Welcome To My Blogger
O Blogger "Somos Físicos" aborda assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todas as postagens são pesquisas e coletadas na internet.

Welcome To My Blogger

sábado, 25 de fevereiro de 2012

FORÇAS DA NATUREZA V TROMBA D'ÁGUA

TROMBA D'ÁGUA
Tromba de águatromba-d'água, ou tromba marinha, é um fenómeno meteorológico semelhante aos tornados que se forma sobre o mar ou sobre massas de águas interiores de grande extensão. 
Consiste na formação de um vórtice intenso, visível sob a forma de uma nuvem colunar, em forma de estreito funil, que gira rapidamente em volta de si mesma, ligando a superfície da água à base de uma nuvem cumuliforme
A tromba de água eleva na sua base grande quantidade de borrifos de água, que projeta em todas as direções. 
O fenómeno é mais frequente nas regiões tropicais, mas pode, também, ser encontrado nas regiões de latitude média. 
Apesar da aparência assustadora, o turbilhão úmido geralmente não causa grande destruição. 
Em comparação com os tornados formados no continente, cujas rajadas ultrapassam 200 km/h, as trombas-d’água são mais amenas, pois seus sopros chegam no máximo a 80 km/h. Isso acontece porque a formação da espiral de ventos depende do aquecimento da superfície. 
"Como o mar se aquece muito menos que a terra firme, as correntes de ar quente que ajudam a formar os tornados oceânicos são bem menos intensas", diz a meteorologista Maria Assunção da Silva Dias, também da USP. 
O grande problema é quando aparecem várias trombas-d’água na mesma região - ou quando uma área é afetada pela espiral e também pelas chuvas torrenciais da nuvem que a originou.
 Aí, sim, podem ocorrer enchentes destruidoras.

ESPIRAL VIAJANTE

 O Fenômeno nasce no mar e caminha em direção ao litoral
 Em geral, uma tromba-d’água surge a partir de enormes nuvens de tempestade, que podem ter mais de 12 quilômetros de altura e 10 quilômetros de diâmetro. Para que o fenômeno aconteça, correntes de ar quente devem carregar bastante umidade para camadas mais altas da atmosfera
 Em estações de clima ameno, sobretudo na primavera, as correntes de ar quente e úmido que sobem do mar se chocam com o ar frio e seco das camadas elevadas. Dentro da nuvem, o contato entre as correntes faz surgir uma espiral de ventos. Dependendo da força das correntes, a espiral aumenta de tamanho
Quando a intensidade das correntes é grande, o turbilhão de ventos se expande e atinge a superfície do mar, soprando gotículas de água para dentro da espiral. Impulsionado pelas rajadas da baixa atmosfera, o tornado oceânico molhado - com até 1 quilômetro de altura e 100 metros de diâmetro - avança rumo ao continente
Os efeitos mais perigosos das trombas-d’água ocorrem quando a espiral se desloca pelo mar. Ventos superiores a 60 km/h podem surpreender pequenas embarcações, virando canoas e barcos a remo. 
Mas, como o turbilhão avança a pouco mais de 20 km/h, navios com motor conseguem desviar facilmente da rota da tempestade
Quando chega ao continente, a tromba-d’água entra em contato com as construções do litoral, provocando uma chuva rápida e intensa. 
tempestade não costuma causar inundações, porque os pingos caem ao longo de toda a trajetória da espiral, e não em uma única área. 
Os ventos também não são tão fortes: no máximo, podem derrubar galhos de árvores e destelhar casas
Depois do atrito com a terra firme e com as construções da orla, a maioria das gotículas de água já caiu no continente. Os ventos também perdem força e a tromba-d’água começa a se dissipar. 
Todo o processo é bem rápido: a maioria dos tornados oceânicos não costuma durar mais que 20 minutos
RUSSIA
TURQUIA
AUSTRÁLIA
MÉXICO
FLÓRIDA

BAHAMAS
HAIA
BRASILIA
PARÁ
RIO DE JANEIRO
SANTA CATARINA
FONTES

Um comentário:

  1. que legal .+ eu só voçto se tiver algo interesante entrao poste ai, aque vcs tem de melhor porque essa materia é nota 10.

    ResponderExcluir

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.