"Somos Físicos". Assuntos diversos relacionados a Ciência, Cultura e lazer.Todos os assuntos resultam de pesquisas coletadas na própria internet.

Welcome To My Blogger

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

"Somos Físicos" Porque o Iraque é Chamado de Terra Santa.

الصورة الكبيرة - إقليم كردستان يؤوي 1.4 مليون نازح عراقي ولاجئ س


Você sabia que a terra onde se disputa uma guerra com interesses mundiais em função do petróleo possui memoráveis histórias e mitos da civilização?
Se você não sabe, veja a seguir: 

1. O jardim do Éden, segundo estudos da arqueologia, provávelmente, era no 



Iraque.


Onde ficava o Jardim do Éden? - Dr. Curioso



Provavelmente, você já ouviu a respeito do Jardim do Éden, sobre a história de Adão e Eva e como Deus criou todo o universo. Lugar também chamado de paraíso, o Jardim do Éden foi onde Deus deu início a vida humana e criou, através da terra, o primeiro homem do planeta: Adão. É neste paraíso que Deus conta detalhadamente como criou o Universo e como o pecado passou a existir.
Saber onde ficava o paraíso citado na Bíblia desperta o interesse e curiosidade de estudiosos até hoje.  Descrito como um lugar sinônimo de perfeição e beleza, a Bíblia não revela a localização exata do jardim, mas deixa diversas pistas sobre onde ele ficava. A descrição mais clara, está em Gênesis 2:10-14:
"E saía um rio do Éden para regar o jardim e dali se dividia, repartindo-se em quatro braços. O primeiro chama-se Pisom; é o que rodeia a terra de Havilá, onde há ouro. O ouro dessa terra é bom; também se encontram lá o bdélio e a pedra de ônix. O segundo rio chama-se Giom; é o que circunda a terra de Cuxe. O nome do terceiro rio é Tigre; é o que corre pelo oriente da Assíria. E o quarto é o Eufrates." 
Uma primeira observação, é que o jardim era apenas uma parte do Éden, localizado ao leste. No livro de Ezequiel, o Éden é citado sendo localizado na região da Babilônia. Os estudos apontam que o Jardim do Éden ficava onde hoje é a Mesopotâmia, ao Leste.
Um indício que aponta a localização do jardim sendo a Mesopotâmia é a terra do local, que é avermelhada. Segundo a Bíblia, Deus criou Adão do pó da terra, e no hebraico, a palavra Adão significa justamente “vermelho”.

Analisando os rios, temos dois rios bem conhecidos, o Tigre e o Eufrates, que existem até os dias atuais, na Mesopotâmia (Oriente Médio). Os rios Giom e Pison não são tão conhecidos e não existem mais, mas uma imagem de satélite consegue os localizar na mesma região.
Outro fato curioso, que confirma ainda mais a hipótese de localização do jardim, é a quantia de petróleo na região. O petróleo é formado a partir da decomposição de animais e plantas, que vão sendo soterrados com o passar de milhares de anos. O jardim era rico em animais e vegetação, que foram destruídos e enterrados com o dilúvio. Possivelmente, o petróleo da região é resultado da decomposição do jardim, que acontece por milhares de anos.           
Dificilmente se terá certeza de onde exatamente ficava o Jardim do Éden, pois mudanças climáticas e geográficas alteraram parte do local. Provavelmente o local foi destruído quando aconteceu o dilúvio, de Noé. Mas, muitas evidências histórico-geográficas, além de apontar a região, confirmam que o jardim tenha existido um dia.

2. Mesopotâmia, onde agora é o Iraque, foi o berço da civilização
.

Mesopotâmia em imagens – Central da História
HISTÓRIA DO DIREITO — MESOPOTÂMIA - Rascunhando o Direito - Medium

1. A Mesopotâmia

Historicamente, esse nome tem origem na língua grega, observa-se: (do grego antigo Μεσοποταμία; composto de μέσος, “meio”, e ποταμός, “rio”, ou seja “[terra] entre dois rios”), localizada justamente entre os rios Tigre e Eufrates.
Os mesopotâmios eram em sua maioria nômades ou seminômades, caçadores ou coletores e baseavam sua economia em dois importantes entraves: o comércio e a agricultura. Aqueles que desenvolviam a agricultura eram sedentários, assim sendo, o anseio em desenvolver a agricultura está intrinsecamente ligado a procura por regiões férteis, próximas de rios, o que facilitava o desenvolvimento de suas comunidades e, inclusive, o comércio marítimo de caravanas — fortalecendo a economia.

1.1. Os habitantes

Muitos foram os povos que habitaram a mesopotâmia no período que se estima entre os séculos V a.C. e I a.C — destacam-se babilônicos, assírios, sumérios, caldeus, amoritas e acádios.

1.2. Divisão social

As sociedades da época de dividiam em três classes sócias:
  • Soberania;
  • Povo;
  • Escravos (seja por guerras, seja por dívidas);

O direito na mesopotâmia

Até então basicamente restrito a oralidade, é nessa região que surgem as primeiras formas escritas do direito — o que se dá periodicamente em algumas cidades a margem dos rios, se dando pela forma cuneiforme.

“A escrita cuneiforme é a designação geral dada a certos tipos de escrita feitas com auxílio de objetos em formato de cunha”.

Eram sociedades politeístas, extremamente ligadas a religião e se utilizavam dessa para justificar acontecimentos e explicar fenômenos. Até por isso, sintetiza-se que separar o jurídico do pessoal/familiar era completamente inviável a essa realidade e, sendo assim, os ordálios cabiam como forma de legitimação.
As leis eram repassadas as pessoas por meio de anúncios do rei/chefe/ancião em locais públicos ou por meio de provérbios. Ainda assim, o “direito penal primitivo” continuava a se basear na “Lei do Talião” e eram decididas pelo chefe de Estado — figura que delimitava regras que automaticamente assumiam caráter generalizado.
Ademais, é irretorquível enfatizar o principal marco das sociedades mesopotâmias: o desenvolvimento de códigos escritos.
O mais antigo dos códigos é o “ Código de Ur-Nammu” com cerca de 2 040 a.C. E, o mais popular dos códigos é o “Código de Hamurabi” criado e estabelecido por volta do século XVIII a.C. Enquanto o primeiro surgiu na Suméria, o segundo foi obra da primeira dinastia babilônica, se baseia principalmente na “Lei do Talião”, com decisões arbitrárias e penas rígidas. Tornou-se mais conhecido muito em razão do maior número de estudos e curiosidades — que se deram em razão da eventual proximidade se comparada aos escritos anteriores.


Considerações finais:

Fica claro, portanto, que no direito dos povos mesopotâmios o viés mais difundido foi o do direito penal, enquanto as decisões do civil mantiveram-se mais restritas, por exemplo, a acertos de tratados de transporte e comércio.




Ordálio — “Prova judiciária destinada a inocentar ou inculpar um acusado. (O ordálio, também chamado juízo de Deus, foi muito usado nos primeiros séculos da Idade Média. Consistia em submeter à prova do fogo ou da água o acusado, que, se dela saísse salvo,era em geral declarado inocente" 


3. Noé construiu a Arca no Iraque.

IMPACT: Descoberto projeto da Arca de Noé



Uma das histórias mais importantes da Bíblia e da história da humanidade, pode começar a ser comprovada nos dias atuais, com o achado de uma tábua de argila da Mesopotâmia de quase 4 mil anos que descreve a construção de uma arca para enfrentar um grande dilúvio universal, exatamente como descrito no velho testamento sobre a Arca de Noé.  

   A descoberta foi feita pelo arqueólogo e curador do Museu Britânico, Irving Finkel, ele palestrava sobre seu livro " A Arca de Noé", quando recebeu o objeto de um espectador da platéia, intrigado com a antiguidade da peça, Finkel a levou para análise, onde foi comprovada a antiguidade da peça. Finkel levou dois anos para decifrar os textos descritos na tábua e as instruções eram de que o barco tinha que ser inafundável, e que deveria carregar especies de animais em pares, conforme a história bíblica da Arca de Noé, colocando o Iraque como portador de uma história semelhante ao relato bíblico da Arca de Noé. 

O cuneiforme também fala de um dilúvio enviado por Deus e um único sobrevivente em uma arca, que assume todos os animais a bordo para preservá-los. O documento de quase 4 mil anos também fala do material a ser usado na arca e o modo que deveria ser construída, com uma precisão e engenho nunca antes vistos.          Datado de 1750 a.C, seria usada uma grande quantia de corda de fibra de palmeira, ripas de madeira e jarros de betume quente, o barco teria em torno de 200 metros de comprimento, (dois terços de um campo de futebol) com paredes de 6 metros de altura e a informação mais curiosa de todas, a arca teria um formato REDONDO, algo que jamais fora cogitado pelos arqueólogos e estudiosos da Bíblia, mas que na antiga mesopotâmia era perfeitamente aceitável e comum pois era usado esse tipo de barco.    Uma equipe de peritos está montando na Índia, uma arca exatamente como descrito na tábua de argila, com a expectativa de que ela realmente possa navegar e ser resistente, o evento terá cobertura da um documentário na Grã-Bretanha e será transmitindo para outros países pelo mundo.
FONTES: History, Fox News Internacional, Diário  el Nacional (México)

4. A torre de Babel ficava no Iraque.

 (Foto: Reprodução Smithsoniam.com)
lustração sobre rocha destaca desenho que pode ser da Torre de Babel (Foto: Reprodução de vídeo/Smithsonianmag.com)

Novo estudo sobre uma pedra encontrada na antiga Babilônia (atual Iraque) há cerca de um século pode comprovar a existência da Torre de Babel. Segundo o professor da Universidade de Londres Andrew George, no objeto há um desenho de uma torre com degraus e uma pessoa segurando uma lança e usando um chapéu de cone. “Abaixo há um texto que diz ‘zigurate’ [monumento em forma de pirâmide], ou ‘Templo da Babilônia'”, afirma ele em entrevista à Smithsonian

A pedra do século 6 a.C., para o especialista, mostra a primeira imagem real da Torre de Babel, evidenciando as sete camadas da estrutura, além de identificar um homem por trás de sua construção, o imperador Nabucodonosor 2º.
O objeto também revela detalhes da construção da estrutura, e mais importante, como Nabucodonosor a construiu. A história escrita na rocha é como a que está na Bíblia, o que aumenta as suspeitas do pesquisador.
Todas as línguas

De acordo com o Gênesis, primeiro livro da Bíblia, a Torre de Babel foi construída por descendentes de Noé, após o dilúvio. Segundo a história, o monumento teria sido criado para que os homens pudessem se comunicar com Deus, mas foi destruído porque o Todo Poderoso não gostava da soberba das pessoas.


Acredita-se que, se a construção existiu, ela estava situada na capital da Babilônia, Babel, e foi construída em forma de zigurate, ou seja, uma pirâmide com camadas terraplanadas.Líder
Nabucodonosor 2º é considerado por muitos o maior imperador da Babilônia. Governou entre 604 a.C. e 562 a.C. e foi o responsável pela construção de canais, aquedutos e reservatórios por todo território do império.
O governante teve muito sucesso em seus embates, conquistando o território em que hoje fica Jerusalém e derrotando mais de uma vez os egípcios e os fenícios.

5. Abraão era de Ur, que ficava no sul do Iraque. 

Ur (Mesopotâmia) - Knoow
UR DOS CALDEUS-Iraque (avec images) | Civilisation, Les mythes
Museu de Ennigaldi-Nanna – Wikipédia, a enciclopédia livre


6. A esposa De Isaac, Rebeca, era de Nahor, que ficava no Iraque.


7. Jacó encontrou-se com Raquel no Iraque.

ARQUEOLOGIA DO POÇO DE JACÓ - Escola BíblicaNet


O poço de Jacó

Jacob foi o único patriarca que comprou um pedaço de terra perto de Siquém para aí se instalar (Génesis 33:19 – Abraão também comprou um pedaço de terreno, mas como lugar de sepultura; ver Génesis 23). Os arqueólogos não encontraram esse pedaço de terra perto de Siquém. No entanto, descobriram que a cidade de Siquém não foi destruída quando os israelitas invadiram o país. Siquém tornou-se o lugar onde o povo renovava a aliança que Deus tinha concluído com eles no Sinai.


8. Jonas rezou em Nínive, que ficava no Iraque.



Pessoas andam em frente às ruínas do túmulo de Jonas, em Nínive. (Foto: ha.rfi.fr)

nscrições extraordinárias de 2.700 anos foram descobertas sob o túmulo de Jonas, que foi vandalizado pelo Estado Islâmico, quando eles invadiram a cidade de Nínive em 2014.
As incríveis inscrições se referem ao rei assírio Assaradão (filho de Senaqueribe), que é citado na Bíblia em II Reis 19:35-37. A tradução da inscrição diz: "O palácio de Assaradão, rei forte, rei do mundo, rei da Assíria, governador de Babilônia, rei de Suméri e Akkad, rei dos reis do Egito inferior, alto Egito e Kush [um antigo reino localizado ao sul do Egito na Nubia]".
De acordo com inscrições antigas encontradas em outros sítios arqueológicos, os líderes da civilização Kush governaram o Egito. As inscrições mais recentes detalham que o rei Assaradão derrotou os governantes Kush e escolheu novos governantes para governar a nação.
Outra inscrição encontrada sob o túmulo de Jonas diz que o rei "reconstruiu o templo do deus Aššur [o deus principal dos assírios]", as antigas cidades da Babilônia e Esagil e "renovou as estátuas dos grandes deuses".
As inscrições revelam alguns fatos sobre a história familiar de Assaradão, dizendo que ele é de fato foi filho de Senaquerib [reinado 704-681 aC] e descendente de Sargão II (reinado 721-705 aC), que também era chamado de "rei do mundo".
As inscrições não são a única descoberta de que o Estado Islâmico levou inadvertidamente os pesquisadores para baixo do túmulo. No ano passado, como os arqueólogos avaliaram o extenso dano causado pelos militantes, eles encontraram um vasto palácio datado de 600 aC.
"Eu nunca vi algo como isso gravado em rochas neste tamanho grande", disse a Professora Eleanor Robson, presidente do Instituto Britânico para o Estudo do Iraque, ao Telegraph na época. "Os objetos não combinam com as descrições do que pensávamos estar lá, então a destruição do túmulo pelo Estado Islâmico nos levou a um achado fantástico".
"Há uma grande quantidade de história lá, não apenas pedras ornamentais. É uma oportunidade para finalmente mapear o tesouro do primeiro grande império do mundo, do período de seu maior sucesso", acrescentou.
Ex-curadora do museu de Mosul, a Sra. Salih, que supervisionou uma equipe de cinco homens que realizou o trabalho, disse que acredita que o Estado Islâmico tenha saqueado centenas de objetos que estavam no fundo do túmulo, antes que as autoridades recuperassem a cidade de Nínive.
"Eu só posso imaginar o quanto Estado Islâmico descobriu lá antes da nossa chegada", disse ela ao Telegraph por telefone de Mosul. "Nós acreditamos que eles levaram muitos dos artefatos, como cerâmica e peças menores, para vender no mercado negro. Mas o que eles deixaram será estudado e acrescentará muito ao nosso conhecimento sobre o período".

9. Assíria, que ficava no Iraque, conquistou as dez tribos de Israel. 
O Império assírio no tempo de Isaías – Blog Temperança
Trabalhadores iraquianos limpam estátua assíria de leão alado em Nimrod em julho de 2001. Ministério iraquiano informou nesta sexta-feira que Estado Islâmico iniciou destruição do sítio arqueológico no Iraque Foto: Karim Sahib




Estado Islâmico destrói antiga capital assíria no Iraque

Jihadistas usam veículos pesados para demolir Nimrod, fundada no século XIII aC


10. Babilónia, que ficava no Iraque, destruiu Jerusalém.

Aventuras na História · Os quatro milênios da Babilônia, a morada ...

A partir da cidade da Babilônia, construiu-se um dos maiores impérios da Antiguidade, com grandes exércitos, aquedutos, estradas e literatura
Em 1987, o então ditador iraquiano Saddam Hussein visitou ruínas de um palácio que pretendia reconstruir, localizadas 80 quilômetros ao sul da capital Bagdá. Lá, perguntou ao arqueólogo Donny George, na época diretor de campo do sítio, como os especialistas sabiam quando o palácio havia sido construído. O cientista mostrou para o governante os tijolos originais. Neles estava estampado um nome,  Nabucodonosor II, que se sabia haver vivido por volta de 605 a.C..
Saddam quase não falou naquele encontro. Mas ouviu muito sobre a história do local. E fez duas exigências. A primeira era que a reconstrução do palácio começasse num festival de artes que ocorreria em setembro daquele ano. A segunda, que seu nome estivesse inscrito em todos os tijolos, assim como Nabucodonosor fizera mais de 2 500 anos antes.




Ambas denunciavam a megalomania do ditador. E também o fascínio que a avançada civilização que por lá floresceu exercia não só nele, mas em toda a humanidade. A Babilônia, nome tanto de uma cidade quanto de um império, voltava, assim, a ser o centro das atenções.  

11. Daniel esteve na cova dos leões. Onde? No Iraque! 

12. Baltazar, rei de Babilónia, viu a "escrita na parede" no Iraque.


13. Nabucodonosor, rei da Babilónia, carregou os judeus prisioneiros através do Iraque.

Nabucodonosor - A história do rei mais poderoso do Império Babilônico

Nabucodonosor I – Wikipédia, a enciclopédia livre
Ele é provavelmente é o rei mais conhecido e poderoso do Império Babilônico. Ele foi filho de Nabopolassar, que também havia sido rei da Babilônia. Além disso, ele ficou no poder por 43 anos.
Para não recorrermos em dúvidas, primeiramente você precisa saber que existiram quatro reis chamados Nabucodonosor. O nosso personagem em questão, citado na Bíblia, é o Nabucodonosor II.

O nosso Nabucodonosor II não tem nada a ver com o Nabucodonosor I, que reinou mais de 500 anos antes dele, entre 1127 a.C. e 1105 a.C.

14. Ezequiel fez suas orações no Iraque.


17. O "império do homem" descrito na Revelação era a chamada Babilónia, uma  cidade do Iraque.

E você provavelmente sabe esta:

Israel é a terra mais mencionada na Bíblia. Mas você sabe qual a segunda? 

Isso mesmo. IRAQUE, que na Bíblia corresponde a nomes como Babilónia, terra de Shinar, Mesopotâmia. A palavra Mesopotâmia significa "entre dois rios", mais exatamente entre os rios Tigre e Eufrates. O nome Iraque significa "País com Raízes Profundas".  

Certamente o Iraque é um país com raízes profundas e de enorme importância  na Bíblia. Exceto Israel, nenhuma outra nação tem mais história e profecias associadas a ela do que o Iraque.

Ruínas descobertas nas margens antigas do rio Tigre, no norte do Iraque
Recuo da água na represa de Mossul possibilita descoberta de palácio do Império Mitani na margem antiga do rio Tigre

Uma equipe de arqueólogos alemães e curdos descobriu um palácio de aproximadamente 3.400 anos que pertencia ao misterioso Império Mitani, anunciou a Universidade de Tübingen, na Alemanha, na quinta-feira (27/06).
A descoberta foi possível somente graças a uma seca que reduziu significativamente os níveis de água no reservatório da represa de Mossul, no extremo norte do Iraque. A barragem de Mossul, que segura as águas do rio Tigre, é a maior do Iraque – e quarta maior do Oriente Médio – e tem como objetivo gerar energia hidrelétrica e proporcionar água para a irrigação no planalto. 
"Trata-se de uma das descobertas arqueológicas mais importantes da região nas últimas décadas e ilustra o sucesso da cooperação curda-alemã", disse Hasan Ahmed Qasim, arqueólogo curdo da Diretoria de Antiguidades de Duhok, que participou dos trabalhos no local. A cidade de Duhok fica ao norte da represa, enquanto Mossul está localizada ao sul.
"O Império Mitani é um dos impérios menos pesquisados do Antigo Oriente Próximo [termo usado por arqueólogos para se referir à região que engloba a Anatólia, o Levante, o Egito, a Mesopotâmia e, ocasionalmente, o Transcaucásia]", disse a arqueóloga Ivana Puljiz, da Universidade de Tübingen. "Até mesmo a capital do Império Mitani nunca foi identificada."

Uma expedição de arqueólogos italianos e curdos revelou uma série de painéis de altos-relevos em pedra no Curdistão iraquiano, que descrevem divindades ligadas a um rei assírio, adornando um sistema sofisticado de canais d’água. A descoberta foi divulgada pela Universidade de Udine, na Itália.
A descoberta ocorreu num sítio em Faida, região de Duhok, ocupada pelos curdos na fronteira do Iraque com a Turquia. No total, foram revelados dez relevos em placas de pedra que datam do governo de Sargão II da Assíria, no século 8 a.C.
blank
Uma nova descoberta da arqueologia bíblica tem reforçado a precisão histórica das Escrituras Sagradas. Apesar das destruições provocadas pelos ataques do Estado Islâmico em sítios históricos, no Iraque, prejudicando o esforço memorável de arqueólogos de todo mundo para preservar relíquias milenares, alguns acontecimentos, como se fossem obra do acaso, terminaram contribuindo para descobertas, por exemplo, sobre o Rei Senaqueribe e o Profeta Jonas, ambos mencionados na Bíblia.
Foi o que aconteceu após terroristas do Estado Islâmico cavarem túneis subterrâneos debaixo de um santuário considerado tanto por cristãos quanto por muçulmanos, o local que acreditam ser o túmulo do Profeta Jonas. Trata-se do santuário de Nabi Yunus, situado no topo de uma colina no leste de Mossul, um dos dois montes que fazem parte da antiga cidade assíria de Nínive.
Segundo informações da agência Telegraph, Após a retomada do controle da região pelas forças iraquianas, no mês passado, arqueólogos locais e ingleses descobriram túneis escavados pelo Estado Islâmico, com o objetivo de encontrar e roubar relíquias da arqueologia bíblica para vender no mercado negro, e assim obter recursos de financiamento para o terrorismo.
O que os terroristas islâmicos não imaginavam, porém, era que com essas escavações os arqueólogos descobrissem um novo sítio histórico, intocável, datado de aproximadamente 600 anos antes de Cristo. Se trata do palácio do rei assírio Senaqueribe e seu filho, o rei Assaradão, que segundo a Bíblia tentaram conquistar Jerusalém no reinado de Ezequiel, conforme 2 Reis 18 e 19.
Fontes: https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-antiguidade-babilonia-mesopotamia.phtml
https://www.drcurioso.com.br/noticia/onde-ficava-o-jardim-do-eden/
https://medium.com/rascunhando-o-direito/hist%C3%B3ria-do-direito-mesopot%C3%A2mia-e08c0f425cdb
https://guiame.com.br/gospel/noticias/vandalizado-pelo-estado-islamico-tumulo-de-jonas-confirma-relato-biblico-em-ninive.html
https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/06/novas-evidencias-podem-provar-existencia-da-torre-de-babel.html
https://cafetorah.com/o-poco-de-jaco/https://www.dw.com/pt-br/seca-no-iraque-revela-pal%C3%A1cio-de-3400-anos/a-49405761https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/historia-hoje/relevos-raros-da-assiria-sao-revelados-no-curdistao-iraquiano-confira-https://osollo.com.br/descoberta-arqueologica-no-iraque-confirma-relato-biblico-sobre-o-rei-senaqueribe-e-o-profeta-jonas/

3 comentários:

  1. É muito importante suas informação me ajudou obrigada

    ResponderExcluir
  2. Bem interessante.
    Muito conhecimento adiquiri.
    Parabéns pelo estudo.

    ResponderExcluir

AGRADEÇO SUA VISITA.
VOLTE SEMPRE.

Segue lá

Segue lá