 150 metros, é um dos maiores castelos medievais na Europa


Trakoscan Castle, Croácia




rakoscan Castle é um castelo localizado no norte da Croácia, que remonta o século 13. Tem sido meticulosamente mantido e é atualmente um dos mais bem conservados prédios históricos do país.



Ashford Castle, Irlanda




Ashford Castle é um castelo medieval perto Cong no condado de Galway, Irlanda, às margens do Lago Corrib. Geograficamente, o castelo está localizado em Co. Galway, no lado sul do rio Cong.





Boldt Castle, Nova Yorque





Boldt Castle, localizado em Nova York, nas Ilhas Thousand do rio São Lourenço ao longo da fronteira norte do Estado de Nova York, é um marco importante e atração turística na região.





Frederiksborg Castle, Dinamarca




Frederiksborg Castle é um castelo localizado em Hillered, na Dinamarca. Foi construído como uma residência real para o rei Cristiano IV, e agora é conhecido como o Museu de História Nacional. O palácio está localizada em três pequenas ilhas no meio do Lake Palace(dinamarquês, Slotse), e estão ligados por um grande jardim barroco formal.





Leeds Castle, Inglaterra




Leeds Castle está localizado a 4 quilômetros a sudeste de Maidstone, Kent, Inglaterra. O castelo está situado a leste da vila de Leeds, Kent, que não deve ser confundida com a cidade muito maior e mais conhecida de Leeds, em West Yorkshire.



Matsumoto Caslte, Japão





Matsumoto Castle, também conhecido como o “Crow Castle” (em português, Castelo Corvo) por causa de seu exterior preto, é um dos principais castelos históricos do Japão. Ele está localizado na cidade de Matsumoto, em Nagano e, com fácil acesso por Tóquio.

Gifu Castle, Japão



Gifu Castle é um castelo localizado na cidade de Gifu, Japão. Junto com o Monte Kinka, e o Rio Nagara, é um dos principais símbolos da cidade.

Castle of Jehay, Bélgica



Jehay Castle é um castelo situado no município de Amay, na província de Liège, na Bélgica. O castelo é aberto aos visitantes alguns dias por semana durante o verão.

Culzean Castle, Escócia



Culzean Castle é um castelo perto de Maybole, Carrick, na costa de Ayrshire, Escócia. É a antiga casa do marquês de Ailsa, mas agora é propriedade do National Trust for Scotland. O castelo falésia encontra-se dentro do Castelo Culzean Country Park e é aberto ao público.

Peles Caslte, Romênia

Peles Castle é um castelo neo-renascentista, colocado em um cenário idílico nas montanhas dos Cárpatos, perto de Sinaia, em Prahova, Romênia, em uma rota medieval existente ligando a Transilvânia, e a Valáquia, construída entre 1873 e 1914.

Guaita Castle, San Marino



Guaita é um dos três picos que domina a cidade de San Marino, a capital de San Marino. O Guaita é a mais antiga das três torres construídas no Monte Titano, e o mais famoso. Foi construído no século 11 e serviu brevemente como uma prisão.



Rocca Pia Castle, Itália



Rocca Pia Castle está localizado em Rocca Pia – uma comuna italiana e cidade na província de L’Aquila, na região de Abruzzo da Itália. O castelo substituiu o anterior Calisto II Borgia e deriva seu nome de Pio II Piccolomini, o papa humanista que ordenou que o castelo seria construído no Tivoli.



Castle of La Mota, Espanha



Castle of La Mota, ou Castillo de La Mota é uma fortaleza medieval reconstruída, localizada na cidade de Medina del Campo, na província de Valladolid, Espanha. É assim chamado devido à sua localização sobre um monte elevado, uma mota.



Biltmore Estate, EUA – Carolina do Norte



Biltmore Estate é uma mansão de estilo Châteauesque perto de Asheville, Carolina do Norte, construída por George Washington Vanderbilt II entre 1889 e 1895. É a maior casa de propriedade privada nos Estados Unidos